Resenha - Beyond The Human Knowledge - Necropsia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cláudio Pinheiro
Enviar correções  |  Ver Acessos


Na estrada desde o ano de 1992, a Necropsia, oriunda de Porto Alegre (RS), está sempre arregaçando as mangas e batalhando para garantir seu espaço no underground tupiniquim. Prova disso é o puta material que tenho rolando a altos decibéis no tape-deck. Trata-se de "Beyond The Human Knowledge", segunda demo-tape da banda (a primeira DT atende pela alcunha de "Respect My Religion"), composta por seis canções ("Devotion And Glory", "Beyond The Human Knowledge", "Obscure Dream, Why?", "Sacrifice", "The Dark Face Of The Soul" e "Devotion And Glory (Part II)") e gravada em 32 horas no Studio Live no mês de março de 1998.

Lauren Harris: Como é ser filha do baixista do Iron MaidenSatanismo: O que pensam os que acreditam que rock é coisa do demo?

Hoje, a banda tem em sua line-up Luciano Raposa, na bateria e no vocal; Alexandre Lima, na guitarra e no teclado; Antônio Postiglioni, na guitarra; e, Baré, no baixo (a Necropsia ainda conta com um tecladista em suas apresentações ao vivo), que, juntos, enveredam-se por um black/death do mais alto calibre e extremamente agressivo, tocado com fúria e violência sem deixar de lado a melodia e a técnica.

No que diz respeito à arte gráfica, a mesma é belíssima e eficaz. É... Coisa de quem está sempre buscando o - tão sonhado - profissionalismo. De certa forma, sem sombra de dúvidas, a excelente gravação também contribuiu para que o trabalho se destacasse ainda mais por apresentar uma brutalidade esplendorosa quase palpável - apesar de, em certas passagens, remeter o ouvinte a uma atmosfera assustadora, melancólica e sorumbática -, um negócio irado pacas mesmo.

Sem demora, vale ressaltar aqui que o que se ouve nesta fita já credencia a Necropsia como uma das mais maravilhosas - e promissoras - bandas do Rio Grande do Sul. Em Beyond The Human Knowledge (o guitarrista Antônio Postiglioni não participou das gravações da DT), Luciano Raposa massacra sua bateria e não deixa pedra sobre pedra, demonstrando competência e rapidez em seu trampo; Alexandre Lima empunha com garra sua guitarra e senta a pua com riffs caóticos e solos curtos em arranjos fantásticos, além de revelar-se um talentoso tecladista; e, o baixo de Baré é dono de uma precisão inacreditável em andamentos mais que perfeitos. Tente - apenas tente - não sair batendo cabeça com o som desta banda!!

Contatos:
Alameda E, 129 - 1ª Unidade - Restinga Nova
Porto Alegre (RS) - CEP.: 91790-640
e-mail necropsia@terra.com.br.

Cláudio Pinheiro é Editor-chefe do fanzine "Pandemonium"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Necropsia"


Lauren Harris: Como é ser filha do baixista do Iron MaidenLauren Harris
Como é ser filha do baixista do Iron Maiden

Satanismo: O que pensam os que acreditam que rock é coisa do demo?Satanismo
O que pensam os que acreditam que rock é coisa do demo?

O tempo não para: fotos do antes e depois de alguns rockstarsO tempo não para
Fotos do antes e depois de alguns rockstars

Legião Urbana: Eduardo e Mônica, uma análise psico-neuróticaLegião Urbana
Eduardo e Mônica, uma análise psico-neurótica

Slayer: Kerry King fala sobre sua relação com religiõesSlayer
Kerry King fala sobre sua relação com religiões

Slash: um resumo de suas experiências ao longo dos anosSlash
Um resumo de suas experiências ao longo dos anos

Márcio Guerra Canto: o Axl Rose paraguaio que parece o Sebastian Bach (vídeo)Márcio Guerra Canto
O Axl Rose paraguaio que parece o Sebastian Bach (vídeo)


Sobre Cláudio Pinheiro

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336