Evocation: honrando com folgas o Death sueco

Resenha - Tales From The Tomb - Evocation

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


O Evocation surgiu na Suécia em 1991, em meio ao riquíssimo cenário musical que deu origem a feras do porte de Dismember, Entombed e Grave. Mas, ao contrário destas lendas que lançaram clássicos indiscutíveis para o Death Metal, o Evocation liberou apenas duas demos para então as manjadas diferenças musicais começarem a complicar a vida de todos, tanto que seus integrantes debandaram para projetos góticos como Cemetary e Sundown.

Musas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidade

Bon Jovi: Jon e Sambora viveram triângulo amoroso com atriz

É somente em 2004 que a banda aparece novamente, liberando "Evocation Best Of", que nada mais é do que uma compilação das citadas demos. Mas este já foi um sinal de retorno, pois seu próximo CD-demo, lançado em 2006, atraiu a atenção de vários selos europeus e resultou num contrato com a gravadora alemã Cyclone Empire Records. E enfim o conjunto chega ao tão aguardado primeiro registro, "Tales From The Tomb".

A formação conta com Thomas Josefsson (voz), Vesa Kenttakumpu (guitarra e baixo), Marko Palmen (guitarra) e Janne Kenttakumpu (bateria), e o quarteto corre para recuperar o tempo perdido. Tudo neste álbum honra com folgas o tradicional Death Metal sueco que fez história nos primórdios da década passada, inclusive no trabalho gráfico, que traz o conhecido traço do mestre Dan Seagrave, que já finalizou as ilustrações para Morbid Angel, Benediction, Dismember, etc.

Thomas possui uma voz perfeita para o estilo, quase gutural e rasgada, e, mesmo prevalecendo a brutalidade dos arranjos, o Evocation não deixa de colocar alguns elementos mais melódicos entre a abundância de riffs que são o carro-chefe de suas canções. O resultado é mais ou menos um cruzamento entre a fúria do Entombed com as melodias secas do saudoso At The Gates, algo totalmente positivo, em especial nas canções "Chronic Hell", com ótimas guitarras e uma bateria matadora; e "Feed The Fire", que se destaca pelas interessantes mudanças em seu andamento. Ótima canção! E, para completar o cardápio sueco, um cover para "But Life Goes On", de ninguém menos que Entombed. E ficou muito mais pesado (!!!) que a versão original.

O Evocation demorou 16 anos, mas chegou com um belíssimo registro, que, se tivesse sido lançado em outra época, poderia impulsionar o grupo à glória que vários de seus conterrâneos atingiram. Mas, mesmo sendo outros tempos, o Death Metal é um dos estilos mais resistentes aos modismos que se tem notícia, tanto que "Tales From The Tomb" poder ser considerado indispensável a qualquer um que aprecie todo o sentimento da velha escola em questão.

Evocation - Tales From The Tomb
(2007 / Cyclone Empire Records – importado)

01. Eternal Lie
02. The Dead
03. Chronic Hell
04. Greed
05. From Menace To Mayhem
06. Blessed Upon The Altar
07. Feed The Fire
08. The Symbols Of Sins
09. Phase Of Fear
10. Veils Were Blown
11. But Life Goes On
12. The More We Bleed

Homepage: www.evocation.se




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Musas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidadeMusas do Metal Nacional
Combo de talento e sensualidade

Bon Jovi: Jon e Sambora viveram triângulo amoroso com atrizBon Jovi
Jon e Sambora viveram triângulo amoroso com atriz


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin