Queens of the Stone Age: resenha e fotos do show em Porto Alegre

Resenha - Queens of the Stone Age (Pepsi On Stage, Porto Alegre, 27/09/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Dias
Enviar Correções  





























O Queens Of The Stone Age esteve pela primeira vez em Porto Alegre. O show fez parte da turnê do último disco da banda chamado "... Like Clockwork". Além de ser a primeira passagem da banda em Porto Alegre, essa turnê foi a primeira da banda como atração principal no Brasil, com passagem também em São Paulo.

Fotos: Liny Oliveira

A abertura do evento começou com apenas 20 minutos de atraso. Às 20:50 timidamente subiu ao palco Alain Johannes, apenas com seu instrumento exótico (um cigar box guitar), sentou-se em uma cadeira e tocou ali mesmo, sem falar muito com o público, apenas trocando seu cigar box por um violão durante a apresentação.

Alain abriu seu show com o single "Not On This Earth" e do seu disco solo "Spark", tocou "Return To You", "Speechless", "Endless Eyes", "Gentle Ghosts" e "Make God Jealous". "Making A Cross" e "Holey Dime" do The Desert Sessions e fechou a apresentação com "Why" do Eleven. Mesmo sua apresentação tendo um estilo completamente diferente do show principal, Alain recebeu muitas palmas dos fãs do QOTSA.

Sem atrasos, às 22 horas em ponto foram apagadas todas as luzes do Pepsi On Stage. No lugar do tradicional pano de fundo com alguma arte ou o nome da banda, ou então de um telão mostrando o show ou imagens escolhidas pela banda, o QOTSA optou por apresentar o seu show com muitos refletores de luz no fundo do palco.
Luzes verdes mesclando com luzes azuis foram acesas, era a hora da banda liderada por Josh Homme (vocal/ guitarra) subir no palco.

As luzes piscavam no ritmo da bateria do mais novo integrante da banda, Jon Theodore, em "You Think I Ain’t Worth a Dollar, But I Feel Like a Millionaire" e sem conversa emendaram um dos maiores clássicos da banda "No One Knows" com direito ao público cantarolar o riff de guitarra no meio da música. Dobradinha de abertura do disco de maior sucesso da banda, "Songs For The Deaf", feita com perfeição na abertura do longo show dos americanos em Porto Alegre.

Do novo disco "... Like Clockwork" foram tocadas diversas músicas, a primeira a aparecer no set foi "My God Is The Sun", faixa que foi muito bem recebida pelos gaúchos. Em seguida, "Burn The Witch" do disco "Lullabies To Paralyze", que ainda teve os clássicos "In My Head" e "Little Sister".

Bem humorado, Josh perguntava a todo o momento se o público sentia-se bem, e a resposta era sempre óbvia, os fãs estavam muito satisfeitos. A duração do show foi o que mais animava os fãs, decepcionando- os muito pouco, pois sempre tem alguma música que falta para aqueles que curtem um pouco mais as "lado b" da banda.

A dobradinha que inicia o disco "Rated R" também foi tocada, com "Feel Good Hit Of The Summer" e "The Art Of Keeping A Secret". Troy Van Leeuwen e Dean Fertita ambos guitarristas e tecladistas da banda, deixavam o som muito pesado quando tocavam suas guitarras simultaneamente, somando ainda com a guitarra de Josh e a altura do bumbo da bateria de Jon, que fazia vibrar com força no coração de cada fã presente no local.

Quando Josh apresentou a banda, disse que Michael Schuman (baixo) estava de aniversário, e pediu que o público o parabenizasse. Mais do que isso, a plateia que esgotou todos os ingressos da noite cantou parabéns para Michael.

A banda se retirou do palco após a pesada "Sick, Sick, Sick" e "Go With The Flow", outro clássico da banda , aproximando do fim do show. Sem demora, o QOTSA retornou ao palco para tocar mais três músicas do disco "Song For The Deaf" no bis. Muitos músicos já tiveram passagem pelo QOTSA, e Alain Johannes foi um deles.

Ele subiu ao palco novamente, dessa vez com uma guitarra, junto com seus antigos companheiros para tocar "Hangin’ Tree". O Show terminou com "Do It Again" e "A Song For The Deaf". Uma noite que deixará saudade a todos aqueles que esgotaram os ingressos três meses antes do show (fato raro em Porto Alegre) e que esperam um retorno da banda no futuro para esgotarem todos os ingressos novamente, ou assisti-los em um local com maior capacidade, para que não fique ninguém de fora.

Set-list completo:
You Think I Ain't Worth a Dollar, but I Feel Like a Millionaire
No One Knows
My God Is the Sun
Burn the Witch
Smooth Sailing
In My Head
Kalopsia
Feel Good Hit of the Summer
The Lost Art of Keeping a Secret
The Vampyre of Time and Memory
If I Had a Tail
Little Sister
Turnin' on the Screw
Fairweather Friends
I Sat by the Ocean
Misfit Love
Make It Wit Chu
Sick, Sick, Sick
Go With the Flow

Hangin' Tree
Do It Again
A Song for the Dead


Outras resenhas de Queens of the Stone Age (Pepsi On Stage, Porto Alegre, 27/09/2014)

Queens of The Stone Age: resenha do show em Porto Alegre/2014



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Refrãos: alguns dos mais marcantes do Rock/MetalRefrãos
Alguns dos mais marcantes do Rock/Metal

Heavy Metal: 25 bandas que fizeram o gênero ser o que éHeavy Metal
25 bandas que fizeram o gênero ser o que é


Sobre Guilherme Dias

Fanático por heavy metal e hard rock desde os 12 anos de idade. Coleciona CDs e LPs, principalmente do Helloween e seus derivados. Colabora com o site desde 2013. Nasceu em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

Mais matérias de Guilherme Dias no Whiplash.Net.

adWhipDin