Whitesnake e Judas Priest: Um show impecável em São Paulo

Resenha - Whitesnake e Judas Priest (Arena Anhembi, SP, 10/09/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Jake Wizard e Eduardo Bianchi Rolim
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Para poder iniciar essa matéria, relatando novamente a passagem de duas grandes bandas do Hard Rock, Whitesnake e Judas Priest, vamos começar pelos oerganizadores: mais uma vez nota 8 para a TF4, com uma ótima infraestrutura montada na Arena Anhembi em São Paulo. E por que não nota 10? Os preços ainda praticados na pista VIP são absurdos, haja vista que somente 75% dela estavam tomadas, além do anuncio às vésperas das vendas com descontos nos ingressos, que de uma maneira prejudica quem compra antecipadamente. Seria mais fácil colocar o ingresso mais barato logo de cara, assim…casa cheia e todo mundo feliz.

Blend Guitar: em vídeo, as dez maiores bandas de Heavy MetalQueen: The Voice é o insulto final à música, diz May

Com pouquíssimo atraso, o Whitesnake entra no palco, demonstrando que ali o público estava bem dividido entre as duas bandas. Competentes. Um show impecável, demonstrando que anos de carreira realmente levam à perfeição, mesmo sabendo que a rotatividade nesse anos foram muitas, porém, inegavelmente, não dá para esquecer que por essa banda já passaram Tommy Aldridge, Rudy Sarzo, Vivian Campbell, Cozy Powell, Adrian Vandenberg e Steve Vai. Tá bom…paro por aqui… a banda entrou com Best Years , seguida de Give Me All Your Love. Mas a galera realmente levantou os braços quando os primeiros acordes de Love Ain’t no Stranger foram entoados, seguido por Is This Love. Em seguida, Coverdale e sua trupe apresenta duas músicas do novo disco, lançado esse ano, Steal Your Heart Away e a faixa título, Forevermore, mostrando que o Whitesnake ainda tem muita energia e poder criativo para criar boas músicas. Fizeram parte ainda do setlist, Love Will Set You Free, Here I Go Again, Still Of The Night, Soldier of Fortune (uma “capela”, solo de voz de Coverdale) encerrando o show com uma surpresa, ao qual a banda não estava praticando na sua turnê: Burn / Stormbringer, covers do Deep Purple, que literalmente fizeram a Arena Anhembi pegar fogo.

Imagem

Depois de quase uma hora, para preparação de toda a parafernália visual, escondida pelo enorme pano negro com a inscrição “Epitaph”, o Judas Priest entra no palco, para o delírio de vários fãs dessa poderosa banda londrina de Hard Rock/Heavy Metal , ao qual o nome se mistura a lendas como Iron Maiden, Black Sabbath, Saxon, Def Leppard, entre outros, da era de ouro do metal inglês. É incrível a energia que essa banda passa em seus acordes, e como Rob Halford ainda consegue manter sua voz impecável, dando-se ao luxo de não cantar um dos seus grandes sucessos para ficar orquestrando o público não pelo motivo crasso de não ter mais voz, como já vimos alguns vocalistas com muito (e pouco…) tempo de estrada. Simplesmente por que ele é… Rob Halford. Conte nos dedos os vocalistas que conseguem segurar sua voz impecável por 21 músicas em quase duas horas de show. Alguém aí se arrisca a contar? O Judas abriu seu show com Rapid Fire, seguida de Metal Gods, Heading Out to the Highway e Judas Rising. Os efeitos visuais foram excelentes, com muita fumaça, lasers, labaredas de fogo e um telão atrás que passava vários momentos e capas dos discos da banda, ao qual Halford comentou alguns. Não deixaram de fazer parte do setlist alguns dos maiores sucessos do Judas Priest como Prophecy, Night Crawler, Turbo Lover, Beyond the Realms of Death, The Sentinel e The Green Manalishi (With The Two Pronged Crown).

O ponto alto do show ocorreu quando Rob Halford anunciou “Breaking the Law”, a qual ele simplesmente deixou de cantar, enquanto orquestrava seus fãs que entoaram do seu jeito cada estrofe, seguindo da poderosa Painkiller, fechando o primeiro set. O show teve dois encores, começando por The Hellion, Electric Eye, Hell Bent for Leather – com direito a Halford entrando no palco com sua moto – e You’ve Got Another Thing Comin’. A banda fechou sua grande apresentação no segundo encore com Living After Midnight.

Mais uma vez fomos agraciados com dois grandes shows, uma bela infraestrutura, um público que se limitou a curtir o espetáculo sem nenhum tipo de problema mais grave. E… vamos ao próximo!

Imagem

Imagem

Acesse o Minuto HM para conferir uma galeria de fotos exclusivas, com qualidade profissional, desta já histórica noite!

http://minutohm.com/2011/09/17/resenha-judas-priest-e-whites...

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Whitesnake e Judas Priest (Arena Anhembi, SP, 10/09/2011)

Whitesnake e Judas Priest: apresentações de arrepiar em SP

Rock e Metal
Doze ótimos álbuns para iniciantes

Blend Guitar: em vídeo, as dez maiores bandas de Heavy MetalJudas Priest: oficialmente em estúdio gravando novo álbumComedy Central: Halford, Sambora, Bach e outros em sérieTodas as matérias e notícias sobre "Judas Priest"

Vocalistas
Os menos conhecidos de bandas famosas

Gibson
Os 10 riffs mais incríveis dos anos 80

Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1982

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Whitesnake"Todas as matérias sobre "Judas Priest"

Queen
The Voice é o insulto final à música, diz May

Metallica
A reação de James a famosos usando camisetas da banda

AC/DC
Vocalista denuncia crueldade de reality-shows

Metallica: Rock In Rio explica pane que ocorreu durante o showTrollagem: quando as bandas decidem zoar com o playbackBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela bandaSuicidal Tendencies: Muir fala de gangues, Trujillo e RATMÁrvore Genealógica do Metal e do RockViver de Música: bandas se foderão cada vez mais

Sobre Jake Wizard e Eduardo Bianchi Rolim

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online