Dimmu Borgir: técnico, sombrio e pesado

Resenha - Dimmu Borgir - In Sorte Diaboli

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar Correções  

publicidade

10


Após quatro anos sem lançar nenhum álbum com músicas inéditas (o último foi "Death Cult Armageddon", de 2003), a expectativa por um novo trabalho dos noruegueses do Dimmu Borgir era enorme. O grupo sabia disso, e acredito que os fãs ficarão satisfeitos com o resultado final de "In Sorte Diaboli".

Pseudônimos no Black Metal: De entidades pagãs a O Senhor dos Anéis

Aquiles Priester: Posters, action figures e latinhas de coca-cola

Mais sinfônico já de saída, com a excelente "The Serpentine Offering", o disco traz um Dimmu Borgir soando mais técnico, bastante sombrio e pesado, e bem menos teatral do que nos últimos anos. O foco de "In Sorte Diaboli" está totalmente na música, e em se tratando de músicos do nível de Shagrath e Silenoz, esse pequeno detalhe faz uma enorme diferença.

A já citada "The Serpentine Offering", que também é o primeiro single do álbum e possui um clipe fantástico, é um dos destaques do CD. Ao lado dela, músicas como "The Chosen Legacy", "The Sacrilegious Scorn", "The Sinister Awakening" e "The Foreshadowing Furnace" chamam a atenção de imediato, mas o som do Dimmu Borgir alcançou um nível de elaboração e uma riqueza sonora que, a cada audição do disco, essa lista muda.

Belos coros marcam presença em todo o álbum, realçando ainda mais o aspecto dramático e emocional das músicas. Os teclados de Mustis ganharam mais espaço, reforçando o já citado aspecto sinfônico. Além disso, as guitarras de Silenoz e Galder derramam riffs inspirados, o que colabora para "In Sorte Diaboli" ser um dos trabalhos mais pesados da carreira do grupo. Vale mencionar que Hellhammer, o lendário baterista que já fez parte do Mayhem e de inúmeros grupos extremos, toca no álbum, o que dá uma cara meio old school para algumas passagens.

O Dimmu Borgir alcançou em "In Sorte Diaboli" um resultado tal que classificar o disco com uma peça de arte não seria errado.

Excelente, mais uma vez.

Faixas:
1. The Serpentine Offering
2. The Chosen Legacy
3. The Conspiracy Unfolds
4. The Sacrilegious Scorn
5. The Fallen Arises
6. The Sinister Awakening
7. The Fundamental Alienation
8. The Invaluable Darkness
9. The Foreshadowing Furnace


adWhipDin adWhipDin