Linkin Park x Slayer: A ousadia de inovar ou a eterna zona de conforto?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rafael Testa
Enviar correções  |  Comentários  | 

Com a proximidade do Maximus Festival, vejo muitas pessoas subestimando o Linkin Park e questionando, inclusive, sua posição como headliner. O Linkin Park é uma das bandas mais populares do mundo: tem bilhões de visualizações em suas músicas no youtube e serviços de streaming em geral e é headliner dos maiores festivais do mundo.

233 acessosMetal Hammer: As 22 melhores músicas old-school do Thrash Metal5000 acessosAstros mortos: como estariam alguns se ainda estivessem vivos?

Muitos ainda questionam a sonoridade de banda. Além de popularidade, o Linkin Park tem um poder de se reinventar poucas vezes vista na música (vai ter muito mimimi, mas é verdade). A banda não tem medo de arriscar. Em entrevista já assumiram que "perdem fãs intencionalmente no caminho", deixando claro que valorizam a liberdade criativa e que são felizes desta forma, mostrando uma criatividade invejável. Cada álbum é uma sonoridade, uma surpresa, um novo Linkin Park. Para o bem ou para o mal, a banda está sempre surpreendendo seus fãs e acrescentando para a música uma nova cara.

Abaixo, In The End (Hybrid Theory - 2000), The Catalyst (A Thousand Suns - 2010) e Rebellion (The Hunting Party - 2014)

Majoritariamente, os fãs que mais estão reclamando da presença do Linkin Park no Maximus Festival são os da banda Slayer. Uma banda renomada no thrash mundial que dispensa apresentações. Curiosamente, os fãs de thrash são os mais resistentes à mudanças. Podem reparar que mesmo com o Metallica, a maior banda de metal do mundo, são extremamente ofensivos quanto às mudanças da banda americana através do tempo.

O Slayer sempre seguiu o roteiro do thrash. As inovações da banda beiram o zero, os álbuns se repetem através dos anos com outras letras, mas a fórmula funciona com os fãs do Thrash Metal, que continuam seguindo a banda ferrenhamente. Existem, inclusive, paródias na internet zombando da repetitividade não só do Slayer, mas das bandas thrash em geral. Talvez o medo de não seguir a cartilha imposta pelos fãs limitem a arte destas bandas ou as próprias bandas se acomodem na aceitação dos fãs. De uma coisa é certa: criativamente é uma pena.

Abaixo, Black Magic (Show No Mercy - 1983), Angel of Death (Reign in Blood - 1986) e World Painted Blood (World Painted Blood - 2009)

Se reinventar ou se manter fiel à mesma sonoridade? O que você prefere? Eu estou do lado do respeito.

Agradecimento à Stephanie Loureiro pela arte.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

SlayerSlayer
Moshpit proibido em show nas Filipinas

233 acessosMetal Hammer: As 22 melhores músicas old-school do Thrash Metal118 acessosEm 04/08/2006: Slayer lança o álbum Christ Illusion73 acessosEm 16/11/1984: Slayer lança o álbum ao-vivo Live Undead53 acessosEm 03/11/2009: Slayer lança o álbum World Painted Blood0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Slayer"

Phil AnselmoPhil Anselmo
5 discos essenciais em sua coleção

SlayerSlayer
Tom Araya ensinando filhos a ouvir heavy metal

Papai TruezãoPapai Truezão
Astros do Heavy Metal em fotos com seus filhos

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Slayer"0 acessosTodas as matérias sobre "Linkin Park"


Astros mortosAstros mortos
Como estariam alguns se ainda estivessem vivos?

ACDCACDC
A história do nome e a idéia do uniforme de Angus

Mulheres no RockMulheres no Rock
As mais importantes segundo rádio inglesa

5000 acessosPantera: "odiei gravar Cowboys From Hell", diz Phil Anselmo5000 acessosMetallica: Ulrich comenta sobre seu maior erro5000 acessosLars Ulrich: As mulheres da vida do baterista5000 acessosErros e Quedas of The Beast: as vídeo cacetadas do Iron Maiden5000 acessosMetallica: fã se emociona ao conhecer Lars Ulrich5000 acessosIron Maiden: o que Eddie faz quando não está no palco?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 18 de abril de 2017


Sobre Rafael Testa

Nascido em Juiz de Fora, Minas Gerais, tem 23 anos, é estudante de sistemas de informação e torcedor fanático do Vasco da Gama e do Tupi Football Club. Se interessou por rock/metal depois do grande tio Roney mostrar-lhe o Iron Maiden. Tem o gosto musical muito variado, curte do thrash metal do Slayer ao metalcore do All That Remains. Acredita que existem bandas boas atualmente e faz questão de apresentá-las.

Mais matérias de Rafael Testa no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online