1967 no Rock: O Verão do Amor e o Clímax Psicodélico

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vitor Bemvindo, Fonte: Mofodeu
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nos grandes momentos de crise, a arte gira conforme a roda da história. Durante a Guerra Civil Espanhola, por exemplo, Pablo Picasso pintou "Guernica". Durante a Segunda Guerra, Charlin Chaplin dirigiu e estrelou o "Grande Ditador". 1967 foi o ano em que o Rock and Roll e outras formas de arte se levantaram contra a Guerra do Vietnã.

Quando 1967 começou, o conflito entre o Vietnã do Norte (comunista) e o Vietnã do Sul (capitalista) já se arrastava por quase 8 anos. O apoio logístico dado pela União Soviética e a China comunista, acabaram forçando os Estados Unidos entrarem no conflito para tentar proteger o seu lado na Guerra Fria. A partir de 1965, o governo norte-americano passa a enviar tropas para proteger o governo do Vietnã do Sul, mas sem muito sucesso. O grande número de soldados estadunidenses mortos em batalhas acabou gerando uma grande oposição do povo americano àquele conflito.

Essa oposição foi deflagrada no movimento que ficou conhecido como a contracultura. Os ideais desse movimento eram defendidos principalmente pelos hippies, que passaram a ficar em evidência a partir do verão de 1967, que seria conhecido como "Verão do Amor".

Cena típica de uma reunião durante o “Verão do Amor”
Cena típica de uma reunião durante o “Verão do Amor”

O estopim desse movimento se deu em Nova Iorque, em abril daquele mesmo ano, quando cerca de 300 mil jovens se reuniram numa passeata contra a Guerra do Vietnã e as políticas do governo Lyndon Johnson. O movimento ganhou força justamente pelo apoio de artistas, entre eles romancistas, pintores e principalmente cantores, como Peter Seeger. Além disso, ativistas políticos também tomaram parte na manifestação, como por exemplo, Martin Luther King e Benjamin Spock.

Cartaz do Monterey Pop Festival
Cartaz do Monterey Pop Festival

Dessa manifestação se organizaram várias caravanas que partiriam para a Califórnia, mais precisamente para o distrito de Haight-Ashbury, em São Francisco. Ali se estabeleceriam centenas de milhares de jovens, em um grande acampamento onde a única lei era seguir o lema "Paz e Amor". A música, a experimentação de drogas e a prática do sexo livre eram os veículos para expressar aquele lema.

Durante o "Verão do Amor", foi organizado o primeiro grande festival de música regido pelos ideais da contracultura: o Monterey Pop Festival. Idealizado por pessoas ligadas ao movimento hippie como, por exemplo, John Phillips, do THE MAMAS & THE PAPAS. O festival foi realizado entre os dias 16 e 18 de junho, em Monterey (também na California) e contou com grandes nomes da música como THE WHO e OTTIS REDDING (que viria a falecer naquele mesmo ano em um acidente de avião) e alguns novatos como o BIG BROTHER AND THE HOLDING COMPANY (que contava com a talentosa JANIS JOPLIN nos vocais) e THE JIMI HENDRIX EXPERIENCE.

Janis Joplin se apresentando com os "Big Brothers" em Monterey
Janis Joplin se apresentando com os "Big Brothers" em Monterey

O Big Brother and Holding Co. era uma das grandes bandas californianas que despontaram naquele ano de 1967. Como o foco do mundo estava naquela região, grupos que tivessem qualquer ligação com o movimento hippie e, obviamente, algum talento, logo conseguiam destaque, como foi o caso também do GREATFUL DEAD, JEFFERSON AIRPLANE, e de algumas outras que não ficaram tão conhecidas, mas que demonstravam igual talento como QUICKSILVER MESSENGER SERVER, MOBY GRAPE, LOVE entre outras. 1967 foi o ano em que essas bandas desabrocharam. Em comum entre elas: o talento, a experimentação e a psicodelia.

Uma outra banda californiana, não tão ligada a contracultura, também despontava em 1967, mas acabou ficando de fora de Monterey por não terem recebido o convite: eram o THE DOORS. Naquele ano, eles lançariam os seus dois primeiros trabalhos, que mais tarde se tornariam clássicos: "The Doors" e "Strange Days". Apesar de não estarem estreitamente ligados à cena hippie, eles também levavam ao pé da letra os lemas da experimentação e psicodelia.

Mas esses aspectos, no entanto, não eram exclusividades das bandas dessa região. Na Europa, mas precisamente no Reino Unido, muitas bandas também seguiam esses preceitos de experimentação e psicodelia. Os consagrados The Who, THE BEATLES e ROLLING STONES seguiram essa receita em 1967, alcançando resultados dos mais diversos.

Os Beatles alcançaram o auge da sua maturidade criativa naquele ano com o lançamento de "Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band", tido como um marco não só de 1967, mas como na história do rock. Ali, o quarteto de Liverpool finalmente dava asas às experimentações que começaram a aparecer nos anos anteriores em "Rubber Soul" e "Revolver". "Sgt. Pepper's" foi um sucesso de crítica e público, conseguindo a façanha de ser o primeiro disco de rock a conquistar o Grammy de "álbum do ano". A importância deste álbum é tamanha para a história, que se torna até redundante uma análise mais detalhada.

Os Beatles caracterizados como a banda do Sargento Pimenta
Os Beatles caracterizados como a banda do Sargento Pimenta

Os Stones, por sua vez, não foram tão bem-sucedidos em sua jornada psicodélica. Poucos meses após o lançamento de "Sgt. Pepper's", chegou à praça o "Their Satanic Majesties Request", recebido com indiferença pelo público e com desprezo pelos críticos. Apesar de não ser um disco ruim, as comparações foram inevitáveis e, mais uma vez, os Stones ficariam a sombra de seus "rivais".

Já o Who, encarou a onda de experimentações de uma forma diferente: lançado o seu primeiro álbum conceitual, "The Who Sell Out". Se o disco não trazia nenhuma inovação instrumental ou viagem lisérgica extrema, apontava para um caminho que a banda voltaria a seguir.

Outros grupos, como o power trio formado Eric Clapton, Ginger Baker e Jack Bruce, o CREAM, também aproveitaram o momento para lançar trabalhos mais experimentais. No caso do Cream, "Disreali Gears" foi um prato cheio tanto para os fãs de blues-rock quanto para os sedentos por rock psicodélico. Além disso, faixas como "Sunshine of Your Love" ganharam status de hino tanto pelo significado de sua letra, tanto pela estética apresentada.

A performance incendiária de Hendrix em Monterey
A performance incendiária de Hendrix em Monterey

Mas mesmo sendo aclamado como Deus, Clapton teria seu prestígio diminuído, ao ter que dividir as atenções com um jovem guitarrista negro americano que passou a ser uma das grandes atrações do show business britânico entre 1966 e 1967. Jimi Hendrix, com o seu trio Experience (completado pelos talentosos Mitch Mitchell, na bateria, e Noel Redding, no baixo), já chamavam a atenção em suas apresentações bombásticas nos clubs londrinos. Mas nada seria comparável ao frisson causado pelo primeiro álbum da banda, "Are You Experience". Aquilo soava como uma revolução, e a guitarra nunca mais foi o mesmo instrumento após o lançamento daquele disco. O show de Jimi Hendrix e o Experience em Monterey só serviu para coroar o trio e consolidar o sucesso deles também na América.

Mas como se toda a experimentação e psicodelia das bandas californianas e britânicas não fossem suficientes, outros grupos resolveram elevar essa experiência a outros níveis, inaugurando uma cena que passaria a ser chamada de rock progressivo. 1967 seria palco para o lançamento de dois álbuns que se tornariam referência para o gênero. Um deles foi o primeiro trabalho do PROCOL HARUM, que levava o nome da banda. Além de trazer inúmeras inovações (dentre elas o destaque dado ao órgão Hammond tocado por Matthew Fish), o grupo foi responsável por uma das gravações de maior sucesso daquele ano "A Whiter Shade of Pale".

Os também britânicos do PINK FLOYD foram, por sua vez, responsáveis pelo lançamento de "The Piper at the Gates of Dawn", que elevou o nível de experimentalismo e psicodelia a níveis nunca antes alcançados. Composto quase que integralmente por composições do vocalista e guitarrista Syd Barrett, o álbum inaugurava uma nova fase de experimentações no rock.

Pode-se dizer, então, que 1967 foi marcado pelo clímax da psicodelia, com o lançamento de "Sgt. Pepper's" e um sem-número de produções do gênero. Além disso, o "Verão do Amor" foi responsável por aprofundar a onda experimentalista e disseminar o ideal "paz e amor".

Para ouvir algumas das canções mais importantes do ano 1967, e saber mais sobre esse ano histórico, ouça o MOFODEU #081, o terceiro da série Anuário, clicando no link abaixo:

http://www.mofodeu.com/?p=726

Para ler as matérias sobre os anos anteriores, acesse os links abaixo, ou visite o MOFOBlog (www.mofodeu.com/mofoblog).
4141 acessos1965 no Rock: a Invasão Britânica e a eletrificação do Folk
5000 acessos1966 no Rock: do Monochrome ao Technicolor

Todos os programas da série "Anuário MOFODEU" podem ser acessados através de: http://www.mofodeu.com/?cat=250.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Roger WatersRoger Waters
Detalhes sobre o novo álbum solo

352 acessosDavid Gilmour: Prêmio de Concerto do Ano na Alemanha539 acessosPink Floyd: camarão que mata presas no grito ganha nome da banda2021 acessosDavid Gilmour: assista documentário da BBC sobre o músico775 acessosPink Floyd: nova espécie de camarão ganha nome inspirado na banda0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Pink Floyd"

Pink FloydPink Floyd
O porco voador que se soltou mais de uma vez

Classic RockClassic Rock
Revista elege 100 melhores músicas de rock

QueenQueen
"Pink Floyd é um grupo estranho", diz John Deacon em 1981

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Jimi Hendrix"0 acessosTodas as matérias sobre "Janis Joplin"0 acessosTodas as matérias sobre "Doors"0 acessosTodas as matérias sobre "Pink Floyd"0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"

Do Pop ao MetalDo Pop ao Metal
Os fãs mais chatos do mundo da música

Rolling StoneRolling Stone
As 100 melhores músicas de guitarra

GrammyGrammy
"Master Of Puppets" é tocada após Megadeth ser anunciado vencedor

5000 acessosSegundo Alice Cooper, Slipknot e Manson não assustam mais do que a CNN5000 acessosAs regras do Prog Metal5000 acessosMatt Sorum: músico se posiciona contra James Hetfield4474 acessosBateristas: em vídeo, os 10 melhores do metal5000 acessosTalento: pra quem tem, a idade é apenas um detalhe4734 acessosUltraje a Rigor com Dinho: mandando bem em clássica de Hendrix

Sobre Vitor Bemvindo

Historiador de formação, tem verdadeira adoração pelo Rock and Roll desde sua infância. Seu instinto de pesquisador fez com que "se especializasse" em bandas velhas, especificamente as das décadas de 1960 e 1970. Produz e apresenta o MOFODEU (www.mofodeu.com), o Programa que tira o MOFO do ROCK, juntamente com seu parceiro Luiz Felipe Freitas (a Enciclopédia do Rock). O Programa está no ar desde 2007, tocando só bandas sessentista e setentistas sempre com muita informação e bom humor.

Mais matérias de Vitor Bemvindo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online