Steve Vai: público de BH vai ao delírio com apresentação

Resenha - Steve Vai (Chevrolet Hall, Belo Horizonte, 09/12/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Bello
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Guitar Hero tocou novos e antigos sucessos, levou fãs ao palco para ajudar nas músicas e insinuou uma volta ao país com o projeto G3

Texto e fotos: Ricardo Bello

Um evento para ficar na memória! Com essa frase começo a falar da apresentação genial que STEVE VAI e sua banda fizeram em Belo Horizonte no dia 9 de Dezembro. Com efeitos visuais e, porque não dizer, uma bela performance teatral, o show prendeu a atenção de todos. Chegou a emocionar, literalmente, os fãs da boa música e claro, das guitarras.

Em plena "segundona" como dizem na gíria, o discípulo de JOE SATRIANI se apresentou no Chevrolet Hall para um público que encheu a casa e curtiu de perto uma performance surpreendente.Steve entrou no palco por volta das 21:20h levando o público mineiro ao delírio. Ele surgiu em meio aos sons que consegue tirar da guitarra e uma nuvem de gelo seco que causava ainda mais expectativa nos fãs que queriam ver o ídolo em ação.

No pano usado como fundo do palco havia a arte de capa do novo album "The Story of Light". Um detalhe interessante e, como diria Silvio Santos: muito bem bolado, é que dentro do olho pintado havia um canhão de luz que se movimentava enquanto "Mr Vai" e sua banda davam os primeiros acordes de "Racing The World", música que tem aberto os shows da turnê atual, seguida por "Velorum" e "Building the Church". Apesar das canções novas em sequência, o show passou por todas as fases de Steve com grandes sucessos dos álbuns anteriores.

"Tender Surrender", "Whipping China Doll" e "Whispering a Prayer" deixaram muitos fãs ainda mais fascinados com o talento e virtuosismo de Vai no palco. Ele é um artista completo, além de ser um dos melhores guitarristas do mundo, vencedor de Grammy's (o Oscar da música), dança em cena,brinca com o público e encanta com seu carisma. Engana-se quem acha que somente Steve brilha durante a apresentação. Todos os músicos da banda tiveram seus momentos para mostrar a platéia que são bons de verdade. O guitarrista Dave Weiner mostrou seu talento tocando violão em "The Trillium's Launch" e foi aplaudido. Em "The Animal" Phill Bynoe mostrou a que veio. Já o baterista Jeremy Colson fez um show a parte em seu solo, tocando com muita garra, além de uma divertida aparição usando um "instrumento novo" feito por cones de trânsito e outros objetos que ele teria achado nos bastidores e colado para incrementar suas batidas.

Um momento interativo do show foi quando Steve chamou três fãs para subirem ao palco (cena que a princípio lembrou os shows do ex-Beatle Paul Mccartney ). Porém, os felizardos não subiram para autografarem seus braços e sim para ajudarem a banda a tocar uma "música nova" , literalmente criada com ritmos sugeridos pelos convidados. Um jovem chamado Henri, sua namorada Luiza e Rafael Alves deram suas sugestões imitando os ritmos no microfone e a banda os reproduziu ao vivo de forma impressionante. Foi um verdadeiro sucesso e ao final da participação eles ainda foram convidados a sentar na lateral do palco, de onde viram duas músicas com direito a uma visão pra lá de privilegiada.

Emocionante foi quando Steve tocou "Rescue me or Bury Me" na versão acústica. Nesta hora foi possível ver alguns fãs, literalmente, enxugando lágrimas nos olhos. Em "The Ultra Zone" o "guitar hero" entrou no palco escuro usando uma roupa cheia de efeitos visuais, com lâmpadas de led coloridas,que o transformavam em um verdadeiro robô. A visão é incrível para quem está na assistindo a apresentação. E como não poderia faltar, o show teve ainda a belíssima "For The Love of God" balada do album "Passion & Warfare", que também foi relembrado com " The Audience is listening"(que começou com a famosa gravação da professora que diz : That Steve Vaaaai, what a niiice little boy) e "Answers".

O público gostou bastante da apresentação, que ficou marcada na história dos grandes shows na capital mineira e animou os fãs da guitarra. Em um determinado momento, Steve Vai citou o nome de JOE SATRIANI e perguntou a opinião da platéia sobre o que achavam de um show do G3 em Belo Horizonte. Agora é torcer para que isso realmente aconteça e que possamos ver mais uma vez o talento e simplicidade deste ícone da guitarra em terras brasileiras.

Set List:

Racing the World
Velorum
Building the Church
Tender Surrender
Gravity Storm
The Trillium's Launch
(Dave Weiner cover)
Weeping China Doll
Answers
The Animal
Whispering a Prayer
The Audience Is Listening
Acoustic set
The Moon and I / Rescue Me or Bury Me
Sisters / Salamanders in the Sun
Treasure Island / Fire Garden Suite II - Pusa Road
Drum Solo
(Jeremy Colson)
The Ultra Zone
Frank
Build Me a Song
For the Love of God
Encore:
Fire Garden Suite IV - Taurus Bulba




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Steve Vai"Todas as matérias sobre "G3"


Steve Vai: anunciado lançamento para setembro

Faixas Instrumentais: VH1 elege as 20 melhores do Hard e MetalFaixas Instrumentais
VH1 elege as 20 melhores do Hard e Metal

Joe Satriani: a diferença entre dar aula pra Steve Vai e Kirk HammettJoe Satriani
A diferença entre dar aula pra Steve Vai e Kirk Hammett

Nirvana: Kurt Cobain era um bom guitarrista?Nirvana
Kurt Cobain era um bom guitarrista?


Ozzy Osbourne: Madman dá a cura para a ressacaOzzy Osbourne
Madman dá a cura para a ressaca

Kiss: as 10 músicas mais demoníacas da bandaKiss
As 10 músicas mais "demoníacas" da banda

Separados no nascimento: Edu Falaschi e Luciano HuckSeparados no nascimento
Edu Falaschi e Luciano Huck

Listed: TV americana elege os maiores bad boys da músicaAs regras do Death MetalW.A.S.P.: o casamenteiro de Lita Ford e Chris Holmes!Loudwire: Os 10 melhores álbuns de 1992

Sobre Ricardo Bello

Ricardo Bello é jornalista,humorista e escritor. Mineiro de Belo Horizonte, nascido em 16/02/78, tem um livro publicado intitulado "Caçador de Celebridades" e colabora com o Whiplash.Net.

Mais matérias de Ricardo Bello no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336