RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemLed Zeppelin e a bateria que ninguém acreditava que um ser humano conseguiria tocar

imagemJovens sem noção vandalizam o lugar da capa de estreia do Black Sabbath

imagemRegis Tadeu e os cinco grandes vocalistas que o mundo do Rock não dá valor

imagemArch Enemy e Behemoth tocarão no Brasil em novembro; confira datas e locais

imagemO hit da Legião Urbana que utiliza recurso sonoro consagrado pelos Beatles

imagemJô Soares comprou uma obra de arte do Rock por causa do Regis Tadeu

imagemLars Ulrich sobre "Fade to Black": Frequentemente sinto haver dois Metallicas

imagemA curiosa ligação vocal entre Ney Matogrosso e Andre Matos, segundo Bruno Sutter

imagemA música do Metallica que James não queria apresentar aos outros integrantes

imagemJoão Gordo explica porque Anitta está fazendo o que as bandas de Rock deviam fazer

imagemFãs detonam produção do Knotfest após anúncio do Pantera

imagemO curto e grosso motivo pelo qual Zappa vetava que seus músicos usassem coisas químicas

imagemAmy Lee surpreende ao escolher os melhores cantores (e cantoras) de todos os tempos

imagemO carinhoso jeito de Axl Rose se desculpar com sua equipe pelo seu jeito imprevisível

imagemDee Snider diz que faliu na década de 1990 e fingia ser outra pessoa


Stamp
2022/07/09

Resenha - Completion Makes The Tragedy - Coldseed

Por Ben Ami Scopinho
Em 09/02/07

Nota: 5

Num primeiro momento, o que pensar da união do vocalista Bjorn "Speed" Strid (Soilwork) com o baterista Thomen Stauch (ex-Blind Guardian)? Insira no time Oli Holzwarth (baixo) e Mi Schuren (teclados), que também já tocaram em discos do Blind Guardian e, por fim, os guitarristas Thorsten Praest e Gonzalo Lopez. Uma equipe de primeira, não?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O tal projeto acabou por se chamar Coldseed e, entre muitas expectativas, está liberando "Completion Makes The Tragedy", com uma sonoridade que, naturalmente, é totalmente diferente do que Bjorn e Thomen já fizeram antes. Tudo aqui é por demais moderninho e alternativo, com teclados atmosféricos e efeitos eletrônicos torrenciais, que são o ponto em comum no disco. O trabalho das guitarras é um curioso caso à parte: enquanto os solos são excelentes, em geral seus riffs possuem o vigor típico das bandas de new metal...

Sabe-se perfeitamente que os músicos são talentosos, pelo menos individualmente. "My Affliction", "Burning With A Shade", "Hatchet" ou a sofrida balada "Reflection", para citar apenas algumas faixas, são exemplos claros do estranho híbrido que o Coldseed é capaz de oferecer, e que não convence pela forma como aborda e mescla arranjos por demais acessíveis com outros mais pesados ou obscuros. Tudo acaba por gerar uma receita que, no mínimo, dividirá as opiniões.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

A seqüência do álbum é tal que não há uma única canção que seja 100%, e somente o talento do irretocável Bjorn, que canta lindamente nos mais diferentes estilos, os já citados solos das guitarras e a ótima qualidade da gravação são os fatores que impedem que boa parte das músicas deste disco seja um desastre ainda maior.

Enfim, o Coldseed acaba por ser muita banda para pouca música. E nem é questão de não ser receptivo a novas propostas, mas para amenizar a ressaca produzida por "Completion Makes The Tragedy", me sinto na obrigação de ir me banhar nas ondas sonoras de Soilwork ou Blind Guardian...

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Coldseed - Completion Makes The Tragedy
(2006 – Nuclear Blast / Rock Brigade Records – nacional)

01. My Affliction
02. Democracy Lesson
03. Nothing But A Loser
04. Five More To Fix
05. Burning With A Shade
06. Low
07. On My Way
08. Reflection
09. Completion Makes The Tragedy
10. Hatchet
11. Vulture Of The Throne
12. At Last
13. Strike The Nerve (faixa-bônus)

Homepage: www.coldseed.com


Outras resenhas de Completion Makes The Tragedy - Coldseed

Resenha - Completion Makes The Tragedy - Coldseed

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

2022/08/18


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Iron Maiden: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

King Diamond: O que significa ser Satanista?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.