Hatesphere: fiel ao nervosismo de sua proposta

Resenha - Serpent Smiles And Killer Eyes - Hatesphere

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Formado em 2001 na Dinamarca e com cinco álbuns nas costas, o Hatesphere vem construindo uma respeitável reputação pelo território europeu, em especial depois do lançamento de "The Sickness Within" (05), que inclusive mordeu dois Awards em seu país, nas categorias ‘melhor álbum do ano’ e ‘melhor produção’. Seu mais novo registro é "Serpent Smiles And Killer Eyes", que procura se manter fiel ao nervosismo de sua proposta, ainda que sondando, e em muitas ocasiões, investindo com força em novos caminhos.

A diferença mais marcante é uma maior ênfase nas melodias, que anteriormente apareciam de forma discreta em meio à carismática agressividade de seu Thrash e Death Metal, além de agora as canções se apresentarem um pouco mais lentas, com as excelentes "Drinking With The King Of The Dead" ou "Feeding The Demons" ilustrando muito bem a vontade de elaborar coisas novas. É importante salientar que não são mudanças radicais, sua conhecida brutalidade continua presente – em especial pelas linhas vocais, com gritos se combinando com alguns grunhidos – mas agora seguindo rumos que em várias ocasiões os levam a algo similar ao já famoso Death Metal Melódico.

publicidade

Outras experimentações que ficaram muito interessantes são as vozes limpas de "The Dead" e a atmosfera sinistra e 'mezzo' épica de "Absolution", que encerra a audição. Assim sendo, a seqüência das canções tende a funcionar de forma ainda mais dinâmica, tendo como maior atração seus riffs, um verdadeiro massacre, sempre muito bem executados pela dupla Peter e Henrik. Há muitas faixas de respeito, em especial as que emanam toda a energia bruta do Thrash oitentista, como "Forever War" e "Floating".

publicidade

A produção é bastante moderna, transmitindo toda a faceta crua da música dos dinamarqueses, mas com os detalhes aparecendo claramente. Apesar de este estilo estar bastante popular hoje em dia, o Hatesphere tem culhões e consegue se impor em meio a este cenário, mostrando que ainda há o que oferecer ao público, tanto que "Serpent Smiles And Killer Eyes" é bastante indicado aos fãs de The Haunted, The Crown, Arch Enemy e similares.

publicidade

Infelizmente, mesmo indo bem a nível musical, o lado pessoal do Hatesphere se esfacelou quase que por completo, pois, da formação que gravou este álbum só sobrou o guitarrista Peter Lyse. Diante da instabilidade desta situação, só resta aguardar...

Formação:
Jacob Bredahl - voz
Peter Lyse Hansen - guitarra
Henrik Bastrup Jacobsen - guitarra
Mikael Ehlert Hansen - baixo
Anders Gyldenohr - bateria

publicidade

Hatesphere - Serpent Smiles And Killer Eyes
(2007 / SPV Records - importado)

01. Lies And Deceit
02. The Slain
03. Damned Below Judas
04. Drinking With The King Of The Dead
05. Forever War
06. Feeding The Demons
07. Floating
08. Let Them Hate
09. Absolution

Homepage: www.hatesphere.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ghost: uma foto assustadora dos bastidores do Rock In RioGhost
Uma foto assustadora dos bastidores do Rock In Rio

Roadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadoraRoadrunner
Os dez melhores vídeo-clipes da gravadora


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin