Festivais: A História Contada Desde Os Primórdios - Anos 60

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leandro Da Silva Rico, Fonte: Sites oficiais e Wikipedia
Enviar correções  |  Comentários  | 

A história do rock e da música em geral está repleta de grandes festivais, com inúmeras bandas que marcaram época ou continuam marcando até hoje. Tanto no Brasil e na América do Sul quanto na Europa e nos Estados Unidos. Faremos aqui um resumo histórico desses festivais que ficaram nas nossas memórias afetivas, seja porque estivemos lá ou porque cansamos de assistir aquelas velhas fitas de vídeo com imagens cuja qualidade, nos dias de hoje, seriam inaceitáveis para a atual geração.

Tendo sido ali o início de tudo, tivemos no final dos anos 60, nos primórdios da história portanto, os mais que seminais festivais de WOODSTOCK (EUA/69), da ILHA DE WIGHT (UK/68/69/70) e de MONTEREY (67), praticamente na sequência e com muitas bandas em comum, organização quase inexistente muito na base do improviso e do "lidaremos com as situações conforme elas acontecerem".

Em 1970 tivemos a primeira edição do PINKPOP FESTIVAL, realizado na Holanda, e que é reconhecido pelo "Guiness Book" como "O Festival Anual (de forma ininterrupta) Mais Antigo Do Mundo".

Nos anos 70 tivemos o mais que histórico CALIFORNIA JAM, que reuniu bandas do quilate de DEEP PURPLE, BLACK SABBATH (que ainda não era "grande" na América) e ELP (EMERSON, LAKE & PALMER), um festival cercado de histórias curiosas que teve uma segunda edição de menor sucesso. O primeiro e original MONSTERS OF ROCK em 1980, criado especialmente para que o RAINBOW (banda de RITCHIE BLACKMORE à época, famoso guitarrista do DEEP PURPLE original) fosse o headliner, e que curiosamente já havia sido adiado justamente para que a banda fizesse a transição com seus novos integrantes, uma vez que DIO havia saído da banda e sido substituído por GRAHAM BONNET nos vocais.

Nasceram os grandes festivais ingleses, como o próprio MONSTERS OF ROCK, que se estabeleceu no circuito de Donington Park antes de se tornar uma "franquia itinerante", tendo tido inclusive versões no Brasil e na Rússia (esta uma das maiores platéias da história), e os festivais de READING, GLASTONBURY e KNEBWORTH.

Já nos anos 80, no auge do "rock de arena" ou do "rock hollywoodiano" (com muita maquiagem, glitter, gel, mullets, cabelos armados, roupas colantes e coloridas), pipocaram grandes festivais de Hard Rock por todo os Estados Unidos, caso do US FESTIVAL (82/83). Na Europa debutava o holandês DYNAMO OPEN AIR (86), o segundo maior festival europeu depois do alemão WACKEN OPEN AIR (90). Tivemos ainda o inesquecível LIVE AID (85), que marcou as reuniões do BLACK SABBATH original e do LED ZEPPELIN. Não podemos esquecer jamais do primeiro e um dos mais espetaculares festivais de todos os tempos que ocorreu aqui mesmo em "terra brasilis", o maravilhoso ROCK IN RIO (85), um festival que teve as principais bandas clássicas de pelo menos 2 gerações, e que ao mesmo tempo teve uma organização extremamente primária (ainda estávamos aprendendo, né?) e que chegou a usar a iluminação de palco emprestada pela banda QÜEEN, que estava em turnê mundial. Foi certamente o pontapé inicial em termos de Brasil.

No final dos anos 80 e início dos 90 tivemos o grande "boom" dos festivais de arena, e alguns deles se estabeleceram nessa época, caso do HOLLYWOOD ROCK (que já havia tido uma versão não-oficial em 1975, idealizada pelo jornalista NÉLSON MOTTA), que teve uma edição inesquecível encabeçada pelos ROLLING STONES, e que infelizmente após várias edições ficou apenas na memória. Nesse período os shows e festivais alcançaram países até então "impenetráveis" por conta da extinta "cortina de ferro". Tivemos o grande MOSCOW MUSIC PEACE FESTIVAL (89), na Rússia, em pleno estádio de Leningrado, local onde as tropas do exército vermelho faziam exercícios militares e que foi usado como campo de prisioneiros e refugiados da Segunda Guerra Mundial, inclusive muitos militares estavam presentes no show. Tivemos a segunda edição do ROCK IN RIO (91), com alguns shows memoráveis também, com bandas no seu auge, casos do SEPULTURA "clássico", do JUDAS PRIEST na tour do igualmente inesquecível "Painkiller" e do MEGADETH na tour do "Holy Wars..." Falar mais o que??? Aconteceu também a proliferação dos festivais europeis, hoje em dia os temos às pencas, assim como outros que aconteceram (e depois sumiram) por aqui também.

Destaque também para o surgimento, à partir dos anos 90, dos festivais itinerantes que atravessam o país durante o verão americano, casos do LOLLAPALOOZA e do OZZFEST, organizados respectivamente por PERRY FARREL (vocalista do JANE'S ADDICTION) e OZZY OSBOURNE e sua esposa e empresária SHARON.

O início de tudo:

Monterey Pop Festival:

The Monterey International Pop Music Festival. O primeiro grande festival de rock da história. Considerado o ínicio do "Verão do Amor" hippie e conseqüentemente o início de uma das festividades mais difundidas e prazerosas que se tem notícia no mundo moderno. Aconteceu entre os dias 16 e 18 de junho de 1967, na Monterey County Fairground, em Monterey, California, com um público de mais de 200 mil pessoas naquele que seria o pontapé inicial de um evento desse porte em todos os sentidos.

Além dos produtores havia também uma "comissão organizadora" composta de integrantes dos BEATLES, BEACH BOYS e THE MAMAS & THE PAPAS. PAUL MCCARTNEY, inclusive, foi o responsável por agendar o que seria a primeira apresentação de JIMI HENDRIX nos Estados Unidos. Foi também a estréia americana de JANIS JOPLIN, THE WHO e OTTIS REDDING, que morreria tragicamente poucos meses depois.

Tudo era novidade ali, havia executivos de gravadoras na platéia e a maioria das bandas ganhou contratos de gravação após as apresentações. Alguém já ouviu falar de caça-talentos em eventos dessa proporção nos dias de hoje ?

Nomes de puro peso na história do rock estavam nesse seminal acontecimento musical. Foram eles : ERIC BURDON & THE ANIMALS, SIMON GARFUNKEL, JOHNNY RIVERS, JANIS JOPLIN (com a BIG BROTHER & THE HOLDING COMPANY), STEVE MILLER BAND, THE BYRDS, JEFFERSON AIRPLANE, OTTIS REDDING, BUFFALO SPRINGFIELD, THE WHO, JIMI HENDRIX, GRATEFUL DEAD e THE MAMAS & THE PAPAS.

Destaque negativo para a não-apresentação do Beach Boys, devido à recusa de seu vocalista CARL WILSON de se apresentar. MONTEREY serviu de parâmetro para que o grande WOODSTOCK acontecesse.

No finalzinho dos anos 60 aconteceram aqueles que se não foram os primeiros foram os que inspiraram tudo e serviram de parâmetro, WOODSTOCK e ILHA DE WIGHT.

Já havia acontecido outros festivais do "Verão do Amor", como o MONTEREY POP FESTIVAL, mas WOODSTOCK (e seu co-irmão da ILHA DE WIGHT) foi certamente o grande festival daquela geração e talvez de todos os tempos.

Woodstock:

O bom e velho Woodstock. Quem foi não esquece. E nem quem não foi. WOODSTOCK MUSIC & ART FAIR, ou simplesmente Festival de Woodstock, foi realizado entre os chuvosos dias 15 e 18 de agosto de 1969 numa fazenda na cidade rural de Bethel, no estado de Nova York. Anunciado como "Uma Exposição Aquariana: 3 Dias De Paz & Música", deveria ter acontecido na cidade de Woodstock, onde moravam músicos como BOB DYLAN, mas com a recusa por parte da população foi levado para Bethel, também em Nova York, a 1 hora e meia de distância. 450 mil pessoas compareceram, cerca de 10 vezes mais que o esperado, o que causou caos total. Mais de 30 atrações num festival que registrou de tudo, desde morte por overdose até partos. Sim, partos ! O país estava em plena guerra do Vietnã e vivia o auge dos ideais da contracultura e o festival foi uma das maneiras encontradas para se fazer um protesto pacífico e difundir os ideais de vida em comunidade, talvez por isso uma "tragédia anunciada" não tenha de fato acontecido.

Os principais nomes do festival foram : THE WHO, GRATEFUL DEAD, CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL, SANTANA, JEFFERSON AIRPLANE, JOE COCKER, os irmão JOHNNY e EDGAR WINTER, CROSBY,STILLS,NASH & YOUNG e os imortais JIMI HENDRIX e JANIS JOPLIN.

Nomes importantes chegaram a recusar o convite, gente como BEATLES (com a iminente separação do grupo, JOHN LENNON preferia se apresentar sozinho com a PLASTIC ONO BAND, banda de YOKO ONO), THE DOORS, LED ZEPPELIN, JETHRO TULL, THE BYRDS, JONI MITCHELL, MOODY BLUES e BOB DYLAN (que inclusive chegou a aparecer no pôster original do festival).

Em 1994, para comemorar os 25 anos do festival, foi realizado o WOODSTOCK '94, na cidade de Saugerties, a 135 km de Nova York. Se apresentaram importantes nomes da história do festival como SANTANA e JOE COCKER, ao lado do ícone do GENESIS original, PETER GABRIEL, e de importantes bandas contemporâneas como RED HOT CHILLI PEPPERS, METALLICA e AEROSMITH, que foram as atrações principais.

Já em 99, no que seria a celebração pelos 30 anos, violência e distúrbios supostamente gerados pelas bandas LIMP BIZKIT e KID ROCK acabaram com a reputação de "Festival Da Paz E Do Amor", tendo sido essa, de forma melancólica, a última edição do festival.

Ilha De Wight:

Versão inglesa de Woodstock, mas que na verdade aconteceu primeiro, ganhou maior destaque porque sua segunda edição aconteceu poucos dias depois de Woodstock. Ocorreu originalmente entre 68 e 70, em diferentes cidades da Inglaterra, e foi retomado em 2002, no Seaclose Park, na cidade de Newport, tendo se tornado um evento anual desde então.

No dia 31 de agosto de 68, na primeira edição, ocorrida na cidade de Ford Farm com aproximadamente 10 mil pessoas, tivemos os shows do T.REX e do PRETTY THINGS, e como atração principal o saudoso JEFFERSON AIRPLANE.

Nos dias 30 e 31 de agosto de 69, poucos dias depois de Woodstock, na cidade de Wootton, tivemos a segunda edição, já com cerca de 150 mil pessoas e com mais atrações que a versão original. Os destaques foram THE BAND, JOE COCKER, FREE e novamente o PRETTY THINGS, com BOB DYLAN e THE WHO como atrações principais.

No ano seguinte o evento ocorreu na cidade de Afton Down, e com o aumento para 5 dias de festival tivemos mais de 600 mil pessoas, sem contar o grande aumento no número de atrações. Tivemos ao longo do festival bandas como SUPERTRAMP, FREE, JONI MITCHELL, TEN YEARS AFTER, ELP (EMERSON, LAKE & PALMER), MOODY BLUES, JETHRO TULL, e como headliners nomes do quilate de PROCOL HARUM, THE DOORS, THE WHO, JIMI HENDRIX e JOAN BAEZ.

As principais atrações do revivido festival nos anos 2000 foram : ROBERT PLANT e THE CHARLATANS (2002), PAUL WELLER, BRYAN ADAMS e IGGY POP (2003), DAVID BOWIE, THE WHO e STEREOPHONICS (2004), R.E.M. e TRAVIS (2005), PRODIGY, FOO FIGHTERS e COLDPLAY (2006), ROLLING STONES, SNOW PATROL e MUSE (2007), KAISER CHIEFS, SEX PISTOLS e THE POLICE (2008), PRODIGY, STEREOPHONICS e NEIL YOUNG (2009), JAY-Z, PAUL MCCARTNEY e THE STROKES (2010), e KINGS OF LEON e FOO FIGHTERS (2011).

Em 2012 como principais atrações : TOM PETTY & THE HEARTBREAKERS, PEARL JAM e BRUCE SPRINGSTEEN & THE E-STREET BAND.

Miami Pop Festival:

Realizado originalmente nos dias 18 e 19 de maio de 1968 no Gulfstream Park, um hipódromo em Hallandale, Florida (agora chamado de Hallandale Beach), ao norte de Miami, esse festival teve uma segunda edição em dezembro do mesmo ano, entre os dias 28 e 30, algo inusitado em termos de um evento desse porte.

Produzido por Michael Lang, que pouco depois ficaria famoso por produzir o festival de Woodstock, o evento reuniu cerca de 100 mil pessoas na ensolarada Florida e teve grandes nomes em sua escalação: STEPPENWOLF, JIMI HENDRIX EXPERIENCE, FRANK ZAPPA & THE MOTHERS OF INVENTION, CHUCK BERRY e THREE DOG NIGHT.

Na segunda edição, realizada no mesmo local, tivemos PROCOL HARUM, THREE DOG NIGHT, FLEETWOOD MAC, JONI MITCHELL, STEPPENWOLF, IRON BUTTERFLY, CHUCK BERRY, GRATEFUL DEAD e MARVIN GAYE. Uma curiosidade sobre essa segunda edição é que um gibi com muitos dos músicos do festival caracterizados como super-heróis foi produzido e distribuído durante o festival, o que virou um importante item de memorabilia entre os fãs.

Altamont Speedway Free Concert:

O destaque negativo da década. (Mal) Organizado e encabeçado pelos ROLLING STONES, era pra ter ficado conhecido como o "Woodstock Do Oeste" por ser realizado na Costa Oeste Americana quatro meses após Woodstock.

À princípio seria realizado no Golden Gate Park, onde ficava o estádio do San Francisco 49's, time de futebol americano de San Francisco, mas uma partida da equipe ocasionou a primeira mudança de local. A segunda escolha foi o Autódromo de Sears Point, porém uma disputa com o proprietário sobre direitos de imagem ocasionou (já de última hora) mais uma mudança de local, sendo escolhido por fim o Autódromo de Altamont Speedway, no norte da Califórnia. O show ocorreria no sábado dia 6 de dezembro de 1969, e a mudança definitiva de local aconteceu somente na noite de quinta dia 4.

Cerca de 300 mil pessoas compareceram (tratava-se de um festival gratuíto) num local totalmente improvisado, sem cabines de banheiro ou tendas de enfermaria adequadas. Para fazer a segurança (entenda-se por segurança sentar em volta do palco e tomar cerveja) foi contratada a gangue de motoqueiros Hell's Angels, por sugestão da banda GRATEFUL DEAD, que já os havia contratado antes, assim como os próprios ROLLING STONES, e o pagamento acordado entre as partes foi nada menos que 500 dólares em cerveja gelada para tomarem até o fim do show. Tudo que eles tinham que fazer era ficar entre o palco e a platéia pra que ninguém o invadisse, dessem informações sobre direções e evitassem extremos como assassinatos e estupros. Quando os shows começaram os motoqueiros já se encontravam altamente embriagados e grande parte da platéia alucinada com LSD e anfetaminas. Pipocaram brigas entre a platéia e consequentemente entre a platéia e os integrantes do Hell's Angels, muita violência e agressão, garrafas voando. MARTY BALIN, integrante do JEFFERSON AIRPLANE, chegou a levar um soco na cabeça de um dos "Angels" e desmaiou em pleno palco, como pode ser visto no documentário oficial sobre o festival.

Pessoas morreram, 3 acidentalmente e 1 assassinato confirmado, que sem querer acabou também registrado no documentário que estava sendo filmado. Entre 4 e 5 mil pessoas ensandecidas queriam invadir o palco passando pelos motoqueiros, que para se defenderem se armaram com correntes de moto, ferramentas e garrafas quebradas. Um fã completamente fora de si sacou um revólver e se dirigia ao palco durante o show dos ROLLING STONES (que já tinham tido de interromper o show algumas vezes para pedir calma) quando um dos motoqueiros o desarmou com uma das mãos e o esfaqueou com a outra, matando-o no local. A banda GRATEFUL DEAD, que tocaria antes dos ROLLING STONES, se recusou a tocar nesse clima e já tinha até ido embora quando os STONES subiram no palco.

Um triste final para um festival que tinha tudo pra entrar pra história pela porta da frente. A escalação das bandas foi espetacular, com a nata da época : SANTANA, JEFFERSON AIRPLANE, THE FLYING BURRITO BROTHERS (que era muito popular nos Estados Unidos nessa época), CROSBY,STILLS,NASH & YOUNG, e ROLLING STONES, com a desistência do GRATEFUL DEAD.

Pinkpop Festival / Pinkpop Classic:

Realizado na cidade holandesa de Landgraaf (230km ao sul de Amsterdam), no Landgraaf Megaland Park (um terreno de 27 hectares que foi no passado uma pista de corridas), esse festival é reconhecido pelo "Guiness Book Dos Recordes" como o festival anual mais antigo da história, o único de forma ininterrupta. É um festival de três dias que ocorre no fim de semana de Pentecostes (o "Pinksteren"), com uma audiência média de 60 mil pessoas por dia. Até hoje cerca de 1,8 milhão de pessoas visitaram o festival para assistir mais de 500 bandas, tendo lotação máxima em 20 edições.

A origem do nome é uma junção de uma palavra inglesa e outra holandesa, e têm duas explicações : A primeira é que seria uma união de uma palavra do idioma holandês, "Pink" (que vem de Pentecostes, do holandês "Pinksteren") com a palavra do idioma inglês "Pop" (Pop Rock), e a segunda é que seria a união da palavra oriunda do inglês "Pink" (cor-de-rosa) com a palavra holandesa "Pop" (que significa boneca), e seria essa segunda a origem do logotipo do festival, uma boneca usando um vestido rosa.

Sua primeira edição aconteceu em 18 de maio de 1970 na cidade de Geleen (hoje parte do município de Sittard-Geleen) na segunda-feira seguinte ao fim de semana de Pentecostes, e teve uma escalação formada apenas por bandas nacionais, com o GOLDEN EARRING como atração principal.

Em 1986 a organização do festival iniciou uma parceria com a Mojo Concerts, empresa líder em organização de shows da Holanda, para competir em igualdade de condições com os shows e festivais realizados em estádios, uma tendência crescente à partir dos anos 80. No ano seguinte, antes de se firmar na cidade de Landgraaf, houve uma única edição (extremamente chuvosa) na cidade de Baarlo.

Em 2007 tivemos uma segunda versão do festival, que se tornaria um evento anual, no dia 11 de agosto, que foi batizada de PINKPOP CLASSIC, destinada a um público mais velho, com bandas que estiveram presentes no festival em décadas passadas. Em sua edição comemorativa de 40 anos, em 2009, tivemos uma inédita escalação de headliner, com BRUCE SPRINGSTEEN & THE E-STREET BAND fazendo pela primeira vez em sua carreira uma apresentação como banda principal de um festival europeu, o que se tornaria corriqueiro para o veterano músico americano desde então.

O festival possui um mercado próprio, assim como um jornal oficial feito em parceria com a revista mensal "Livexs" e com o jornal "Metro". A organização trabalha junto com importantes instituições de caridade e em 2008 foi premiado com o "Green & Clean Award", por implementar importantes medidas a favor do meio-ambiente. O evento é transmitido pela rádio e TV pública há 35 anos, e desde a vigésima-quinta edição é transmitido ao vivo por várias emissoras de rádio e TV privadas, sendo também transmitido via internet já há vários anos.

Tivemos ao longo desses quase 41 anos edições históricas com todas as grandes atrações que um festival desse porte tem direito. Aqui vão algumas das principais : GOLDEN EARRING (70), FLEETWOOD MAC e FOCUS (71), ARGENT e FOCUS (72), JEFF BECK (73), STATUS QUO (74), JACK BRUCE BAND e NAZARETH (75), URIAH HEEP (76), THE KINKS e TOM PETTY AND THE HEARTBREAKERS (77), THINN LIZZY e JOURNEY (78), RUSH, PETER TOSH, ELVIS COSTELLO, THE POLICE e DIRE STRAITS (79), VAN HALEN (80), U2, MICHAEL SCHENKER GROUP e UB40 (81), ZZ TOP (82), SIMPLE MINDS, GARY MOORE e MEN AT WORK (83), JIMMY CLIFF, MARILLION, DIO e PRETENDERS (84), YNGWIE MALMSTEEN (85), THE CURE e THE CULT (86), LOU REED e IGGY POP (87), JOE COCKER e RED HOT CHILLI PEPPERS (88), R.E.M., JEFF HEALEY BAND e ELVIS COSTELLO (89), THE MISSION e RED HOT CHILLI PEPPERS (90), LENNY KRAVITZ e LIVING COLOUR (91), LOU REED, THE CULT, PEARL JAM e DAVID BYRNE (92), BLACK CROWES (93), RAGE AGAINST THE MACHINE (94), TYPE-O-NEGATIVE, DANZIG e BAD RELIGION (95), RADIOHEAD, PRODIGY, RAGE AGAINST THE MACHINE e SEPULTURA (96), LIMP BISKIT (97), EAGLE-EYE CHERRY e DEFTONES (98), ROBBIE WILLIAMS (99), OASIS e PEARL JAM (2000), RADIOHEAD e LIMP BISKIT (2001), SYSTEM OF A DOWN e LENNY KRAVITZ (2002), THE CARDIGANS e QUEENS OF THE STONE AGE (2003), BLACK EYED PEAS, LENNY KRAVITZ e FRANZ FERDINAND (2004), CHEMICAL BROTHERS, PRODIGY e GOLDEN EARRING (2005), RED HOT CHILLI PEPPERS, FRANZ FERDINAND, SOULFLY, DEFTONES, MORRISSEY e PAUL WELLER (2006), SMASHING PUMPKINS, LINKIN PARK, ARCTIC MONKEYS, IGGY POP & THE STOOGES e MARILYN MANSON (2007), METALLICA, RAGE AGAINST THE MACHINE, QUEENS OF THE STONE AGE, CAVALERA CONSPIRACY, FOO FIGHTERS e BAD RELIGION (2008), BRUCE SPRINGSTEEN & THE E STREET BAND (2009) e GREEN DAY, PRODIGY, JOHN MAYER e RAMMSTEIN (2010).

O PINKPOP CLASSIC já teve 4 edições com destaques de STATUS QUO, MARILLION e WISHBONE ASH (2007), UB40, GOLDEN EARRING e FISH (vocalista original do MARILLION) (2008), SIMPLE MINDS e LIVING COLOUR (2009) e GARY MOORE, THE CULT e THE STOOGES (2010) e FOO FIGHTERS, KINGS OF LEON e COLDPLAY (2011).

Em 2012: LINKIN PARK, THE CURE e BRUCE SPRINGSTEEN & THE E-STREET BAND em mais uma edição especial desse festival da era dourada da história.

Montreux Jazz Festival:

Mais conhecido festival suiço e um dos mais conhecidos do mundo, inclusive imortalizado na famosa música "Smoke On The Water" do DEEP PURPLE (que encabeçaria o festival 6 vezes), foi fundado por Claude Nobs (que continuou como seu principal organizador até 2008) em 1967, num festival de 3 dias no Cassino de Montreux. Inicialmente contava apenas com músicos de jazz, no entanto à partir dos anos 70 passou a contar com todos os estilos musicais (inclusive brasileiros) e hoje dura cerca de 2 semanas e atrai mais de 200 mil pessoas todos os anos. Realizado no início de julho em Montreux, às margens do Lago Geneva, é o segundo maior festival musical anual indoor (em local fechado) do mundo, atrás apenas do canadense "Montreal International Jazz Festival".

Em 1971 o cassino foi destruído por um incêndio causado por um fã que disparou com uma pistola sinalizadora em direção ao teto de palha durante uma apresentação de FRANK ZAPPA & THE MOTHERS OF INVENTION. Os membros do DEEP PURPLE estavam na platéia assistindo o show e dias depois compuseram "Smoke On The Water", um de seus maiores clássicos, que conta como foi essa história. O festival então migrou para outros auditórios em Montreux (como o Montreux Pavillon e o Centro de Convenções) até que em 75 pudesse retornar para o então reconstruído cassino. Em 73 os festivais de Montreux e Newport foram realizados simultaneamente no Centro de Convenções. Em 74 e 75 o festival teve 15 dias de duração, e em 77 chegou a ter 23 dias.

No final dos anos 70 e início dos 80 músicas de todas as culturas e continentes passaram a fazer parte do evento, e a música brasileira se tornou uma parte importante do festival, com os maiores músicos brasileiros tendo se apresentado por lá ao longo dos anos. Em 78 uma parceria com o São Paulo Festival trouxe uma atmosfera brasileira ao evento, com GILBERTO GIL inclusive tocando com outros músicos no terraço do Cassino. Em 1980 a cidade de Detroit, nos Estados Unidos, organizou um festival em parceria com Montreux que foi batizado de "Montreux-Detroit Jazz Festival". No ano seguinte o festival teve 17 dias de duração e teve um público até então recorde, com mais de 75 mil pessoas.

Muitos músicos se tornaram "figurinhas premiadas" ao longo dos anos, chegando a tocar quase que anualmente, sendo muitos destes brasileiros, casos de: JORGE BEN JOR, GILBERTO GIL, MILTON NASCIMENTO, PEPEU GOMES, DJAVAN, NEY MATOGROSSO, CARLINHOS BROWN, MORAES MOREIRA, JOÃO BOSCO, PARALAMAS DO SUCESSO e muitos outros. Foi criado inclusive nos últimos anos um evento batizado de "Noite Brasil !" para os artistas brasileiros "insurgentes" se apresentarem ao lado de nomes consagrados da nossa música. Entre os "gringos" recorrentes merecem destaque: B.B.KING (Este um dos que mais se apresentou em Montreux até hoje. Após se apresentar em anos alternados entre os anos 70 e 80, passou a se apresentar praticamente todos os anos à partir dos anos 90), MILES DAVIES (que teve um dos auditórios batizado com seu nome), VAN MORRISON, AL JARREAU, BUDDY GUY, MUDDY WATERS, MOODY BLUES, MARCUS MILLER, SANTANA, ELVIS COSTELLO, BOBBY MCFERRIN, JIMMY CLIFF, PASSPORT, DAVID SANBORN, RORY GALLAGHER, GEORGE BENSON, SOLOMON BURKE, GEORGE DUKE e todos os grandes músicos de Jazz e de Blues.

Com a expansão da World Music o produtor Quincy Jones chegou a co-produzir o festival de 91 a 93, incluindo a edição de aniversário de 25 anos, com 20 dias de duração, e shows de rock, blues, MILTON NASCIMENTO e MILES DAVIS. QUINCY seria presença constante no festival desde então.

Em 93, com o contínuo crescimento do festival, mudou-se para o Centro de Convenções de Montreux (que fica a 1km do cassino), com eventos menores ainda acontecendo no cassino. Os shows passaram a acontecer simultaneamente em 2 palcos principais (Stravinsky Auditorium e Miles Davis Hall) e um menor e mais intimista (o Montreux Jazz Cafe). Com a mudança de local o público médio passou de 75 mil nos anos 80 para 120 mil em 1994, e em 99 chegou a ter mais de 220 mil pessoas presentes.

No aniversário de 35 anos, em 2001, 4 noites de puro jazz foram organizadas por Claude Nobs no velho Cassino Montreux, numa volta ás raizes que trouxe todo o clima dos velhos clubes de jazz. Em 2008 Montreux homenageou os 75 anos do grande compositor, arranjador, maestro e produtor QUINCY JONES com um musical de 5 horas feito por mais de 60 músicos. Uma noite histórica e emocionante, e uma performance fantástica que reuniu muitos músicos lendários no Stravinski Auditorium.

Vários eventos paralelos gratuitos são produzidos e organizados pela fundação Montreux Jazz Festival Foundation 2 : Workshops, projeções de arquivo, e exibições e concertos no parque, na parte externa do centro de convenções. Há também as competições. São 3 competições internacionais : Shure Montreux Jazz Voice Competition (vocal), Gibson Jazz Guitar Competition (guitarra) e Bösendorfer Montreux Jazz Solo Piano Competition (piano solo), com um júri formado por profissionais e músicos mundialmente famosos para cada uma, e uma competição local : "The Tremplin Lémaniques", para revelar uma nova banda de jazz local.

Aqui estão alguns dos momentos mais marcantes do festival ao longo dos anos, lembrando ser este um festival que abrange todos os estilos musicais (tendo nascido voltado ao jazz) e aqui procuramos dar enfase ao rock e ao blues : CHARLES LLOYD QUARTET (67), BILL EVANS TRIO (68), TEN YEARS AFTER e COLOSSEUM (69), SANTANA (70), FRANK ZAPPA & THE MOTHERS OF INVENTION (71), CHUCK BERRY e MUDDY WATERS (72), JOAN BAEZ (73), BUDDY GUY/MUDDY WATERS & BILL WYMAN (74), RORY GALLAGHER (75), ERIC BURDON e WEATHER REPORT (76), BONNIE RAITT, RICK WAKEMAN e RORY GALLAGHER (77), JAN AKKERMAN, DIXIE DREGS e os brasileiros A COR DO SOM, GILBERTO GIL e PEPEU GOMES (78), RORY GALLAGHER, RICK WAKEMAN, STEVE HOWE, B.B.KING e HERMETO PASCHOAL (79), ELVIS COSTELLO, B.B.KING, SANTANA, STEVE HACKETT, JORGE BEN JOR e PEPEU GOMES (80), JAMES BROWN, STRAY CATS, MORAES MOREIRA e TOQUINHO (81), STEVIE RAY VAUGHAN, STEVE MILLER BAND, TALKING HEADS, B.B.KING, MILTON NASCIMENTO e GILBERTO GIL (82), FATS DOMINO, BUDDY GUY e JOHN LEE HOOKER (83), JOHNNY WINTER, B.B.KING e VAN MORRISON (84), STEVIE RAY VAUGHAN, RORY GALLAGHER, TOM JOBIM, JOÃO GILBERTO e PEPEU GOMES (85), ERIC CLAPTON/PHIL COLLINS & FRIENDS, JOHN MAYALL & THE BLUESBREAKERS, SIMPLY RED, DAVID SANBORN BAND e GILBERTO GIL & BAND (86), JOE COCKER, STEVE MORSE, PRETENDERS, THE PAT METHENY GROUP, B.B.KING e PARALAMAS DO SUCESSO (87), JAMES TAYLOR, GEORGE BENSON, JOE SATRIANI, CARLOS SANTANA/WAYNE SHORTER BAND, RITA LEE, LULU SANTOS e TITÃS (88), ELVIS COSTELLO, B.B.KING, JOAN BAEZ e PARALAMAS DO SUCESSO (89), GARY MOORE & ALBERT COLLINS, B.B.KING, LITTLE FEAT, ANDY SUMMERS GROUP, JACK DEJOHNETTE/HERBIE HANCOCK/DAVE HOLLAND/PAT METHENY GROUP e JORGE BEN JOR (90), ELVIS COSTELLO, STING, BLUES TRAVELLER, BONNIE RAITT, TOTO, ANDY SUMMERS, MOODY BLUES e GILBERTO GIL GROUP (91), ERIC CLAPTON, RINGO STARR AND HIS ALL STARR BAND, ANNIE LENNOX, SIMPLY RED, JOE COCKER e RITA LEE (92), ROBERT PLANT, SANTANA, JAMES BROWN e PARALAMAS DO SUCESSO (93), BOB DYLAN, MARCUS MILLER, PAUL RODGERS & FRIENDS (c/ JASON BONHAM e BRIAN MAY), RORY GALLAGHER, JORGE BEN JOR e CHICLETE COM BANANA (94), GARY MOORE, MARIANNE FAITHFULL, ICE-T (sozinho e com o BODYCOUNT), JAMES BROWN, BADEN POWELL e CHICO SCIENCE (95), DEEP PURPLE, ZZ TOP, SANTANA, ELVIS COSTELLO, LITTLE RICHARD e PHIL COLLINS & BIG BAND (96), "LEGENDS" (ERIC CLAPTON, MARCUS MILLER & DAVID SANBORN), GARY MOORE, ELP (EMERSON, LAKE & PALMER), SUPERTRAMP, GEORGE DUKE ALL-STARS, JEFF HEALEY BAND, DAVID BYRNE, GILBERTO GIL e JORGE BEN JOR (97), BOB DYLAN, JEFF BECK, JOHN MAYALL & THE BLUESBREAKERS, SANTANA, PHIL COLLINS, BOB GELDOF, JORGE BEN JOR e GILBERTO GIL (98), GARY MOORE, ELVIS COSTELLO, EDGAR WINTER (c/ RICK DERRINGER), EAGLE-EYE CHERRY, JEFF HEALEY BAND e R.E.M. (99), DEEP PURPLE, JOE SATRIANI, LOU REED, SONIC YOUTH, ROLLINS BAND e PARALAMAS DO SUCESSO (2000), ALANIS MORISSETTE, BOB DYLAN, GARY MOORE, BRIAN MAY, PAGE & PLANT, JEFF BECK, STING, BILL WYMAN BAND (com ALBERT LEE), LIVING COLOUR, NEIL YOUNG & CRAZY HORSE, RUN D.M.C., BLACK CROWES, MILTON NASCIMENTO & GILBERTO GIL, SKANK e JORGE BEN JOR (2001), DAVID BOWIE, PAUL SIMON, IKE TURNER, JOE SATRIANI, JOE COCKER, UB40, SOULFLY e SLAYER (!), além de JAMIROQUAI e O RAPPA (2002), JETHRO TULL, YES, KING CRIMSON, BONNIE RAITT, ZZ TOP, KROKUS, RADIOHEAD, SIMPLY RED, CHICO CÉSAR e CIDADE NEGRA (2003), DEEP PURPLE, STATUS QUO, PHIL COLLINS, SANTANA, CHEAP TRICK, NINA HAGEN, STEVE WINWOOD & BAND, BRYAN FERRY, JORGE BEN JOR e PARALAMAS DO SUCESSO (2004), ALICE COOPER, ELVIS COSTELLO, QUEENS OF THE STONE AGE, CROSBY,STILLS & NASH, AUDIOSLAVE, BRIAN WILSON e TOM ZÉ (2005), DEEP PURPLE, ROBERT PLANT, SANTANA, MORRISSEY, BRYAN ADAMS, SIMPLY RED, STING, IGGY POP & THE STOOGES, GILBERTO GIL, NEY MATOGROSSO e CARLINHOS BROWN (2006), PRINCE, HEAVEN & HELL, MOTÖRHEAD, B 52's, LIVING COLOUR, BEASTIE BOYS, JEFF BECK, FOREIGNER e ROGER RODGSON (2007), DEEP PURPLE, JOAN BAEZ, GARY MOORE, JOHN MAYALL & THE BLUESBREAKERS, SAXON, NAZARETH, PAUL SIMON, SHERYL CROW, LENNY KRAVITZ, MILTON NASCIMENTO/JOÃO BOSCO & TRIO JOBIN e GILBERTO GIL (2008), ALICE COOPER, STEVE WINWOOD, JOHN FOGERTY, STATUS QUO, JEFF BECK, CHICKENFOOT, GEORGE DUKE & CHAKA KHAN, WYCLEF JEAN e PRINCE (2009), PHILL COLLINS, ROXY MUSIC, GARY MOORE, BILLY IDOL, ELVIS COSTELLO, SIMPLY RED e MARK KNOPFLER (2010), SANTANA, B.B.KING, ARCADE FIRE, STING, PAUL SIMON, DEEP PURPLE & ORCHESTRA e JIMMY CLIFF (2011).

Em 2012 : IAN ANDERSON, LITTLE FEAT, ALANIS MORRISSETTE, NOEL GALLAGHER'S HIGH FLYING BIRDS, VAN MORRISON, BOB DYLAN, JOE BONAMASSA, CHRIS CORNELL, BOBBY MCFERRIN & CHICK COREA, GILBERTO GIL e JORGE BEN JOR.

Que Montreux seja um evento eterno, assim como Claude Nobs!

National Jazz Festival:

Entre os anos de 1961 a 1970 tivemos um mini-festival idealizado por Harold Pendleton (fundador do famoso Clube Marquee de Londres) que daria origem em 71 (após mudar algumas vezes de nome e local) ao famoso READING FESTIVAL. Suas duas primeiras edições foram exclusivamente dedicadas ao jazz, passando depois a encorporar o rock, seguindo o crescente apelo da juventude.

Edições de grande destaque ocorreram nessa década, são elas : ROLLING STONES e MUDDY WATERS (63), YARDBIRDS e ROLLING STONES (64), YARDBIRDS e THE ANIMALS (65), YARDBIRDS, THE WHO e CREAM (66), SMALL FACES e CREAM (67), T.REX e JETHRO TULL (68), PINK FLOYD e THE WHO (69), e CAT STEVENS e DEEP PURPLE (70).

E esses foram os anos 60.

3376 acessosFestivais: A História Contada Desde Os Primórdios - Anos 705000 acessosFestivais: A História Contada Desde Os Primórdios - Brasil5000 acessosFestivais: A História Contada Desde Os Primórdios - Anos 802020 acessosFestivais: A História Contada Desde Os Primórdios - Anos 90 (EUA)2193 acessosFestivais: A História Contada Desde Os Primórdios - 90's (Europa)1021 acessosFestivais: A História Contada Desde Os Primórdios - Anos 2000

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 08 de agosto de 2012


0 acessosTodas as matérias da seção Matérias

Keith RichardsKeith Richards
Metallica e Black Sabbath são "grandes piadas"

Black MetalBlack Metal
O cotidiano fascinante dos fãs adolescentes

Iron MaidenIron Maiden
As dez melhores músicas, segundo a Loudwire

5000 acessosSom ruim, fezes e urina: Um brinde à farsa de Woodstock5000 acessosTarja Turunen: vocalista reprova cover do Children Of Bodom no The Voice5000 acessosAnos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãs5000 acessosFarofa?: 7 bandas estigmatizadas pelo rótulo de "hard farofa"5000 acessosUltimate Classic Rock: as dez melhores duplas de guitarristas5000 acessosAngra: vocalista sueco faz covers sensacionais da banda

Sobre Leandro Da Silva Rico

Músico, baixista, letrista, escritor, tradutor e estudante de música na faculdade Unisantanna, em São Paulo.

Mais matérias de Leandro Da Silva Rico no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online