Almah e Hibria: Vocalista do Hibria rouba a cena

Resenha - Almah e Hibria (Rock in Rio, Rio de Janeiro, 19/09/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Diego Camara
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.






















No segundo show do dia, cabia mais uma vez aos brasileiros mostrarem que aqui nesta terra também tem heavy metal, e dos bons. As bandas convidadas foram o ALMAH, do vocalista Edu Falaschi (ex-Angra) e os ótimos porto-alegrenses do HIBRIA, projeto de heavy metal que está na estrada há muito tempo, mas ainda sofre para ser conhecido do público brasileiro.

Fotos: divulgação, Approach, Rock In Rio, IHateFLash

O show começou na hora, quando o vocalista Edu Falaschi entrou com sua banda. O público aplaudiu e demonstrou bastante alegria ao rever uma das grandes figuras do metal nacional no palco do Rock in Rio. A banda começou com a música “Hypnotized”, que abre o álbum “Motion”, o último da banda. O som estava bastante estranho, os vocais de Edu pareciam muito pouco e os instrumentos pareciam não se encontrar. Mesmo assim, a presença marcante do guitarrista Marcelo Barbosa, que realizou um ótimo solo, ainda atraíram aplausos da plateia.

Apesar dos problemas do palco, que foram resolvidos no decorrer do show, a banda não podia deixar de demonstrar o prazer em tocar no Rock in Rio. Edu parecia mais confortável do que nunca. “É uma emoção estar de volta ao Rock in Rio depois dos incidentes que ocorreram anteriormente”, disse ele, fazendo o público logo lembrar da péssima apresentação do Angra em 2011. O público respondeu gritando pelo Almah, trazendo sorrisos dos integrantes em resposta.

Em “Trace of Trait”, o som do palco realmente estava já ótimo. A música, bastante técnica, foi muito bem executada. “Birds of Prey” teve a participação de Iuri Sanson, do Hibria. O som, muito completo com os dois vocalistas, empolgou o público de vez. O set do Almah foi fechado com a música “King”, que foi aplaudida por todos os presentes.

A segunda parte do show era do Hibria. A banda entrou no palco e se apresentou: “Quem aqui está pela primeira vez no Rock in Rio? Estamos juntos, galera!”. A banda começou então com “Silent Revenge”, que espantou todos os presentes que não conheciam a banda. O público levantou os braços e seguiu junto o som. O chamado do vocalista funcionou, estavam realmente todos juntos.

Já com “Shoot me Down”, a grande performance de Iuri Sanson dominou a plateia. Os bangers aplaudiram e gritaram com vontade o nome da banda. O perfeito solo de guitarra completou maravilhosamente a apresentação. O Hibria mostrou porque é uma banda que agradou tanto o público japonês e que não deve em nada para qualquer banda internacional.

Desta vez retribuindo a “visita” na primeira parte do show, o vocalista Edu Falaschi veio ao palco para cantar junto com Sanson a música “Blinded by Faith”, do álbum “Blind Ride” de 2011. Todo o público pula e é dominado por Sanson, que mais uma vez rouba a cena pela sua empolgação, vontade e performance no palco.

A banda finaliza o seu set com “Tiger Punch”, um de seus principais hits da banda. Iuri Sanson pede que a plateia abra uma grande roda, e é prontamente atendido com um mosh gigante digno das atrações internacionais que rolariam durante o dia. Sem dúvidas este foi o ponto alto do show, e se ali ainda restava alguma dúvida dos presentes sobre a qualidade do Hibria, esta já tinha sumido das mentes dos mais céticos.

Após as palmas, Edu volta ao palco com sua banda e anuncia uma grande surpresa. Um dos fãs grita “Saint Seiya!” Edu sacaneia por um momento, mas acaba cedendo quando todo o público começa a pedir a música. Canta o refrão, junto com todos os fãs mais que nerds presentes. Mas a homenagem não era esta, obviamente, e as bandas então trazem um cover do Led Zeppelin para finalizar o show com chave de ouro. “Eles foram os primeiros a utilizar as guitarras distorcidas que fizeram o metal”, diz Falaschi. O que os fãs viram foi uma performance espetacular, uma das melhores do dia, com ambas as bandas extremamente afiadas: se Robert Plant ouvir, ficará orgulhoso.

O show terminou embaixo das palmas dos fãs, que puderam ver um bom show do Almah e se espantar com a vivacidade e vontade do Hibria. Se uma banda as vezes precisa de apenas um show para ganhar um público, o Hibria só precisou de meio para roubar os fãs do Rock in Rio. Quem ainda não conhece o Hibria, melhor correr para ver a apresentação.

Almah é:
Edu Falaschi – Vocal
Marcelo Barbosa – Guitarra
Gustavo di Padua – Guitarra
Rafael Dafras – Baixo
Marcelo Moreira – Bateria

Hibria é:
Iuri Sanson – Vocal
Abel Camargo – Guitarra
Renato Osorio – Guitarra
Benhur Lima – Baixo
Eduardo Baldo – Bateria

Setlist:
Almah:
1. Hypnotized
2. Living And Drifting
3. Trace of Trait
4. Birds of Prey (com Iuri Sanson do Hibria)
5. King
Hibria:
6. Silent Revenge
7. Shoot Me Down
8. Silence Will Make You Suffer
9. Blinded By Faith (com Edu Falaschi do Almah)
10. Tiger Punch
Almah e Hibria:
11. Rock and Roll (cover do Led Zeppelin)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net



AngraAngra
Canal do YouTube ultrapassa 100 mil inscritos

Kiko LoureiroKiko Loureiro
Não precisa conhecer teoria para ser um bom músico

MegadethMegadeth
Mustaine explica mesmo elogio a Kiko e Broderick

CoversCovers
Blog elege Top 5 por bandas brasileiras de Rock/Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Rock In Rio"0 acessosTodas as matérias sobre "Almah"0 acessosTodas as matérias sobre "Hibria"0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"


Top 10Top 10
Melhores Baixistas de todos os tempos

Led ZeppelinLed Zeppelin
"Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

MaranhãoMaranhão
Policial com camisa do Pantera impede assalto a ônibus

5000 acessosMegadeth: Mustaine relembra fãs jogando xixi em Lobão no Rock in Rio5000 acessosIron Maiden: desvendando a música "Paschendale"5000 acessosSlayer: as preferências do guitarrista Kerry King5000 acessosSlash: tremeu na primeira vez que esteve sóbrio no palco5000 acessosEurope: como seria The Final Countdown de estudio sem teclados3623 acessosSoulfly: áudio da banda tocando música do Nirvana em 2003

Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.