Resenha - Against the World - Frontline

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

10


Quem disse que da Alemanha só vêm os vices e heavy metal? Este quinteto alemão, que já tem 3 cd’s lançados, chega ao seu quarto cd investindo no bom e velho hard-rock, com claras influências de Dokken e Journey (principalmente nas partes mais pesadas). Uma boa surpresa ver que o cenário hard rock vem reaparecendo aos poucos, e se tornando uma constante, afinal, vivemos os anos 80 com o hard de bandas como Poison, Motley Crue, Dokken, Cinderella, e esse som não podia ser esquecido. E o Frontline chega com seu melhor cd, sem sombra de dúvida, trazendo tudo o que uma banda de hard rock precisa ter: músicas melódicas, vocais bem colocados, refrões que grudam na mente, e baladas cativantes.

Iron Maiden: a reação de Bruce Dickinson ao ver músicas da era Blaze no set

Debandados: saíram de uma banda e formaram outras de igual pra melhor

Ouvir faixas como a pesada "Against the World" e a comercial (mas muito boa) "My Destiny" é um bálsamo para relaxar e curtir uma banda bem entrosada e um trabalho de guitarras muito bem feito, com um vocalista correto. Baladas como "Lignting Eyes" (lembra muito o Dokken fase "Back for Attack") e a melosa "Man with a Broken Heart" (com seu pique "Whitesnakiano") relembram os anos 80 de forma perfeita, com aquela sensação nostálgica. Mas o cd não é só melodia e balada. Pancadarias como "Time Stood Still" , "I don’t Know" e "You Shoud Know me" honram qualquer fã de rock, mostrando que o estilo também tem peso e agressividade, com riffs potentes e bateria agressiva.

O destaque especial fica para a "Journeyiana" "Don’t Break my Heart", cujo refrão gruda na primeira audição de tão legal, e para a "agressiva" "Change His Life", aonde a banda mostra todo seu virtuosismo em criar boas melodias, com riffs pesados e um trabalho de vocal e backings surpreendente. A versão japonesa vêm com duas bônus: a pesada "Any Other Way", que merecia estar no disco dado o fato de ser a mais pesada de todas, e mais uma balada, a melosa "Shelter Me", talvez o único pequeno pecado do cd, por ser melosa demais. Nem pra cigarro serviria... ;)

Quem disser que as músicas são todas parecidas não chega a estar de todo errado, mas são todas muito boas e competentes, valendo a pena comprar para conferir, afinal, é hard rock voltando à cena!!!

Site oficial: www.frontline-music.com

Formação:

Robert Boebel – Guitarras, Teclados
Stephan Kaemmerer – Vocais
Thomas Bauer – Baixo
Rami Ali: Bateria
Chris Lausmann: Guitarra e Teclado

Lançado pela Point Music – Licenciamento para o Japão pela Avalon Music.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: a reação de Bruce Dickinson ao ver músicas da era Blaze no setIron Maiden
A reação de Bruce Dickinson ao ver músicas da era Blaze no set

Debandados: saíram de uma banda e formaram outras de igual pra melhorDebandados
Saíram de uma banda e formaram outras de igual pra melhor


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin