Killswitch Engage: sucesso com estilo saturado

Resenha - As Daylight Dies - Killswitch Engage

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


Nos tempos em que o Metalcore está realmente saturado, chega a ser inesperado que "As Daylight Dies", o quarto disco do Killswitch Engage, faça tanto sucesso comercial em terras norte-americanas, chegando a 32º posição nas paradas da Billboard e conseguindo desbancar outros lançamentos de feras do porte do Mastodon e Black Label Society.

Supõe-se então que o quinteto de Massachusetts esteja fazendo a coisa certa... Bom, fazendo uma análise desde seu primeiro álbum lançado em 2000, é óbvio que desde então o Killswitch Engage esteja dando cada vez mais prioridade às melodias, o que se consolida definitivamente em "As Daylight Dies". E este é o motivo de toda a badalação em torno deste registro: suas bonitas melodias.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Neste natural processo em aperfeiçoar sua música, os guitarristas Joel e Adam estão mantendo certa distância da complexidade de outrora e passando a executar riffs não tão pesados, assim como as ótimas linhas vocais de Howard Jones, que, mesmo não abrindo mão de vocalizações ríspidas, no geral está cantando ainda mais limpo. As partes pesadas ainda existem – e em algumas ocasiões estão ainda mais pesadas que no registro anterior – mas em sua totalidade o direcionamento realmente está bem mais acessível.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mesmo havendo uma maior preocupação em variar os arranjos, inclusive com partes acústicas e alguns poucos teclados, o fato é que algumas canções não conseguem escapar da armadilha de soar similares entre si. E, curiosamente, mesmo o conjunto não oferecendo tudo o que se poderia esperar, ainda assim parece não haver muitas outras bandas de Metalcore que toquem com tanta garra, que elaborem riffs e refrões tão pegajosos, enfim, que ainda consigam se distinguir da grande maioria de seus conterrâneos adeptos do gênero.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E este caminho escolhido resultou em boas músicas como a faixa-título, com ótimo trabalho nas duas guitarras; "Through The Eye Of The Storm", com as melhores vozes limpas de Jones; e ainda a dramática "Desperate Times" e "Arms Of Sorrow".

Muitos vêm dizendo que o Killswitch Engage está apelando demais para tocar nas rádios e, como tal, questionando sua integridade como uma banda de Heavy Metal. Ora, a banda está longe de se prostituir assim... E daí que venda bem? Mesmo "As Daylight Dies" não tendo o impacto de seus registros precedentes – e isso realmente não tem – não deixa de ser um bom álbum, destes que garantem alguns momentos de diversão ao ouvinte. Geralmente não é esta a finalidade da música?

Formação:
Howard Jones - voz
Adam Dutkiewicz - guitarra
Joel Stroetzel - guitarra
Mike D'Antonio - baixo
Justin Foley - bateria

Killswitch Engage - As Daylight Dies
(2006 / Roadrunner Records – 2007 / Liberation Music Company - nacional)

01. Daylight Dies
02. This Is Absolution
03. Arms Of Sorrow
04. Unbroken
05. My Curse
06. For You
07. My Heart Still Beats Your Name
08. Through The Eye Of The Storm
09. Break The Silence
10. Desperate Times
11. Reject Yourself

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Homepage: www.killswitchengage.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal Hammer: os melhores discos de rock e metal lançados em 2002Metal Hammer
Os melhores discos de rock e metal lançados em 2002

Killswitch Engage: Seria The End Of Heartache o maior hino do metalcore?Killswitch Engage
Seria "The End Of Heartache" o maior hino do metalcore?


Metal Sucks: os melhores álbuns de metal do século 21Metal Sucks
Os melhores álbuns de metal do século 21

Killswitch Engage: estudo diz que eles são a banda de metal que mais trabalhaKillswitch Engage
Estudo diz que eles são a banda de metal que mais trabalha


Cretin: transexual rompe barreiras no metal extremoCretin
Transexual rompe barreiras no metal extremo

Ozzy Osbourne: dando chega mais em Mônica Apor na coletivaOzzy Osbourne
Dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Cli336 Cli336 Cli336 CliIL Cli336