Resenha - Exotic Dancer Blues - Southern Gentlemen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos A. M. Cruz
Enviar Correções  

8


Confesso que antes de receber este material eu já havia "mentalizado" certas referências que pretendia citar neste review, pois lí em algum lugar que este álbum soaria como se o The Allman Brothers Band houvesse surgido na década de 80!

publicidade

Mas é como diz aquele velho ditado (que acabei de inventar): nunca confie nos críticos musicais, pois esta raça fala muitas besteiras... :o))

De qualquer forma não seria uma surpresa total, pois apesar de contar com Kevin Kekes no baixo e Dennis Lesh na bateria, o mentor intelectual deste trabalho é David T. Chastain, virtuoso guitarrista/vocalista que já esteve envolvido em projetos totalmente diferentes entre sí, todos com uma certa influência "jazzística". Ora, uma das características do jazz é justamente a improvisação, algo no qual os irmãos Allman se notabilizaram, principalmente nos trabalhos ao vivo.

publicidade

Recebido o cd, coloco-o para tocar e distraidamente vou cuidar de outras coisas; quando me dou conta do som, penso por um breve instante: "Ué, qual será este Robin Trower que está tocando?"... obviamente logo em seguida me recordei do que se tratava.

Não que seja uma xerox deslavada, mas há algumas faixas (notadamente a primeira do CD) que lembram um bocadinho o último trabalho de Mr. Trower, 20th. Century Blues, no qual ele conta com os vocais de Livingstone Brown, que por sua vez imita descaradamente seu antecessor, James Dewar, uma das influências assumidas de Chastain. Ouço todo o álbum e constato alguns ecos de ZZ Top, Stevie Ray Vaughan, Johnny Lang e, com uma dose de boa vontade, até alguns riffs similares ao de Angus Young (AC/DC); porém sinceramente em nada me lembra os discos do The Allman Brothers Band, mesmo sendo citados por Chastain como uma de suas influências...

publicidade

Pelo descrito acima dá para se ter uma idéia do "clima" da coisa: trata-se basicamente de Blues "sulista" norte-americano (com roupagem moderna) - daqueles que nos remetem diretamente a um boteco de beira de estrada nos EUA. As letras seguem a tradição do gênero, falando sobre mulheres, strippers, sexo, etc., com excessão da última faixa, "Time Traveler", que fala sobre vidas passadas - consequência de algumas experiências pelas quais David passou há dez anos, nas quais afirma ter entrado em contato com uma entidade que o guia em sua carreira musical...

publicidade

Aparentemente este projeto veio para ficar, pois Chastain afirma já ter uma série de faixas prontas, inclusive uma intitulada "Ladies Of The Night", que deverá ser o título do próximo álbum.

Ah, e quanto à loiraça da capa, trata-se da Kate French - aquela mesma que canta na banda de Chastain. Aliás, caso o(a) leitor(a) conheça (ou quem sabe até seja?) uma "dançarina exótica", entre em contato com Chastain & Cia... quem sabe surgirá daí a capa do próximo CD?

publicidade

Material cedido por:
Laser Company Records




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Dave Mustaine: há bandas cujo nome me ofendeDave Mustaine
"há bandas cujo nome me ofende"

Raul Seixas: 10 importantes obras do Maluco BelezaRaul Seixas
10 importantes obras do Maluco Beleza


Sobre Marcos A. M. Cruz

Fanático por rock setentista.

Mais matérias de Marcos A. M. Cruz no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin