Resenha - Epic - Borknagar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando De Santis
Enviar Correções  

8


Depois de um castigo de três anos para os fãs, os noruegueses do Borknagar lançam seu sexto álbum, intitulado "Epic", que mantém aquele Black Metal de qualidade, com muito peso, composições pra lá de climáticas e sinfônicas. O Borknagar é famoso também por não ter um line-up que podemos chamar de "fixo", muitas mudanças rolaram com o passar dos anos e nesse álbum, a banda contou com Oystein G. Brun (guitarra), Lars A. Nedland (sintetizadores), Asgeir Mickelson (baixo e bateria) e Andreas Hedlund, mais conhecido como Vintersorg.

publicidade

A rápida "Future Reminiscence" abre o disco, mostrando logo de cara toda o clima sinfônico que envolve o som do Borknagar, que tem muita interferência de sintetizadores, temática Viking e uma versatilidade fora do comum de Vintersorg, que vai do vocal rasgado ao melódico, com extrema facilidade. "Traveller" que vem na seqüência, mostra mais uma vez que Vintersorg é a figura da banda. É possível identificar uma série de "faces" na voz do rapaz, são diversas mudanças de estilo que fazem até o ouvinte mais desatento questionar quantos vocalistas cantam na banda. "Sealed Chambers Of Eletricity" tem como destaque o trabalho impecável do batera Asgeir Mickelson. Impressionante a precisão nos bumbos e as viradas. É de deixar qualquer fã de boca aberta!

publicidade

"The Weight Of Wind", uma faixa instrumental de quase quatro minutos, apresenta uma bela melodia de "piano" que vai se encorpando com os demais instrumentos, dando peso a composição com o decorrer da música. "Resonance" acorda o ouvinte, pois trata-se de mais uma composição muito rápida, com mais uma vez destaque para o baterista Asgeir, que parece um metrônomo disparado, em altíssima velocidade. "Cyclus" resume o som do Borknagar em apenas uma faixa: Velocidade, peso, mudança de cadência, mudança de estilos de vocal, variando mais uma vez do rasgado ao melódico e refrão extremamente marcante. O CD ainda conta com um vídeo, para ser visto no PC, que mostra o "Making Of" da gravação do álbum "Epic". Um atrativo a mais, pois trata-se de um vídeo muito interessante.

publicidade

Embora tenha a difícil tarefa de vir após o "Empiricism" (disco lançado em 2001), "Epic" consegue manter muito bem a qualidade do Black Metal competente do Borknagar, que carrega muitos adjetivos próprios, tornando a banda ímpar. Com certeza vai agradar em cheio aos fãs dos vikings noruegueses.

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pseudônimos no Black Metal: De entidades pagãs a O Senhor dos AnéisPseudônimos no Black Metal
De entidades pagãs a O Senhor dos Anéis


Metal norueguês: as dez melhores bandas segundo o About.comMetal norueguês
As dez melhores bandas segundo o About.com

Pseudônimos no Black Metal: De entidades pagãs a O Senhor dos AnéisPseudônimos no Black Metal
De entidades pagãs a O Senhor dos Anéis


Megadeth: os 10 bens mais preciosos de Dave MustaineMegadeth
Os 10 bens mais preciosos de Dave Mustaine

Heavy Metal: os 10 melhores solos de guitarra de todos os temposHeavy Metal
Os 10 melhores solos de guitarra de todos os tempos


Sobre Fernando De Santis

Paulistano, nascido em 1979, Fernando De Santis passa grande parte do seu tempo viajando entre São Paulo, Santos e Curitiba. Nas horas de viagens dentro de ônibus ou aviões, costuma ouvir Hard Rock, Heavy Metal e demos de qualquer estilo. Atualmente trabalha como webdesigner para o Estado de São Paulo. Mantém o site "We Burn", dedicado ao Helloween desde 1998, que nunca lhe trouxe nenhum dinheiro, mas rendeu muito amigos.

Mais informações sobre Fernando De Santis

Mais matérias de Fernando De Santis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin