Resenha - UnAmerican - UnAmerican

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcio Ribeiro
Enviar Correções  

8


O disco de estréia da banda inglesa UnAmerican é um interessante caldeirão de influências. Banda essa que tem como mentor o jovem Steve McEwan, que, nascido em Hull, na Inglaterra, passou sua infância na Escócia, adolescência na Austrália e fez faculdade na África do Sul. Quando voltou para a Inglaterra, trazia na bagagem uma vivência de música adquirida em três dos quatro cantos do mundo. Aprendeu piano com Sister Ignatius ainda na Escócia e tocou e compôs material com Miriam Makeba, na África do Sul. Assim, teve pouca dificuldade em arrumar bandas em Londres, sendo a parceria mais memorável com Karl Wallinger, no World Party.

publicidade

De sua experiência com o World Party veio a amizade e a parceria com Guy Chambers, com quem McEwan começou a preparar o projeto que acabou se tornando o UnAmerican. Quando Chambers saiu para seguir outra direção musical, McEwan apostou em um jovem guitarrista chamado Matthew Cozer. Logo atraíram as forças de Pete Clarke, baixista e este trouxe consigo o baterista Tim Bye.

publicidade

Com audíveis influências de Bob Dylan, Paul Simon, Neil Young e Crazy Horse sobre seus guitarristas, mescladas com um uma cozinha (baixo e bateria) que idolatra Led Zeppelin, Black Sabbath e Rush, a banda consegue emanar uma dose de doce-feroz bastante interessante e instigante, perfeita para rádio. Exemplos mais claros estão em canções como "Mary's Son", "That's How It Goes", "Make Up Your Mind", e "I Was Wrong". A base de "Spiritual" lembra "Down By The River", de Neil Young, mas a canção em si vai em outra direção. Novamente mostra um refrão encomendado para rádio e uma guitarra contagiante de Matthew Cozer, que infelizmente é mixada em volume baixo. Ao vivo, Cozer não tem porque se segurar e mostra ser um músico talentoso, com um ótimo senso para escolher notas que se casam.

publicidade

O disco foi gravado em Memphis entre abril e julho de 1999, e mixado em Los Angeles e Nashville. Entre os músicos convidados estão sessionmen de renome como o tecladista Jim Dickinson, Barry Beckett e o pai do cantor Beck, David Campbell.

No todo, o disco é uma estréia bastante feliz. Recomendável para pessoas e rádios que não são movidos a jabá, pois poderão achar uma mina de melodias, acopladas a uma bateria segura e um guitarrista que sabe colorir.

publicidade

Steve McEwan - guitarra e voz
Matthew Crozer - guitarra
Pete Clarke - baixo
Tim Bye - baterista

site oficial: www.UnAmericanOnline.com

1. She's a Bomb (McEwan) - 3:02
2. Mary's Son (McEwan) - 5:14
3. Tonight's the First Night (McEwan) - 3:15
4. Wicked (McEwan) - 3:44
5. Make up Your Mind (McEwan) - 3:34
6. That's How It Goes (McEwan) - 3:07
7. If This the End (McEwan) - 5:34
8. I Was Wrong (McEwan) - 4:59
9. I So Really Want to Believe You (McEwan) - 4:22
10. Spiritual (McEwan) - 3:42
11. Let It Lie (McEwan) - 3:26
12. Closer You Get (Chambers/McEwan) - 4:15

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Gutural: mulheres que fazem vocal em bandas de MetalGutural
Mulheres que fazem vocal em bandas de Metal

Iron Maiden: o passado vergonhoso registrado em fotosIron Maiden
O passado vergonhoso registrado em fotos


Sobre Marcio Ribeiro

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin