Resenha - Ocean - Gaia Mesiah

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 10


A primeira coisa que lembrei ao pegar este CD dos tchecos do Gaia Mesiah para resenhar é que o Leste Europeu tem uma cena interessantíssima mas, infelizmente, de alcance limitado. A barreira só é quebrada quando algum grupo consegue assinar com uma major, casos deles, segundo parece.

Thrash Metal: 10 novas promessas - incluindo uma brasileiraSeparados no nascimento: Paul Stanley e Sidney Magal

Sem rodeios, posso dizer muito sobriamente que "Ocean" é uma das obras mais surpreendentes e criativas que já ouvi. Poucas vezes vi alguém misturar tantas vertentes da música com igual competência. Rock, metal, pop, techno, reggae, punk, hip-hop e o diabo a quatro. São uma banda irrotulável. Do agressivo ao atmosférico em poucos segundos, do hardcore ao pop, do gutural ao singelo. Duvida? Então confira o death/punk/techno de "Black Bridge". Ou pule para "Mañana" e veja uma música que começa progressiva e descamba para um punk dançante pop/latino a lá Clash. Espere aí. "Blueberry Day" é o que? Bob Dylan? Björk? Talvez um pouco dos dois (ou nenhum deles!). Ecos de Carlos Santana e Bob Marley são ouvidos em "Legulize Marihuana".

Não se engane. Tudo isto faz um tremendo sentido. Eles não se propõem a fazer música experimental, dodecafônica ou meramente fragmentada para dizer que são diferentes. Há uma coesão e uma habilidade tremenda em reunir tudo isto. A música é gostosa e tem empatia. Funciona incrivelmente bem.

Injustiça destacar somente a camaleônica vocalista Marka Rybin (ainda não acredito que todas aquelas vozes são dela, mas são!) e esquecer do baixo encorpado e suingadíssimo de Josh Stewart ou dos riffs, bases e melodias incomuns tiradas da guitarra de Santa Morella, e claro, a bateria completamente viva e tresloucada de Misha Cortéz.

Três línguas foram usadas: inglês, espanhol e tcheco. Inúmeros timbres, climas, estruturas, melodias, influências, estilos vocais e harmonias. A criatividade parece não ter fim. Por que "San Pedro" não vira o novo hit mundial? Muito vanguardista? Besteira. É tão assoviável quanto qualquer standard das fms. Tudo é provocativo, irônico e diferente, como as letras e a arte gráfica. E eles ainda fazem questão de frisar no encarte: "No click. No samples. No artificial digital added". Coisa de macho.

Espero que a Universal Music lance esta belezinha por aqui. Enquanto isso vou permanecer tão incrédulo e feliz quanto agora e torcer para que você amplie seus horizontes musicais e compre este "Ocean". Raramente dei uma nota 10 tão merecida quanto esta.

Formação:
Marka Rybin (Vocal)
Santa Morella (Guitarra)
Josh Stewart (Baixo)
Misha Cortéz (Bateria)

Site Oficial: www.gaiamesiah.com

Universal Music (Importado) - 2005.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Gaia Mesiah"


Thrash Metal: 10 novas promessas - incluindo uma brasileiraThrash Metal
10 novas promessas - incluindo uma brasileira

Separados no nascimento: Paul Stanley e Sidney MagalSeparados no nascimento
Paul Stanley e Sidney Magal

Heavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capasHeavy Metal
O Diabo e personagens bíblicas nas capas

Seguidores do Demônio: as 10 bandas mais perigosas do mundoSeguidores do Demônio
As 10 bandas mais perigosas do mundo

Iron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhorIron Maiden
Os álbuns da banda, do pior para o melhor

Megadeth: Dave Mustaine explica o significado de Hangar 18Megadeth
Dave Mustaine explica o significado de "Hangar 18"

Lars Ulrich: jucando no camarim do Guns N' RosesLars Ulrich
Jucando no camarim do Guns N' Roses


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336