Resenha - Música Para Beber e Brigar - Matanza

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Raphael Crespo
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


No início dos anos 90, o Raimundos tomou o Brasil de assalto com sua mistura inusitada de forró com hardcore. Sem qualquer tipo de comparação com a consagrada banda brasiliense, os cariocas do Matanza ainda militam no underground, mas com uma salada tão original quanto, mesclando country com som pesado. Em seu segundo disco, o ótimo Música Para Beber e Brigar, a banda mantém a saga iniciada no primeiro, Santa Madre Cassino.

5000 acessosMatanza Inc: "Ergam seus copos novamente, agora para tomar todas!"5000 acessosChris Cornell: membros do Metallica, Brad Pitt, Tom Morello e outros em funeral

As faixas, tanto no instrumental quanto nas letras, refletem bem o nome do disco. São 13 músicas que falam de bebedeiras e brigas em bar, tudo muito sacana e irônico, com bastante peso nas guitarras e a bateria dando o ritmo ora country rápido, ora punk-hardcore. Algo como um show do Ratos de Porão em algum saloon do Velho Oeste americano.

A banda já abre o álbum com Pé na Porta, soco na cara, com o forte refrão "Uh, Na cara! Reto que arrebenta o nariz. Essa noite vai dormir feliz. Pé na porta e soco na cara!". Na sequência, o que se ouve é uma sequência de grosserias, com histórias engraçadíssimas de bebedeiras e pancadarias em bares, algo totalmente descompromissado, com o puro e simples intuito de divertir.

A produção de Rafael "Ex-Baba Cósmica/Descobridor de Talentos" Ramos é excelente e o peso nas guitarras é invejável. O tratamento dado pela Deck Disc é de primeira, com faixa interativa, com o clipe da primeira música, e um belo encarte. Um trabalho sério de quatro caras - Jimmy (voz e gaita), Donida (guitarra), China (baixo) e Fausto (bateria) - que certamente não se levam a sério. Felizmente.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net



Matanza IncMatanza Inc
"Ergam seus copos novamente, agora para tomar todas!"

MatanzaMatanza
Dicas para não ser um idiota no show

MatanzaMatanza
Jimmy se arrepende de não ter falado com Lemmy

MatanzaMatanza
"Machistas? tem letra da banda em que a mulher mata o cara!"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Matanza"


Chris CornellChris Cornell
Membros do Metallica, Brad Pitt, Tom Morello e outros em funeral

MinistryMinistry
Slayer é "barulho" e Kerry King um '"otário cuzão"

SlipknotSlipknot
Joey Jordison diz que foi demitido por telegrama cantado

5000 acessosMegadeth: os 10 bens mais preciosos de Dave Mustaine5000 acessosMetallica: homem que matou Bin Laden usou faixas em tortura5000 acessosEddie Van Halen: falando sobre o solo de "Beat It"5000 acessosKerry King: velho, gordo e careca? Está falando de mim, seu babaca?5000 acessosIron Maiden: Fantasmas e navegadores na melhor música após volta5000 acessosHistória do Rock

Sobre Raphael Crespo

Raphael Crespo é jornalista, carioca, tem 25 anos, e sempre trabalhou na área esportiva, com passagens pelo jornal LANCE! e pelo LANCENET!. Atualmente, é editor de esportes do JB Online, mas seu gosto por heavy metal o levou a colaborar com a seção de musicalidade do site do Jornal do Brasil, com críticas de CDs e algumas matérias especiais, que também estão reunidas em seu blog (http://www.reviews.blogger.com.br). Sua preferência é pelo thrash metal oitentista, mas qualquer coisa em termos de som pesado é só levantar na área que ele mata no peito e chuta. Gosta também de outros tipos de som, como MPB, jazz e blues, mas só se atreve a escrever sobre o que conhece melhor: o metal.

Mais matérias de Raphael Crespo no Whiplash.Net.