Resenha - Sign Of The Winner - Heavenly

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

8


Som único, originalidade a toda prova, canções que você nunca imaginou ouvir antes. Bem, definitivamente não estou falando do Heavenly. As possibilidades levantadas são, no máximo, uma utopia particular em relação à banda, ou um desejo dos próprios músicos para um futuro próximo. Por enquanto, previsibilidade é a palavra de ordem por aqui.

publicidade

Não é necessário vasto conhecimento no campo metal melódico para logo de início detectarmos as fortíssimas influências de grandes ícones do estilo sobre os franceses. Falo de Helloween, Stratovarius e Angra especialmente. Porém, outras referências são encontradas no transcorrer das faixas.

Em algumas partes do disco sou capaz de jurar que ouvi André Matos cantando. Exemplos disso estariam principalmente em "Destiny" e "The World Will Be Better". Pode apostar que a parecença é incrível, e o brasileiro é praticamente membro honorário do conjunto pela via das excelentes vocalizações de Ben Sotto.

publicidade

O diferencial do grupo perante todos os outros que tanto se assemelham está no "saber fazer" e na alta categoria de seus integrantes. A consciência de que essas idéias já foram efetivadas por vários músicos e a previsibilidade dos agudos, da bateria acelerada, dos temas festivos nas guitarras dobradas, entre outras coisas, não retiram o prazer de ouvir a beleza dos arranjos e as pontes, que se destacam, sendo sempre realizadas com precisão.

publicidade

Há alguns riffs mais pesados e passagens power bem interessantes. Contudo, longe de aparecerem como surpresas.

"Sign Of The Winner" fecha num resultado positivo que nos possibilita crer num ‘a posteriori’ mais atrativo e próprio dos talentosos membros da banda. A arte gráfica de Herve Monjeaud e a produção de Tommy Hansen provam o investimento e as costas largas do Heavenly e, pelo menos desta vez, garantem uma ‘embalagem’ de algo que indubitavelmente não surpreende, mas que satisfaz e, como dito anteriormente, tem boas chances de se superar.

publicidade

Site Oficial – http://www.heavenly.fr.st

Ben Sotto (Vocais)
Fred Leclercq (Guitarra)
Pe Pelisson (Baixo)
Maxence Pilo (Bateria)

Material cedido por:
Century Media Records – http://www.centurymedia.com.br
Telefone: (0xx11) 3097-8117
Fax: (0xx11) 3816-1195
Email: [email protected]

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bateristas: alguns que usam a pegada tradicional para tocarBateristas
Alguns que usam a pegada tradicional para tocar


Guitar World: revista elege os 50 guitarristas mais rápidosGuitar World
Revista elege os 50 guitarristas mais rápidos

Steve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do JourneySteve Perry
5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin