Age of Artemis: A emocionante despedida de Alírio Netto

Resenha - Age Of Artemis (Manifesto Rock Bar, São Paulo, 13/07/2017)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nelson de Souza Lima, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Treze de julho, Dia Mundial do Rock. E qual a melhor maneira de celebrar a data? Claro, ouvindo rock do bom. E foi isso que fiz. Acompanhado da fotógrafa Letícia Nunes Lima segui para o Manifesto Rock Bar, uma das mais tradicionais casas da capital paulista, que em 2017 completa 23 anos de bons serviços aos amantes do gênero mais amado do planeta. Fui conferir o show da Age Of Artemis uma das melhores bandas do país que em mais de dez anos de estrada arregimentou muitos fãs e feitos notáveis como tocar no Rock In Rio 2015. A apresentação constituiu mais um momento emblemático na trajetória do grupo, pois marcou a troca de vocalistas. Após empunhar os microfones da banda por quase dez anos Alírio Netto irá se dedicar à carreira solo e inúmeros projetos em andamento. Agora quem está à frente do quinteto é Pedro Campos, Hangar e Soulspell. Com a Age Of Artemis Netto gravou dois álbuns; “Overcoming Limits”, de 2011, e “The Waking Hour”, de 2014 que caíram no gosto dos fãs recebendo elogios da crítica especializada. “The Waking Hour” foi lançado na Europa e Japão sendo destaque em várias publicações voltadas ao gênero pesado.

5000 acessosHeavy Metal: as piores capas dos grandes artistas do gênero5000 acessosMetallica: Hetfield elege as suas dez músicas favoritas

Primeiro uma palhinha do que rolou antes do show. Quem conhece o Manifesto sabe que é um ambiente agradável, com ótimo atendimento, sendo que as paredes da casa são decoradas com guitarras dos maiores nomes do rock mundial. Estão lá, por exemplo, guitas autografadas por Zakk Wylde, Angus Young e Ace Frelhey. Muito legal conferir e babar nas guitas, além de muitas fotos dos músicos. O público foi chegando aos poucos conferindo no telão clipes de bandas clássicas como Accept e Guns.

Quem abriu os serviços foi a Freaky Jelly. Integrado por Ricardo DeStefano (vocal), André Faustino (guitarra), Rafael de Paula (baixo), Julio Vince (teclados) e Mauricio Gross (bateria) a banda tem forte influência de Dream Theater e Symphony X fazendo um metal progressivo de responsa. O quinteto entrou às 21h34 e em 60 minutos mostrou um set list embasado no seu mais recente álbum; “Reverse”. DeStefano é um bom front man e sabe como conduzir a galera. Um dos momentos mais legais do show foi a releitura de “Freedom”, de George Michael, falecido em março último. Fizeram um bom aquecimento para a Age Of Artemis.

Terminada a apresentação da Freaky Jelly hora de um lanchinho e água, pois não é recomendável bebida alcoólica pra quem está dirigindo. Rssss (momento conscientização). Aos poucos começou a preparação para a Age Of Artemis e faltando dois minutos pras onze Alírio Netto e companhia iniciaram o show com “Under The Sun”, do disco “The Waking Hour”. Pra começar no talo mesmo. Em seguida “You'll See”, de “Overcoming Limits”. O set seguiu alternado porradas dos dois álbuns intercalando com clássicos do metal executados com precisão pelos músicos que são muito talentosos.
“No More Tears”, do Ozzy, levantou a galera, sendo que Ricardo DeStefano, da Freaky Jelly dividiu literalmente o microfone com Alírio Netto.
Entre uma música e outra Netto falava da emoção de estar a frente da Age Of Artemis pela última vez enaltecendo sempre o trabalho de seus companheiros de banda, “que são verdadeiros parças”.
Antes de cantar “Hunger and Shame” o vocalista falou da importância dessa música na carreira da banda. Segundo ele, a canção que gerou o primeiro clipe do grupo teve o trabalho excepcional do ator Fábio Barreto que interpreta um morador de rua e todo o laboratório feito por ele para entrar no personagem, tendo inclusive ingerido comida do lixo. Confiram o clipe no Youtube.

Outro bom momento foi a balada “Take Me Home”, uma das melhores canções do grupo. Pra emocionar. Em seguida duas porradas “Two Minutes to Midnight”, do Iron e “Don't stop Believing”, do Journey.
Na sequência Alírio Netto chamou Pedro Campos ao palco e emocionado disse em tom de brincadeira que as músicas eram como seus filhos e que Campos deveria cuidar bem delas.
Juntos interpretaram “Echoes Within”, de “Overcoming Limits”. Netto deixou o palco na sequência e o bastão estava passado. Estreia do novo vocal que se sentiu à vontade e foi bem recebido pelo público. Aliás, a essa altura o público já era bem menor. Muita gente foi embora, pois teria que levantar cedo no dia seguinte. Mas quem ficou viu um vocal seguro e bastante competente. Tanto é que já trabalhou uma música com a banda a inédita “Unknown Strength”.
Outro clássico do Iron “Wasted Years” e o final com chave de ouro com Pedro Campos e Alírio Netto cantando 'Mystery”, mais uma de “Overcoming Limits”.

Já passava da uma da manhã quando a banda encerrou o show saudados pelos poucos bravos que ficaram até o final. Mas que presenciaram uma grande apresentação, cientes que a Age Of Artemis está com um grande vocal e que Netto também seguirá uma carreira de sucesso.

SET LIST
Intro/Under The Sun
You'll See
The Waking Hour
Truth In Your Eyes
No More Tears
Hunger And Shame
God, Kings and Fools
New Revolution
Melted In Charisma
Take Me Home
Two Minutes To Midnight
Don't Stop Believing
Intro/Echoes Within
Broken Bridges
PainKiller
Unknown Streght
Wasted Years
Mystery

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Age Of Artemis"

VocalistasVocalistas
Alguns que poderão ser os novos ídolos do nosso Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Age Of Artemis"


Heavy MetalHeavy Metal
As piores capas dos grandes artistas do gênero

MetallicaMetallica
James Hetfield elege as suas dez músicas favoritas

MegadethMegadeth
Dave Mustaine não está feliz com os improvisos de Kiko?

5000 acessosLauren Harris: Como é ser filha do baixista do Iron Maiden5000 acessosMetal Hammer: dez "estranhas" colaborações no metal5000 acessosFotos de Infância: Lemmy Kilmister, do Motorhead4565 acessosFinlândia: as dez melhores bandas de Heavy Metal do país5000 acessosAndré Sikora: A coleção do presidente do fã clube do Nazareth no Brasil5000 acessosTony Martin: "O Black Sabbath não fala comigo há 15 anos"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Nelson de Souza Lima

Jornalista, repórter, resenhista, colunista musical. Assim é Nelson de Souza Lima. Mas acima de tudo um amante do rock, classic, hard e metal. Entre minhas entrevistas estão as feitas com Angra, André Mattos, Royal Hunt, Blind Guardian, entre muitas outras. Além disso sou baixista da banda de Classic Rock e metal The Green Pigs.

Mais matérias de Nelson de Souza Lima no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online