Resenha - Nameless Disease - Old Dead Tree

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9

Saca aquelas bandas que você nunca ouviu falar e se surpreende quando escuta suas músicas? Pois é, este é um destes casos...

publicidade

The Old Dead Tree foi formado na França em 1997, tendo em sua formação Manuel Munoz (voz e guitarra), Nicolas Chevrollier (guitarra), Vincent Danhier (baixo) e Frédéric Guillemot (bateria). Em 1999 a banda lança um MCD de nome "The Blosson", que tem ótimas vendas. Porém, uma tragédia vem se abater sobre o conjunto: neste mesmo ano o baterista Frédéric comete suicídio com apenas 22 anos.

publicidade

Mas o grande lance aqui é que esse suicídio acabou por ter um efeito catalisador sobre a banda, gerando uma grande onda de criatividade que culminou neste "The Nameless Disease", seu primeiro CD, lançado em 2003 e contando com um novo e competente baterista chamado Franck Métayer. As letras são muito bonitas e dedicadas ao amigo baterista que se foi.

publicidade

Musicalmente, a frustração, desespero e raiva estão muito fortes num álbum que destila Heavy Metal mesclado ao gótico e algumas variantes da música extrema, tudo com muito feeling, totalmente desprovido de vocais femininos e sem aquela faceta sinfônica tão em alta atualmente. Isso tudo, somado ao fato de a banda ser da França, um país que nunca possuiu tradição dentro da música pesada, faz com que "The Nameless Disease" não soe semelhante às outras bandas do gênero.

publicidade

Todos os músicos são estupendos, porém a atuação do vocalista Manuel Munoz é impressionante. Sua voz flui tranqüilamente desde vocais limpos, passando pelos gritados e urrados, seu trabalho ficou perfeito. Meio complicado destacar alguma faixa, todos os instrumentos tem seus momentos em canções bem variadas, mas que mantém uma linha coerente em seu estilo.

publicidade

"The Nameless Disease" é repleto de uma atmosfera atormentadora, o sentimento melancólico de perda realmente estava lá com os músicos no momento da criação destas músicas, isso é claramente perceptível durante a audição. Apesar de possuir um nome tão estranho, The Old Dead Tree combina perfeitamente com sua música e é recomendável aos amantes de Heavy Metal e gótico feito com o coração.

publicidade

THE OLD DEAD TREE – The Nameless Disease
(2003 / Season Of Mist – 2005 / Rock Machine)

01. We Cry As One
02. It Can' t Be!
03. How Could You?
04. Won't Follow Him
05. It's The Same For Everyone
06. Somewhere Else
07. Joy & Happiness
08. Transition
09. Quietly Kissing Death
10. All…
11. The Bathroom Monologue




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Opinião: Headbangers não praticantes: radicalismo no MetalOpinião
Headbangers não praticantes: radicalismo no Metal

Metal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempoMetal
101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin