Paradise Lost: obra-prima da música pesada

Resenha - In Requiem - Paradise Lost

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar Correções  

publicidade

9


O Paradise Lost tinha tudo para ser uma das maiores bandas de Heavy Metal dos anos noventa. Os britânicos começaram a carreira lá em cima, evoluindo muito, e possuem pelo menos três discos entre os melhores da década ("Shades Of God" de 1992, "Icon" de 1993 e "Draconian Times" de 1995), fundamentais para a definição e evolução do que viria a ser conhecido como Gothic Metal.

Lista: grandes álbuns de rock e metal que completarão 25 anos em 2020

Lista: 50 discos de rock e metal sem uma única música fraca

Depois desse início, o grupo liderado pelo vocalista Nick Holmes trilhou caminhos mais experimentais, que desagradaram os fãs e fizeram trabalhos como "One Second", "Host" e "Believe In Nothing" alvo de críticas pesadas.

Pois bem, passados dez anos do lançamento original daquele que tanto a crítica quanto os fãs consideram o melhor álbum da banda ("Draconian Times"), em 2005 o Paradise Lost deixou as experimentações de lado e lançou um álbum intitulado apenas com o nome da banda, e que apresentava uma sonoridade muito próxima daquela que consagrou o grupo. A recepção foi boa, e isso deve ter animado Holmes e seus companheiros, pois o novo disco dos ingleses, "In Requiem", é uma pequena obra-prima da música pesada do novo milênio.

Muito pesado, com grandes riffs de guitarra, melodias dramáticas e sombrias, andamentos quase marciais de bateria e uma interpretação magistral de todo o grupo, principalmente de Nick Holmes, "In Requiem" mostra que quem um dia já foi rei jamais perderá a sua majestade. Suas onze faixas são Heavy Metal Gótico de primeira qualidade, inspirado e feito com muito tesão. Algumas interferências eletrônicas ainda estão presentes, mas são quase imperceptíveis de tão discretas, funcionando mais como um complemento do som da banda do que em seu elemento principal (e essa mudança de foco é ótima).

"In Requiem" é o melhor trabalho do Paradise Lost desde "Draconian Times", e recoloca o grupo no lugar em que sempre deveria estar: a maior influência de toda a cena Gothic Metal.

Um discaço.

Faixas:

1. Never for the Damned
2. Ash & Debris
3. The Enemy
4. Praise Lamented Shade
5. Requiem
6. Unreachable
7. Prelude to Descent
8. Fallen Children
9. Beneath Black Skies
10. Sedative God
11. Your Own Reality


Outras resenhas de In Requiem - Paradise Lost

Paradise Lost: renovado e com força total


adWhipDin adWhipDin