Resenha - Exchanging Truth for a Lie - America Gomorrah

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 5


É bem interessante ouvir uma banda que coloca em seu estilo tradicional, elementos de um outro tipo de música, que também já influenciou os seus integrantes. No caso do America Gomorrah, o tradicional é o hard rock e os elementos adicionais são de rock/metal progressivo.

Death On Two Legs: a declaração de ódio de Freddie MercuryRede Globo: em 1985, explicando o que são os metaleiros

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que mais pode se notar neste álbum é a boa intenção dos músicos. De fato, não são os reis do talento, nem pouco, os reis da técnica, mas tentam dar o máximo de si, dentro de suas limitações. Procuram caprichar no instrumental e trabalhar bem as melodias em músicas nas quais, os riffs mais pesados, poderiam "falar" sozinhos. É uma pena que as vezes eles fiquem só na tentativa e boa vontade mesmo.

A idéia de colocar várias características de progressivo no hard rock é boa e já deu bons resultados antes. Porém, no caso do America Gomorrah, a impressão é de que: "Eles não cagam, nem saem da moita". Parecem estar confusos, pisando em ovos, principalmente quando colocam mais idéias de rock/metal progressivo. Até que no hard rock, eles se garantem, mas para fãs do estilo, não são sinônimo de grande empolgação.

Gene Crout, apesar de não ser de todo ruim, é um martírio para quem tem costume de ouvir guitarristas como George Lynch, Reb Beach, Nuno Bettencourt, Eddie Van Halen & cia.

O tempo inteiro as letras falam de Deus, da igreja, etc. Inclusive algumas têm partes da bíblia. Isso se torna um pouco 'massante'. Aliás, essa repetitividade em letras já está virando uma coisa normal. Tem o Planet Hemp falando de maconha, bandas de epic metal falando de dragões, castelos e guerreiros. Outros grupos falando de satã, e outros de Deus. As vezes é interessante variar um pouco o tema abordado. O 'nosso' Eterna faz isso muito bem. Consegue variar as letras e passar ainda a mensagem que querem.
"Exchanging Truth for a Lie" tem mais boas intenções do que bons momentos. Fãs de AOR/hard rock deverão curtir várias coisas deste CD. Porém, não é algo muito interessante e que vá encantar os fãs do estilo.

O que vou dizer pode parecer um pouco pesado, principalmente por se tratar de uma banda cristã. Porém, sinto, mas a única frase para resumir o que penso quando ouço este debute do America Gomorrah é: "De boas intenções, o inferno tá cheio".

Formação
Gene Crout (Guitarras & Vocais)
Bob Waldman (Baixo)
Carl Busser (Bateria)

Site Oficial - http://www.americagomorrah.com



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "America Gomorrah"


Death On Two Legs: a declaração de ódio de Freddie MercuryDeath On Two Legs
A declaração de ódio de Freddie Mercury

Rede Globo: em 1985, explicando o que são os metaleirosRede Globo
Em 1985, explicando o que são os metaleiros


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336