Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemHalford relembra o dia que caiu em pegadinha armada por Tony Iommi e Geezer Butler

imagem"Éramos nós contra o mundo" relembra Bill Ward, sobre o início do Black Sabbath

imagemAC/DC: Angus Young conta como é para ele o antes, o durante e o depois de um show

imagemDave Mustaine cutuca Kiss e bandas "preguiçosas" que usam playbacks

imagemAndreas Kisser explica por que o Sepultura mistura Metal com música brasileira


Stamp

Resenha - Neon God Part 2; The Demise - W.A.S.P.

Por Ben Ami Scopinho
Em 16/12/04

"The Neon God: part 2", vem completar a ópera-rock do personagem Jesse Slane, o falso auto-proclamado messias que convence milhões de pessoas graças ao seu poder de persuasão e ao marketing bem elaborado. E, em meio a seguidores cegos, milagres, orgias, abusos de drogas, falsas esperanças e traições, Slane revê toda sua vida, e o final não foge muito de uma triste e já famosa história cristã que todos conhecem...

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Já o lado musical obviamente também não difere muito dos outros trabalhos do W.A.S.P., todo aquele metal fundido com hard e rock n´roll cru que já se tornou sua marca registrada, sendo que aqui há uma maior presença do órgão Hammond. Mas em relação à "Part 1 – The Rise", este não possui introduções ou interlúdios, portanto é bem mais direto. Como o anterior, nesta continuação a maior parte das letras também estão em forma de diálogos escritos com muita sensibilidade e a interpretação dos mesmos por Blackie estão inigualáveis, transmitindo ao ouvinte as muitas variações de sentimentos que esta ópera-rock possui.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Um detalhe interessante adotado neste trabalho foi a repetição de alguns mesmos arranjos em outras canções, "amarrando" ainda mais a estória. Curioso também é o fato de os músicos não se limitaram a tocar somente seus respectivos instrumentos. Por exemplo, a bateria não foi tocada somente por Stet Howland e Frankie Banali (apesar dos créditos deste não constarem no encarte), mas também por Darrel e pelo próprio Blackie, e isso foi acontece também com o contrabaixo, que teoricamente ficaria somente ao encargo de Mike Duda.

As vozes de fundo merecem destaque e mais ainda os solos de Darrel Roberts, que estão entre os melhores de toda a carreira do W.A.S.P.. A boa e velha selvageria de Chris Holmes sinceramente não fizeram falta. Quanto às canções, eu destacaria "Ressurector", "Clockwork Mary", a excelente "Tear Down The Walls", os ótimos e simples arranjos de "Come Black To Black" e o épico "The Last Redemption", com seus mais de treze minutos repletos de variações, sendo a faixa mais longa já composta por esta banda .

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Foi dito em algumas resenhas da primeira parte que o trabalho está mal gravado. Oras, um dos grandes méritos das canções do W.A.S.P. é que as mesmas sempre soaram ásperas, e esta é a beleza da sua música. Por fim, muitos ficam na expectativa se "The Neon God" supera a obra-prima "The Crimson Idol". Vamos colocar assim: no lado instrumental, "The Crimson Idol" é superior. Agora, já no quesito lírico, "The Neon God" é muito, mas muito melhor.

W.A.S.P. - The Neon God – part 2 – The Demise
(Distribuído por Century Media Records)

1. Never Say Die
2. Resurrector
3. The Demise
4. Clockwork Mary
5. Tear Down The Walls
6. Come Back To Black
7. All My Life
8. Destiny’s To Come
9. The Last Redemption

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Home page: www.waspnation.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Mad Max: inspirando W.A.S.P., Violator, Biohazard e outros

W.A.S.P.: como Lawless foi parar no filme do Village People e deixou produtor confuso

W.A.S.P.: o casamenteiro de Lita Ford e Chris Holmes!


Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.