Super Peso Brasil: A maior celebração do Metal nacional

Resenha - Super Peso Brasil (Carioca Club, São Paulo, 09/11/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leo Gomes
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.














No sábado, (9/11), os fãs do Metal nacional puderam presenciar a maior celebração da música pesada tupiniquim; o evento Super Peso Brasil trouxe 5 bandas pioneiras do Metal brasuca, Taurus, Salário Mínimo, Metalmorphose, Centúrias e a banda que teve a honra de começar com tudo isso aqui no Brasil, todos sabemos que trata-se do Stress. O evento também sorteou diversos prêmios, inclusive uma guitarra, contou com a participação de grandes nomes da cena nacional como: Jack Santiago (ex-Harppia), Vitor Rodrigues (Voodoopriest, ex-Torture Squad), Luiz Carlos Louzada (Vulcano), Lucky Luciano (X-Rated, ex-Metalmania) e André Góis (Desaster, ex-Vodu). O responsável pelos "cliques" foi Kennedy Silva, que vem fazendo um ótimo trabalho em diversos shows. Confira abaixo como foi esta tarde extremamente metálica no Carioca Club.

As portas foram abertas às 16h, do lado de fora, os bangers comandavam a rua e os bares da redondeza, todos ansiosos para o ínicio do evento, inclusive eu. Por volta das 16h30, sobe ao palco Marcello Pompeu (Korzus) ao lado de Ricardo Batalha (responsável pelo evento), entre outros, para citar alguns discursos e então realizar o sorteio de uma Seizi Vision, autografada pelo guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser.
Minutos depois, com a casa ainda um tanto vazia, sobe ao palco a banda Taurus, diretamente do Rio de Janeiro com seu Speed/Thrash, a banda nasceu em 1985, possui 4 álbuns de estúdio lançados, e, inclusive tocaram músicas de todos os seus trabalhos.

A música escolhida para abertura foi "Fissura" do seu último álbum de mesmo nome, lançado em 2010. Dentre as canções executadas, também tivemos o prazer de ouvir grandes clássicos como: "O Mundo em Alerta", que contou com a participação de Luiz Carlos Louzada do Vulcano, "Batalha Final", "Damien", essas últimas citadas fazem parte de seu debut "Signo de Taurus" de 1986, que, a meu ver, é seu melhor álbum.

A música escolhida para fechar o set foi a clássica "Massacre", que também faz parte de seu debut, e foi cantada pela grande maioria que ali estava.

Minutos depois é a vez dos paulistas do Centúrias. À esta altura a casa já estava bem mais cheia. O Centúrias iniciou suas atividades em 1980, uma curiosidade é que, o nome foi sugerido pelo jornalista Régis Tadeu.
A banda participou da split "S.P. Metal" lançada no ano de 1984, pela Baratos Afins, ao lado das bandas Avenger, Vírus e também o Salário Mínimo, com quem dividiu palco neste mesmo evento no qual estou relatando.

O show contou com a participação de André Góis da banda Desaster e da grande e extinta banda Vodu. Dentre as canções executadas pudemos ouvir grandes clássicos como: "Senhores da Razão", "Arde Como Fogo/To Hell", "Fortes Olhos", incluindo os dois sons da já citada split: "Duas Rodas" (que mais tarde, em 1986, foi regravada na EP Última Noite) e "Portas Negras", sendo esta última citada, a música que mais agitou o público. Não esquecendo de citar o momento em que Nilton "Cachorrão" Zanelli (Vocal) ergueu e lançou as conhecidas placas "Anti-Posers", outro momento em que os bangers foram à loucura.

Pouco mais tarde, com a casa bem mais cheia, praticamente lotada, sobe ao palco uma das bandas que eu mais aguardava, me refiro aos cariocas do Metalmorphose com seu Heavy Metal tradicional; contou com a participação de Lucky Luciano (X-Rated, ex-Metalmania).

No início dos anos 80, em 1983, pra ser mais exato, deram início às suas atividades e no ano de 1985 participam da split "Ultimatum" ao lado de seus conterrâneos da grande Dorsal Atlântica, gravando cinco faixas, cada banda.

A banda, assim como todas as outras, executou seus grandes clássicos, incluindo um maravilhoso cover da música ¨Satã Clama Metal¨ do Azul Limão, vale lembrar que, o vocalista do Metalmorphose, Tavinho Godoy, integrou o Azul Limão no final dos anos oitenta e o guitarrista Marcos Dantas, foi o fundador da mesma.

Também foram executadas "Jamais Desista", "Máscara", "Máquina dos Sentidos", ambas de seu álbum de 2012, homônimo à última faixa citada. A música "Cavaleiro Negro" (uma das que mais agitou o público) e "Desejo Imortal", infelizmente as únicas que foram tocadas do split, senti falta de outras faixas como "Hárpya" e "Nosso Futuro", mas ainda assim valeu muito à pena, também foi executada a ótima "Minha Droga é o Metal".

Depois de um breve momento os paulistas do Salário Mínimo invadem o palco com seu poderosíssimo Heavy Metal; uma das primeiras ao lado do Stress. A banda nasceu no finalzinho dos anos setenta, em 1984 participaram da split "S.P. Metal" (que foi citada linhas acima), três anos depois, em 1987, lançaram seu primeiro full-length intitulado "Beijo Fatal", contendo oito músicas, incluindo um cover de uma das bandas que mais amo, refiro-me ao Secos & Molhados com a música "Rosa de Hiroshima", que ficou perfeita, aliás, mas que infelizmente não foi tocada, compensando a ausência da mesma, tivemos o prazer de ouvir "Dama da Noite", "Noite de Rock", "Anjos da Escuridão", Beijo Fatal", "Delírio Estelar", tudo isso sob uma chuva de papéis brilhantes.

Quase no final da apresentação foi chamado ao palco Jack Santiago, que integrou o Harppia lançando a mais que clássica EP "A Ferro e Fogo", e ao lado do Salário Mínimo cantou a faixa "Salém (a Cidade das Bruxas)", mais uma vez o público, cantou em uníssono este grande hino, e para finalizar seu set com chave de ouro, mandaram "Jogos de Guerra".

O fim do evento estava próximo, mas não antes da apresentação dos pais do Metal brasuca, a banda Stress. Os últimos a se apresentarem, foram os primeiros a surgir na cena metálica brasileira, assim como seu próprio vocalista/baixista costuma dizer, o icônico Rossevelt Bala. Lá perto dos meados dos anos setenta, 1974, sendo mais específico, a banda surge sob o nome de 'Pinngo D'água', quando em 1977, mudou para "Stress".

Oficialmente em 1982 lançam seu primeiro full-length, que foi batizado com o nome da banda, três anos depois lançam seu segundo álbum "Flor Atômica", um álbum ainda mais rápido, beirando o Speed Metal. Mais de dez anos depois, em 1996, lançam o álbum "III", um bom álbum, mas não comparado aos anteriores, a meu ver.

Após falar um pouco sobre a história da banda, vamos ao show.
Iniciando seu set em grande estilo, a música de abertura foi "Heavy Metal", primeira faixa de seu segundo álbum, logo depois fomos prestigiados com a veloz "Mate o Réu", faixa que faz parte de seu primeiro álbum, depois sendo regravada em seu segundo trabalho. Não parando por aí, Rossevelt lança ao público a capa do LP "Flor Atômica" e o sortudo que conseguisse pegá-la, ganharia o mesmo no final da apresentação, também foi lançada a capa do LP "Stress", sem mais delongas, outros clássicos foram executados, dentre eles "Flor Atômica" do já citado álbum homônimo, "Coração de Metal", próximo ao final da apresentação e do evento, Vitor Rodrigues (Voodoopriest, ex-Torture Squad), foi chamado ao palco para dividir os vocais com Rossevelt em "Sodoma e Gomorra", confesso que, para mim, soou meio estranho, pois foi a primeira vez em que a escuto desta forma, com vocais guturais, mas ainda assim foi uma ótima participação do grande Vitor Rodrigues. Uma pena não terem tocado "Não Desista", muitos dos presentes esperavam pela mesma, mas infelizmente não rolou, digo isso, pois ouvi várias pessoas pedindo que tocassem a faixa.

Assim estávamos chegando ao final desta que, foi sem dúvidas a maior celebração ao Metal nacional nos últimos tempos, torçamos que venham muitos e muitos outros eventos como este. Para encerrar o set, Rossevelt chama ao palco todos os integrantes das que, ali, naquela mesma noite dividiram o palco, incluindo os convidados especiais, feito isso, tocam a faixa "Brasil Heavy Metal", faixa que, inclusive, ganhou um filme que fala sobre a história do Metal brasileiro, o público cantou a faixa juntamente com todos que ocupavam o palco, fazendo daquele, um momento histórico.

O Metal nacional está mais vivo do que nunca, o Super Peso Brasil foi uma prova viva disso.

Fotos por Kennedy Silva:
http://www.facebook.com/KennedyFotografiaShow
É proibida qualquer tipo de reprodução das imagens sem autorização. Galeria Completa:
http://www.flickr.com/photos/kennedy_fotografia/sets/7215763...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Salário Mínimo"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Stress"0 acessosTodas as matérias sobre "Centurias"0 acessosTodas as matérias sobre "Metalmorphose"0 acessosTodas as matérias sobre "Salário Mínimo"0 acessosTodas as matérias sobre "Taurus"

SpikeSpike
Os sete piores solos de guitarra

MetallicaMetallica
Foto rara de formação original do grupo

Em 20/08/2005Em 20/08/2005
Iron Maiden é atacado com ovos no Ozzfest

5000 acessosAxl Rose: Um dos vocalistas com maior alcance5000 acessosRock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 19915000 acessosSepultura: saiba mais sobre as visões religiosas de Derrick5000 acessosSharon Osbourne: sexo oral em Principe Charles por título?5000 acessosMetallica: Alvo de críticas pesadas da banda Mogwai5000 acessosRod Stewart: intimidado pelo tamanho do pênis de outros rockstars

Sobre Leo Gomes

Nascido na Capital de São Paulo, no mesmo ano em que sua banda favorita lançou o álbum "Painkiller" (Judas Priest), iniciou no Rock por volta dos 14/15 anos, quando um amigo de escola lhe emprestou alguns CD's, desde então, a música se tornou o seu maior vício. Além de Judas Priest, tem como bandas favoritas: Queen, Manowar e, é também, apaixonado por Secos & Molhados e admira muito a banda Engenheiros do Hawaii.

Mais matérias de Leo Gomes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online