Blackfoot

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

Em 1969, Charlie Hargrett (guitarra), Rick Medlocke (bateria e vocal), Greg T. Walker (baixo) e Ron Sciabaraçi (teclados) montam em Jacksonville (Flórida) o FRESH GARBAGE, que passaria por inúmeras formações e mudanças de nome.

AC/DC: os últimos dias do vocalista Bon ScottBruce Dickinson: "O Iron Maiden é melhor que o Metallica"

Em 1971, já devidamente rebatizados de BLACKFOOT (alusão a uma tribo Sioux americana, de onde supostamente descendem Hargrett e Medlocke) e radicados em Manhattan onde foram tentar a sorte, acabam encerrando atividades com a ida de Rick para o Lynard Skynard (ele chegou a gravar com a banda algumas faixas, que seriam editadas no "First & Last", lançado em 1978). Seus membros remanescentes retornam para a Flórida, com exceção de Hargrett, que remontaria a banda no final de 1972 com Jakson Spires na bateria, Lenny Stadler no baixo e Medlocke (que já havia saído do Lynyrd) no vocal. Logo em seguida entra mais um integrante na guitarra, Danny Johnson.

Porém Johnson não permaneceria muito tempo na banda, pois após passar por uma cura "milagrosa" de um tumor no pulmão decide "entregar sua vida a Deus", e hoje é um renomado Pastor da Igreja Metodista... Com isto, resolvem chamar Greg T. Walker de volta (desta vez na guitarra) e com esta formação assinam com a gravadora Epic e grava seu álbum de estréia "No Reservations", lançado em 1975. Pouco depois, resolvem voltar para a Flórida, principalmente devido aos problemas de saúde de Medlocke, que sofria de insuficiência pulmonar.

Em 1976, mais um álbum "Flying High", que tal qual o primeiro, não atinge grandes vendagens, provocando a demissão da banda pela gravadora no ano seguinte. Isto provoca uma grave crise interna, que resulta novamente no encerramento das atividades em 1978. Entretanto, no mesmo ano, Al Nalli, empresário do Browsville Station, impressionado com o que vira quando o BLACKFOOT abrira alguns shows numa turnê pelo Texas e sabendo da demissão da banda pela antiga gravadora, convence o grupo voltar à ativa e gravar um novo disco.

O resultado foi o "Strikes", lançado em 1979 pela ATCO Records e que viria a se tornar o maior sucesso comercial da banda, que finalmente consegue "tirar o pé da lama". Saem então em uma bem-sucedida turnê pelos EUA, chegando a dividir parte da excursão americana com o The Who.

Gravam mais um álbum chamado "Tomcattin", que sairia em 1980; no ano seguinte sai o "Marauder", seguido de uma turnê ao lado do AC/DC pelos EUA e Inglaterra, que seria o ponto de partida para um giro por toda a Europa onde tocam ao lado do Scorpions na Alemanha e do Iron Maiden na França e Inglaterra (no Redding Festival de 1982 rola nada menos que uma mega-jam com todos os músicos do Blackfoot e do Iron dividindo o palco numa versão de "Tush" do ZZ TOP). Essa excursão européia resulta no álbum ao vivo "Highway Songs Live", lançado só na Inglaterra em 1982.

Em 1983, decidem acrescentar um tecladista à banda, e com isto chamam Ken Hensley (Uriah Heep), que participa do "Siogo", lançado no mesmo ano (diz a lenda que. para convencê-lo Ihe presenteiam com um Hammond B-3!). Curioso notar que embora "Siogo" tenha sido extraído das iniciais de "Suck It Or Get Out!"
(simpática frase que adornava a frente do ônibus com o qual excursionavam pelos EUA), sendo que esta palavra num dialeto indígena também significa "próximo a alguma coisa".

No caso, esta "alguma coisa" seria o fim da banda por diversas razões, notadamente a mudança de estilo ocasionada pela entrada de Hensley, além da pressão dos empresários pela adoção de um visual considerado mais moderno para a época (diziam que Hargrett parecia um índio velho!).

As sessões de gravação do próximo áIbum, "Vertical Smiles", lançado em 1984 foram caóticas, tanto que a gravadora ATCO simplesmente recusou o trabalho, dizendo que estava horrível, obrigando a banda a refazer todas as gravações, já sem Hargrett, que se encheu de todas as exigências e decidiu cair fora. Logo após o lançamento do disco é a vez de Greg, Jakson e Hensley debandarem.

No decorrer dos anos, sairiam outros trabalhos sob o nome "Rickey Medlocke & Blackfoot", um auto-intitulado álbum em 1987, o "Medicine Man" em 1990 e o "After the Reign" em 1994.

Em 1998 sai o "King Biscuit Flower Hour Blackfoot Live at the Palladium", trazendo uma apresentação gravada em 1983.

Desde 2001 está sendo cogitada uma volta do BLACKFOOT com sua formação clássica (Hargrett, Medlocke, Walker e Jakson), porém ainda não há nada de concreto sobre o assunto.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Mudanças: 5 bandas que seguem sem membros da formação originalMudanças
5 bandas que seguem sem membros da formação original

Blackfoot: Mudanças de nome, troca de membros e intervenção divinaBlackfoot
Mudanças de nome, troca de membros e intervenção divina


AC/DC: os últimos dias do vocalista Bon ScottAC/DC
Os últimos dias do vocalista Bon Scott

Bruce Dickinson: O Iron Maiden é melhor que o MetallicaBruce Dickinson
"O Iron Maiden é melhor que o Metallica"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin