Resenha - Iconoclastic Warfare - Iconoclasm

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Você, um fã de metal extremo, certamente conhece o Iconoclasm. Ou pelo menos já ouviu falar sobre a banda que vem da Bélgica e é formada por Steve (vocal e baixo), Serge (guitarra) e Jeroenymous (bateria). Curioso é que provavelmente esse trio faça mais sucesso aqui no Brasil do que no seu país natal, ou em comparação com qualquer outro lugar da Europa. Algo que foi de fácil comprovação após uma ou duas turnês da banda que passaram pelo Brasil, trazendo um retorno impressionante por parte do público, especialmente nos shows do nordeste.

Classic Rock: os 50 maiores álbuns de rock progressivoSexo: os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal Hammer

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas por que acontece isso? Talvez por causa da cultura brasileira, que sempre teve a mania de saudar o que vem de fora perante os nomes nacionais. Ah, quero deixar bem claro que não estou aqui para dizer que o Iconoclasm seja uma péssima banda. Ou dizer que o trabalho dos caras é muito abaixo do que estamos habituados a conferir entre as bandas do underground nacional. Para ser sincero, eu bem que gostei desse novo álbum, "Iconoclastic Warfare", lançado em versão nacional pela Moondo Records.

No entanto, existe, realmente, um grande problema. Considero o Iconoclasm uma banda de baixa ambição. Isso porque o trio belga poderia ter feito um álbum muito melhor produzido, em todos os aspectos. A gravação não é nada límpida, o que dificulta por demais a percepção de um estilo tão extremo como a proposta do grupo, death/black metal. Se os caras pretendem se tornar um ícone do estilo (capacidade para isso eles possuem) e se tornar, como conseqüência, uma banda auto-suficiente financeiramente, é extremamente necessário dar um passo adiante. Pensar além do underground.

Eu queria dar uma nota melhor para o Iconoclasm. Impossível. Preciso analisar de forma enfática o álbum como um todo, e há alguns deslizes, como dito anteriormente, quanto à produção. Vocal muito atrás do instrumental e timbres mal escolhidos para as guitarras - faltou peso e "sujeira". Algumas músicas são legais, como "Sons of Fire", "Beer Metal Satan" e "The Other Cheek", faixas que primam por um death metal mais técnico e apurado instrumentalmente, com boas variações de andamento. Mas ouvindo essas faixas, apenas temos a certeza que a banda possui boas idéias. A mesma impressão que ficou quando ouvimos "Walpurgis Night", música bônus, gravada ao vivo durante a última passagem da banda por Recife (PE), em 2003.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De certa forma, o Iconoclasm segue o caminho certo. Mas para podermos afirmar isso com certeza absoluta é imprescindível um cuidado maior com o seu trabalho, tecnicamente falando. Em situações como essa, "Iconoclastic Warfare" nos passa a sensação que a sua produção fraca quase manda todo o trabalho e sacrifício por água abaixo. Ainda bem que sobrou talento e algumas boas composições.

Site oficial: http://iconoclasm.blackmetal.be

Line-up:
Steve (vocal/baixo);
Serge (guitarra);
Jeroenymous (bateria).

Track-list:
01. Iconoclastic Warfare
02. Wolfpack
03. Welcome to Hell
04. The Omen
05. Phedelm's Prophecy
06. Sons of Fire
07. Beer Metal Satan
08. Army of Immortals
09. Daemonz
10. The Other Cheek
11. Crush You Like a Worm
12. Screams of the Banshee
13. Walpurgis Night (Live)

Material cedido por:
Moondo Records
http://www.moondorecords.net




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Iconoclasm"


Classic Rock: os 50 maiores álbuns de rock progressivoClassic Rock
Os 50 maiores álbuns de rock progressivo

Sexo: os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal HammerSexo
Os clipes mais sensuais do Metal segundo a Metal Hammer


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280