Metal Addicts: lançamentos de 2017 que valem a pena conferir

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ivison Poleto dos Santos, Fonte: Metal Addicts
Enviar correções  |  Ver Acessos

Aqui vão alguns lançamentos recentes de 2017 que resenhamos na página Metal Addicts. A lista é bem variada e merece uma ouvida com cuidado.

Separados no nascimento: Paul McCartney e Kiko do ChavesKrisiun: banda lista os 5 picos mais demoníacos do Brasil

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

FreaKings - Toxic End

Raiva! Muita raiva! É isso que o FreaKings nos passa com "Toxic End". Thrash Metal para bater as cabeças com vontade.

Kaledon - Carnagus (Emperor Of The Darkness)

Eu confesso que estava um pouco de ovo virado com as bandas de power metal até ouvir o Kaledon com "Carnagus (Emperor Of The Darkness)". Comecei a ouvir com má vontade, mas quando percebi estava cantarolando "The Two Bailouts".

Jenner - To Live Is To Suffer

Essa frase nietzchiana dá uma boa mostra desta banda de garotas que tocam um speed/thrash furioso. Destaque para a garganta maravilhosa que a vocalista Anđelina Mitić tem. Produção independente de boa qualidade.

Overtures - Artifacts

Eu simplesmente tenho ficado maravilhado com a qualidade do material que as bandas têm produzido ultimamente. Primeiríssima qualidade, mesmo as independentes. O Overture é uma banda que, além do ótimo material, mostra muita emoção e muita garra, mesmo pertencendo a um estilo que prima mais pela habilidade técnica, que eles têm de monte também.

Assistam o vídeo e percebam a finesse.

Hallow Point - Beyond Our Name

O negócio do Hallow Point com "Beyond Our Name" é metalcore, mas não se deixe levar por rótulos. A banda é boa, muito boa. Uma gritaria de primeira. Agressivos até o talo, enfim atitude Metal mesmo.

42 Decibel - Overloaded

A praia do 42 Decibel com "Overloaded" é o AC/DC. Isso fica claro desde o início. Mas não é só isso. Eles fazem um trabalho muito legal de recuperação de sonoridade com utilização de equipamentos da época para dar mais naturalidade ao seu som. Confiram!

Loathfinder - The Great Tired Ones

A intenção do Loathfinder com "The Great Tired Ones" é chocar. E isso não é nada fácil atualmente. O Loathfinder choca não somente com o death/doom de primeira que fazem, mas também pela temática pesada das letras. Muito mais horripilante que muitas letras satanistas porque se trata de realidade pura.

Alestorm - No Grave But the Sea

O Alestorm é uma banda surreal desde a escolha pela temática das músicas: a boa e velha pirataria, como pelos vídeos hilários. "No Grave But the Sea" tem sido bem muito sucedido mundialmente.

Atrexial - Souverain

Demorei um pouco para entender qual era a do Atrexial com "Souverain". Foram várias ouvidas até entender a banda. Mas valeu a pena. Metal extremo de primeira. Imagine um caos sonoro. Agora um caos sonoro organizado. É Atrexial com "Souverain".

The Unity - The Unity

O The Unity é formado por ex-integrantes do Gamma Ray: Michael Ehré (bateria) e Henjo Richter (guitarra). Imagine o Hammerfall com os vocais do Joe Linn Turner. É o The Unity. Sonoridade dos anos 1990 com vocais dos anos 1980. Para tocar nas rádios. E cantarolar sem vergonha.

Gökböri - Erlik

Acreditam em amor à primeira vista? Pois sim, existe! Gamei nessa banda logo de primeira. Power/thrash/speed Metal cantando em turco (!?!). Barulheira sem concessões e frescuras.

Onkalo - Onkalo

Não ouço punk rock há um bom tempo e Onkalo com "Onkalo" me fez perceber quanto tempo perdi. Uma pegada hardcore moderna, variada e furiosa como toda banda punk tem que ser. Isso é Onkalo. Recomendado a quem quer se atualizar com hardcore.

Wingless - The Blaze Within

As habilidades vocais contidas em Wingless - "The Blaze Within" me fizeram repensar vários conceitos que eu tinha sobre o famigerado metalcore, ou metal moderno. Wingless com "The Blaze Within" é uma obra-prima do começo ao fim graças à variedade sonora que eles imprimem neste trabalho. O Wingless me fez crer que realmente vale a pena repensar os conceitos.

Running Death - DressAge

Dificilmente eu discordo com a auto-rotulação das bandas. Mas tive que discordar do Running Death. Sua música é muito variada, muito bem tocada, muito bem cuidada e muito bem feita para caber no simples rótulo thrash metal. Não saberia dizer qual, mas discordo.

Altair - Descending: A Devilish Comedy

O Altair com Descending: A Devilish Comedy me fez ver que o power metal é o similar contemporâneo da ópera. A obra contém vários elementos de um ópera, e o melhor, com uma roupagem de power metal. Ficou supimpa!

Chaplin's Dream - Genesis

Imagine um Gentle Giant furioso, nervoso e furioso com toques de guitarra muito próximos ao Black Sabbath. Este é o Chaplin's Dream com Genesis. Mais uma prova viva da diversidade e qualidade das bandas de Metal atuais.

Formicarius - Black Mass Ritual

Black metal sinfônico tocado com afinação padrão. Esse é o Formicarius com Black Mass Ritual. Toda a fúria, densas atmosferas, imaginário cruel das bandas de black metal com uma roupagem mais próxima ao Heavy Metal. Ficou bom, muito bom.

MRTVI - Negative Atonal Dissonance

Um grupo de malucos experimentando todas as fronteiras do black metal. Cru, visceral e ao mesmo tempo experimental. Para quem conhece a arte negra, ou para quem está a fim de conhecer.

Apophanous - Obliteration Has Come

Esta é uma leva bastante promissora de thrash metal. Apophanous com "Obliteration Has Come" aposta na variedade de vocais, que estão muito caprichados. Mais que isso, o Apophanous aposta na variedade. Guitarras também bem variadas e caprichadas.

Scattered Hamlet - Swamp Rebel Machine

Uma máquina de rock pesado. É isso o que Scattered Hamlet mostra com Swamp Rebel Machine. A banda fez bem o dever de casa em termos de citações de influências de rock pesado. Além, é claro de uma atitude "Guns N' Roses" no início de carreira.

Kaleido - Experience

Uma banda com guitarras caprichadas nas distorções de amplificador uma vocalista que canta como Geddy Lee em começo de carreira. Uma releitura bastante interessante de sons dos anos 1960 e 1970 com uma pegada de rock moderno.

The Forbidden Ritual - Tearfrost

Bandas como o The Forbidden Ritual mostram que o Metal está bem vivo e evoluindo a olhos vistos. O trabalho de contrastes musicais realizado por estes caras é surpreendente. Death Metal melódico acima da média.

Gravewards - Subconscious Lobotomy

Brutal, técnico e hipnótico. Este é o Gravewards com "Subconscious Lobotomy". E eu adicionaria honesto também porque percebe-se que a banda faz o som que gosta. E isso conta muito.

Virtual Symmetry - Message to Eternity

Banda de prog metal às vezes mais prog que metal, outras vezes mais metal que prog. Produção e composição caprichadas. Músicas complexas, densas, que contam histórias é o Virtual Symmetry nos apresenta com "Message to Eternity". Para mudar os conceitos de quem acha prog metal chato.

Hexhammer - Hexhammer

Speed Metal Hell está de volta! Isso é o que nos diz o Hexhammer com o autointitulado álbum Hexhammer. Guitarras, baixos e baterias velozes, uma boa pitada de punk rock e vocais irados. Uma produção crua, mas eficiente que mostra que ser virtuoso em seus instrumentos não é tudo.

Attic - Sanctimonious

Para quem gosta de álbuns conceituais que apostam numa história que perpassa um álbum inteiro é o que nos diz Attic com Sanctimonious. Composições muito caprichadas contando detalhadamente a história de Alice, uma noviça de 21 anos internada em um convento nada convencional.

Vulture - The Guillotine

Eu não falei que o Speed Metal Hell estava de volta? A prova viva é o com "The Guillotine". Uma produção precisa e afiada como o título do álbum. Uma banda para ser lembrada.

As resenhas completas podem ser lidas no endereço www.metaladdicts.com.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por escolha do autor os comentários foram desativados nesta nota.


Todas as matérias da seção Matérias

Separados no nascimento: Paul McCartney e Kiko do ChavesSeparados no nascimento
Paul McCartney e Kiko do Chaves

Krisiun: banda lista os 5 picos mais demoníacos do BrasilKrisiun
Banda lista os 5 picos mais demoníacos do Brasil


Sobre Ivison Poleto dos Santos

Veterano das guerras metálicas. Pesquisador, escritor, resenhista, músico frustrado (por isso tudo o anterior). Ao contrário da opinião comum, acho que o melhor do Metal ainda está por vir e que existem grandes bandas novas por aí. Só procurar. No meu caso elas vêm até mim.

Mais matérias de Ivison Poleto dos Santos no Whiplash.Net.

Goo336x280