Resenha - W.A.S.P. - W.A.S.P.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O debut da banda W.A.S.P., lançado em 1984 é lembrado com muito respeito até os dias atuais por inúmeros músicos do hard rock e até mesmo o heavy metal extremo.
1023 acessosHair Metal: dez álbuns que valem a pena5000 acessosHeavy Metal: cinco discos necessários dos anos setenta

Desde o início de sua carreira em Los Angeles, o W.A.S.P., com sua proposta musical e teatral com muito sangue, sadomasoquismo, mulheres seminuas “assassinadas” durante as apresentações, visual cuidadosamente agressivo e politicamente incorreto já chamavam muito a atenção, tanto de apaixonados pela música pesada como pelas entidades que visavam a preservação dos valores e bons costumes da sociedade norte-americana. Com o passar dos mais de vinte anos a banda foi boicotada, taxada de sexista, satanista, seu vocalista foi baleado, problemas com drogas e bebidas de alguns membros, freqüentes trocas de integrantes, etc.

Mas também no decorrer deste período, graças a Blackie Lawless, sua força de vontade e disciplina quase militar no que diz respeito às composições e apresentações ao vivo, sempre produziu trabalhos que são muito acima da média do que se vê por aí, sem contar que Blackie é o tipo de artista que sabe o que dizer em suas músicas com letras geralmente controversas e bem politizadas, não perdoando nada nem ninguém com suas críticas ácidas.

Quanto ao disco homônimo em questão, lançado em 1984, Blackie Lawless, vocalista, baixista e insano mentor, juntamente com Randy Piper e Chris Holmes nas guitarras e o excelente baterista Tony Richards tiveram imensos problemas com esse seu primeiro trabalho, tanto que passaram por diversos estúdios até gravarem todo o álbum.

A faixa de abertura é um de seus maiores clássicos, “I Wanna be Somebody”, velocíssima para os padrões da época, inclusive após o solo vem a típica passagem só com a bateria e vozes cantando o refrão, quantas bandas não usaram desse método em seus discos nesta época! A próxima é outro clássico, “L.O.V.E. Machine”, com riffs matadores e o disco segue com “The Flame”, com umas bases de rock n´roll tão pesado que chega a confundir com metal mesmo; “B.A.D.”, quase arrastada e “School Daze”, que começa com vozes de alunos em sala de aula enaltecendo os EUA, interrompidas pelas tradicionais guitarras pesadíssimas. Em “Hellion”, Blackie põe os pulmões para fora, riffs rasgados e Tony, como em todo o ábum, destrói nas baquetas; “Sleeping (in the Fire)”, a balada pesada e soturna que é tocada até hoje em suas apresentações. A próxima faixa, “Tormentor”, começa com ruídos de correntes, quebrado pela entrada de todos os instrumentos tocados numa precisão e cadência impressionantes. O disco fecha com “The Tortures Never Stops”, que quebra o rítmo violento do álbum.

Este é um disco como poucos que foram lançados pelo mercado norte-americano na primeira metade da década de 80, com excelentes bases e solos de guitarras que se alternam entre os músicos e, como já foi citado, um excelente trabalho de bateria, além dos vocais rasgados e característicos de Blackie Lawless. Tudo isso aliado às composições que não tem como cativar o ouvinte.

Como curiosidade: W.A.S.P. tentou lançar antes deste debut um single “Animal (Fuck Like a Beast)”, que foi recusado pela gravadora Capitol Records, só vindo a ser colocada no mercado algum tempo depois pela gravadora Music for Nations, saindo como vinil pic-disc no formato da cabeça de um porco monstruoso e com etiqueta de advertência sobre o conteúdo das letras, hoje um item raríssimo de colecionador.

Banda

Blackie Lawless - Voz e Contrabaixo
Randy Piper - Guitarra
Chris Holmes - Guitarra
Tony Richards - Bateria

W.A.S.P. - W.A.S.P. - (1984) – Capitol Records

- I Wanna be Somebody
- L.O.V.E. Machine
- The Flame
- B.A.D.
- School Daze
- Hellion
- Sleeping (in the Fire)
- On Your Knees
- Tormentor
- The Torture Never Stops

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

1023 acessosHair Metal: dez álbuns que valem a pena452 acessosChris Holmes: ex-guitarrista do W.A.S.P. lança vídeo de "T.F.M.F."605 acessosWASP: banda cancela shows para focar em novo disco0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "W.A.S.P."

WaspWasp
Por que Lemmy nao queria Chris Holmes no Motörhead?

W.A.S.P.W.A.S.P.
Lawless teve "a mesma coisa" que Michael Jackson!

Hard RockHard Rock
Alguns dos clipes mais clichê do gênero

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "W.A.S.P."

Heavy MetalHeavy Metal
Cinco discos necessários dos anos setenta

Guns N RosesGuns N' Roses
De 1994 a 2008, a saga do álbum mais caro da história

MetallicaMetallica
A regressão técnica de Lars Ulrich

5000 acessosSepultura: Andreas Kisser comenta os primórdios da banda5000 acessosGuitarristas: os 10 maiores de todos os tempos segundo a Time5000 acessosSlipknot: Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy Metal5000 acessosIron Maiden: veja Nicko Mcbrain tocando clássicos na churrascaria5000 acessosMetallica e Guns N' Roses: Em 1992, a histórica turnê conjunta5000 acessosKurt Cobain: Frances revela o que o faria chorar se ele estivesse vivo

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online