Resenha - Live Songs From Somewhere - Every Mother's Nightmare

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


O Every Mother's Nightmare é uma daquelas bandas que a cada disco mostra que tem tudo pra estourar e fazer sucesso, mas não alcança isto nem a porrete. E se for pra responsabilizar alguém, amigo, não se limite à mídia, e trate de notar que o próprio conjunto está implicado nesta divulgação apenas razoável que tem. "Live Songs From Somewhere" é prova absoluta disto.

Deep Purple: o riff de "Smoke on the Water" foi criado por Tom Jobim?Rockstars: as filhas mais lindas dos astros do rock

O nome do álbum pode ser razoavelmente original, porém deixa dúvidas no ar, e falta de credibilidade, principalmente por ser um lançamento de uma gravadora como a Perris Records, cujos investimentos no hard rock são fortes, contudo questionáveis em matéria de promoção, relação com a imprensa, etc.

As interrogações cessam por de fato ser daqueles trabalhos ao vivo rústicos, não possuindo aquelas 'remexidas' de estúdio. É direto, do jeito que rolou você ouve, como já era de se esperar de um grupo como o EMN.

O problema são algumas músicas presentes, cujas substitutas imediatas e clássicas seriam bem mais atraentes. O começo com "Bathe Me" e "Walls Come Down" ataca num rock 'n' roll fulminante. Todavia, uma série de outras vêm cortar o barato, como "Delta Voodoo". E logo depois o potencial da banda retorna, destruindo numa seqüência que se inicia com "Pray". Novamente o coito é interrompido, e assim vai.

É provável que eles tenham em mente lançar outros discos deste tipo e então resolveram segurar material. De qualquer maneira, perderam uma chance óbvia de colocar na praça um CD infinitamente melhor que este. E é aí que percebemos o quão significante pode ser a frase: "o óbvio goza da estranha capacidade de ser imperceptível". Aproveitando a deixa, gostaria de saber o autor para colocar seu nome na citação. Caso alguém tenha essa informação, envie um email.

Site Oficial - http://www.emnonline.net

Formação:
Rick Ruhl (Vocais)
Travis Hall (Guitarra)
Jeff Caughron (Guitarra)
Troy Fleming (Baixo)
Jim Phipps (Bateria)

Material cedido por:
Perris Records - http://www.perrisrecords.com
P.O. BOX 783
CEDAR PARK, TX, USA
78630-0783
Email: perrisrecords@ev1.net




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Every Mothers Nightmare"


Deep Purple: o riff de Smoke on the Water foi criado por Tom Jobim?Deep Purple
O riff de "Smoke on the Water" foi criado por Tom Jobim?

Rockstars: as filhas mais lindas dos astros do rockRockstars
As filhas mais lindas dos astros do rock

Sasha Grey: sua real paixão pela música de atitude e sua coleção de vinilSasha Grey
Sua real paixão pela música de atitude e sua coleção de vinil

Beatles: Perguntas e respostas e curiosidades diversasBeatles
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Classic Rock: os 50 maiores álbuns de rock progressivoClassic Rock
Os 50 maiores álbuns de rock progressivo

O Exorcista: a relação de músicas do Purple e Ozzy com o filmeO Exorcista
A relação de músicas do Purple e Ozzy com o filme

Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Ortografia
Como deveriam realmente se chamar as bandas?


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.