Resenha - There Will Be Execution - Sinner

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

10


Confesso que sempre considerei o Sinner como a banda mais suave de Mat Sinner, já que o mesmo havia destinado boa parte de sua agressividade criativa para o Primal Fear (banda que conta com Ralph Scheepers, ex-Gamma Ray). O último lançamento do Sinner, "The End of Sanctuary", mostrava uma banda investindo no heavy melódico, com algumas pitadas de hard-rock, tendência que o Sinner adotou nos seus primeiros álbuns.

Overkill: mandando recado ao Avenged Sevenfold

O Clube dos 27: 17 roqueiros que sucumbiram à idade fatídica

Ledo engano: desta vez eles resolveram direcionar toda a agressividade para a música e tal atitude gerou um dos cd’s mais furiosos de 2003, a começar pelo título singelo: "There Will be Execution". Preparem-se, pois o negócio vai pegar fogo no próximo parágrafo!

"Higher Level of Violence" e "There Will be Execution" são duas porradas movidas a fortes riffs de guitarra, vocais agressivos (Mat está cantando mais puxado para o tom baixo) e uma cozinha matadora. O mesmo acontece nas matadoras "Requiem for a Sinner" e na pesadíssima "Die On Command" (que lembra de leve "Enter Sandman" do Metallica), aonde o peso das guitarras de Henny Wolter e Tom Naumann ditam o ritmo.

O resto do cd é basicamente isso: peso e agressividade. Momentos mais rápidos, quase speed, em "Finalized", "God Raises the Dead" (uma das melhores, com ótimo andamento), e músicas cadenciadas e pesadas como "Locked and Loaded" (perfeita para os shows, vai ter neguinho se matando de tanto agitar), e a cadenciadíssima "The River", que rivaliza com "God Raises the Dead" a condição de melhor do cd. Mat Sinner e cia também não esqueceram do hard-rock que norteou seu começo de carreira, mas excelentes "Liberty of Death" (empolgante por sinal, com um baixo muito bem colocado) e "Black Monday" (que lembra os bons tempos do Accept). O cd nacional ainda vêm com duas bônus, "When Silence Falls" e "All Men are Heroes", tiradas de álbuns mais antigos da banda. Para quem não conhece, o sinner já está no seu 17o. álbum, tirando 3 coletâneas e um ao vivo. As faixas foram extraídas do cd "Botton Line" de 1995. São boas, mas mais calmas e destoam do conceito, mas vale como brinde para conhecer esta bela banda.

A banda Sinner é competente e entrosada. Mat um bom baixista e compositor de mão cheia. O resultado é o melhor álbum do Sinner até hoje. Compre, pois não irá se arrepender. Porrada do começo ao fim.

Line Up:
Mat Sinner – Baixo e Vocal
Tom Naumman – Guitarra
Henny Wolter – Guitarra
Frank Rossler – Teclados
Fritz Randow – Bateria

Site oficial: http://www.matsinner.de

Lançado pela Nuclear Blast/Century Media Brasil em 2003.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Overkill: mandando recado ao Avenged SevenfoldOverkill
Mandando recado ao Avenged Sevenfold

O Clube dos 27: 17 roqueiros que sucumbiram à idade fatídicaO Clube dos 27
17 roqueiros que sucumbiram à idade fatídica


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin