Resenha - Black Brick Road - Lake Of Tears

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Para começar, escrevo estas linhas com o maior prazer, pois apesar do Lake Of Tears ser praticamente desconhecido do público brasileiro, a banda é muito respeitada na Europa com sua arte que abrange uma ampla gama de estilos musicais e ser extremamente emotiva.
5000 acessosDanilo Gentili: O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro5000 acessosJoão Gordo: quais são as bandas que ele ouve hoje em dia?

Lake Of Tears vem da Suécia e “Black Brick Road” é seu quarto disco e o primeiro a sair aqui no Brasil. O sucesso desta banda veio aos poucos, mas a inspiração entrou em declínio logo após lançarem seu terceiro álbum, culminando com o encerramento das atividades do conjunto. A questão é que, para honrar o contrato com a gravadora Black Mark, ainda lançam mais um disco de nome “The Neonai” e, onde se pensava que a criatividade estaria estagnada, este trabalho provou o contrário, mostrando que a banda ainda tinha muito a oferecer a seus fãs. E em 2003 a banda junta-se novamente, com a química totalmente revigorada e tendo na sua formação Daniel Brennare na voz e guitarra, Mikael Larsson no baixo e Johan Oudhuis na bateria, além de vários músicos contratados para a gravação do álbum.

Chega 2004, nova gravadora e novo disco: “Black Brick Road” vem, como sempre, com aquela fusão perfeita entre o rock propriamente dito, muita distorção que chega em vários momentos bem próximo do heavy metal, boas doses de psicodelismo e melancolia. Sabe aquela sonoridade setentista que, trabalhada em estúdios modernos conseguem um resultado tão equilibrado entre o novo e o velho que agrada à várias gerações de apreciadores de rock pesado? É esse o grande lance do Lake Of Tears.

Em relação aos discos anteriores, este apresenta mais guitarras cheias de distorção. A variedade de teclados é grande e são presença constante, sendo que o Hammond reforça o clima saudosista das canções. As vozes femininas (não tem nada a ver com o que as bandas de hoje nos trazem, aqui são somente garotas cantando, sem preocupação com o alcance de suas vozes) estão em duas faixas: no refrão de “Dystopia” e o dueto em “Sister Sinister”, mostrando o quanto as músicas simples podem ser agradáveis.

E “Black Brick Road” é todo destaque, todo arranjo em cada faixa é sentimento. Mas a dúvida fica em “Crazyman”, que fecha o álbum, pois seus riffs são claramente semelhantes aos de uma famosa canção de uma das maiores bandas de heavy metal do mundo. Mas, acompanhando a letra, fica a pergunta: é uma homenagem ou uma crítica à postura desta dita banda?

Ah... não me perguntem que música original é essa e muito menos a banda, apenas dêem uma conferida se a curiosidade for grande.

Lake Of Tears - Black Brick Road
(2004 – Noise Records / Century Media)

01. The Greymem
02. Making Evenings
03. Black Brick Road
04. Dystopia
05. The Organ
06. A Trip with the Moon
07. Sister Sinister
08. Rainy Day Away
09. Crazyman

http://www.lakeoftears.net

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Lake Of Tears"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Lake Of Tears"

Danilo GentiliDanilo Gentili
O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro

João GordoJoão Gordo
Quais são as bandas que ele ouve hoje em dia?

Gothic MetalGothic Metal
Os dez trabalhos essenciais do estilo

5000 acessosHeavy Metal: cinco discos necessários dos anos setenta5000 acessosChinese Democracy: de 1994 a 2008, a saga do álbum mais caro da história5000 acessosMetallica: a regressão técnica de Lars Ulrich5000 acessosSolos: Alguns dos mais bonitos do Heavy Metal4252 acessosIron Maiden: uma versão de "The Trooper" peidando com as mãos5000 acessosBlack Label Society: Zakk explica programa de um passo

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online