Resenha - Falange Canibal - Lenine

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar Correções  

10


O músico de MPB mais rock do Brasil está de volta com sua "Falange Canibal". Depois de obras-primas da música brasileira como "O Dia Em Que Faremos Contato" e "Na Pressão", a curiosidade era grande para saber o que poderíamos esperar de seu novo álbum. LENINE não decepciona.

publicidade

Algumas mudanças são latentes logo nas primeiras faixas: há uma maior tendência eletrônica do que nos CDs anteriores e uma apresentação mais "moderna" em todas composições, sem perder a visão do passado. As letras continuam brilhantes e a poética do compositor continua intacta.

"Ecos do Ão" abre a série de músicas que faz o ouvinte refletir, relaxar, apreciar e aprender com um dos maiores músicos da atualidade, respeitado aqui dentro e lá fora, em toda sua complexidade, em momentos lindos, emocionantes e sinceros.

publicidade

"Lavadeira do Rio" lembra seus antigos clássicos, enquanto "Quadro-Negro" traz uma realidade dura que Lenine tenta nos mostrar. "Falange Canibal" fecha com a excelente "Rosebud (o Verbo e a Verba)" e "O Homem Dos Olhos de Raios X" (que já tem clipe rolando) . Além disso o CD ainda traz convidados especialíssimos (constante nos discos de Lenine), entre eles o Living Colour (a banda inteira) e a cantora Ani DiFranco. "Falange Canibal" conseguiu êxito na sua procura, é realmente uma grande zona franca de arte. Vida longa a Lenine.

publicidade

Imperdível.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capasHeavy Metal
O Diabo e personagens bíblicas nas capas

Legião Urbana: Eduardo e Mônica, uma análise psico-neuróticaLegião Urbana
Eduardo e Mônica, uma análise psico-neurótica


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin