Resenha - Turn Of My Century - Bob Katsionis

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Bob Katsionis é um tecladista grego que nos traz uma nova perspectiva para o instrumental deste milênio que adentramos recentemente. Seu nome pode passar desapercebido, e sua carreira parecer pacata, mas ele já tocou em diversos conjuntos de seu país e nos mais variados estilos. No Wacken Open Air 2001, acompanhou o Nightfall. Dantes, passara por Fatal Morgana, Acid Death, Skyward, entre outros.

Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palcoAC/DC: A origem do nome da banda

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tenho certeza que tem gente desanimando de ler o review. Afinal, olha essa capa e a cara de mané do indivíduo. Além de tudo, toca teclado e é fã de vídeo game. Deduzindo, o som tende a ter aquele toque de 'trilha sonora' de Atari, PlayStation, seja lá qual joguinho for. Caso você esteja fantasiando tanto quanto eu o fiz quando recebi o disco, pare agora! Continue lendo a crítica, pois colocando os estereótipos e preconceitos de lado, posso lhes garantir que definitivamente não se trata de um presente de grego!

Em dezessete faixas e quase uma hora de instrumental, Katsionis nos apresenta composições dinâmicas, pujantes, com temas verdadeiramente inesquecíveis e um som maravilhoso de seu instrumento principal e também da guitarra. A técnica elevada, em ambos, nem passa perto de se constituir num empecilho para a acessibilidade, e grude de cada faixa. "Planeterium", "Omega", "Enhanced Fear", "Automatic World Science", apenas para citar algumas músicas, não me saem da cabeça desde que as ouvi.

Dentre as influências, ele cita Keith Emerson, Kevin Moore, Jeff Waters, Rush, Pantera, Paradise Lost e Enchant. Imagine a miscelânea disso. Exato, você acaba de alcançar a bússola que direciona "Turn Of My Century". Criatividade, progressividade, e uma pegada rocker, a qual me possibilita chamá-lo de Satriani ou Steve Morse dos teclados, principalmente pela questão temática e do fraseado. Fica na memória, e é, - dentro de limites, claro - popular e bom de se ouvir a qualquer momento.

Apesar de ter sim, e é claro, prioridade total aos teclados, fique tranqüilo, uma vez que passar entediado por essas gravações será impossível. Chega a entusiasmar, apesar da notória possibilidade de evolução e surpresas ainda maiores.

Site Oficial - http://www.lionmusic.com/Katsionis.htm

Formação:
Bob Katsionis (Teclados - Guitarras)
Jimmy B. (Baixo)

Material cedido por:
Lion Music - http://www.lionmusic.com
Box 19 Godby 22 411
Aland FINLAND
Email: info@lionmusic.com
Fax - 35818 41551




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Bob Katsionis"


Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palcoBandas Novas
10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco

AC/DC: A origem do nome da bandaAC/DC
A origem do nome da banda


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336