Exciter: os maníacos do Heavy Metal atacam novamente São Paulo

Resenha - Exciter (Hangar 110, São Paulo, 08/09/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Diego Camara
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Um show de thrash metal completo em São Paulo. Com um pouco de confusão, empurra-empurra e uma bela amostra dos clássicos dos anos 80, os canadenses do EXCITER voltaram ao Brasil para três apresentações neste início de setembro. Apesar de apenas um dos integrantes originais ainda estar na banda – o guitarrista John Ricci – os fãs da música pesada não perderam em nada ao gastarem seu tempo, dinheiro e músculos para irem ao bate cabeça promovido no último domingo no Hangar 110, em São Paulo. Confiram abaixo os principais detalhes do show promovido pela TC7 Produções.

Marcado para início às 18 horas, o show do EXCITER iria contar com a abertura de três bandas: a já extremamente conhecida COMANDO NUCLEAR, as meninas não menos talentosas do NERVOSA THRASH e os novatos da banda SATURN. Três shows de abertura, que poderiam cansar o público, mas se mostraram extremamente importantes para manter o ânimo da plateia.

SATURN

A banda entrou no palco as 18:00hrs para um público bastante humilde. Poucas pessoas parecem que estavam interessadas em sair mais cedo de casa para ver um show de “uma banda desconhecida”, como eles mesmos afirmaram.

Porém aos presentes ficou uma impressão bastante positiva: o SATURN pareceu um conjunto bastante afinado e extremamente técnico. Tocando um Stoner Metal – um gênero ainda muito pouco aproveitado nas terras brasileiras – os fãs do metal viram um som de guitarra firme e riffs consistentes de uma banda que parece saber muito bem o que pretende.

O destaque ficou para a última música, “Troublemaker”, que fechou o show da banda com chave de ouro. Um solo de guitarra animal e as baterias remontaram ao bom e velho som dos anos 80, sem frescuras e ainda fugindo dos clichês do gênero. Aos fãs do Stoner e do rock / metal clássicos, é uma banda a manter os olhos.

NERVOSA THRASH

As meninas vieram em seguida, com show pontual as 19:00hrs. Vale dar destaque ao pouco tempo de espera que a produtora deu entre os shows, que ajudou a manter a dinâmica e não cansar o público.

Mostrando mais uma vez uma pegada thrash extremamente nervosa, conseguiram encantar mais uma vez o público presente com uma ótima apresentação. Em 40 minutos de música, a banda tocou alguns de seus mais conhecidos sucessos como “Wake up and Fight”, com já a costumeira acidez nas letras, e tiveram tempo de apresentar música inédita que estará no próximo disco da banda, “Victim of Yourself”, que será lançado ainda – esperamos! – neste ano.

Com bastante simpatia para os presentes, mostraram mais uma vez – do mesmo modo da última apresentação que assisti, no show do LEGION OF THE DAMNED – que não são apenas um grupo de belas moças em busca de aparecer na cena do metal. Diferentemente destas, a NERVOSA sabe o que faz, tem seus objetivos e sua própria música, além do empenho tanto na apresentação no palco quanto no trato dos fãs. Foram, no final, 40 minutos muito bem servidos de boa música.

COMANDO NUCLEAR

A terceira banda a se apresentar foi a COMANDO NUCLEAR. Já bastante conhecida do público – o bastante para parecer até um show de banda principal – o alvoroço dos fãs já ocorreu deste o início quando o vocalista Ron Cignus e companhia apareceram entre as cortinas.

Com um vocal bem único, que mistura sons mais rasgados e os estridentes na mesma qualidade, o vocalista é sem dúvidas um dos principais destaques que torna o COMANDO NUCLEAR uma banda tão diferente e respeitada pelos fãs. Por outro lado, o baixista Rodrigo “Exciter” Bersogli também mostrou uma grande performance e chamou a atenção do público.

A animação dos fãs foi tão grande que foram formadas rodas na frente do palco e o bate cabeça comeu solto durante boa parte da apresentação. Outros fãs, mais ousados, se arriscaram a subir no pequeno palco do Hangar 110 e saltar dele, pra alegria dos outros fãs que os agarravam após cada salto. A plateia não economizou energias, e deixou a banda bastante contente.

Apesar de poucos os presentes terem dito conhecer o último disco da banda, “Guerreiro da Noite” foi o grande destaque e causou mais da velha agressividade nos fãs, que foram dominados por um som expressivo de uma banda que sem dúvidas ainda tem muito para dar a nossa cena nacional.

EXCITER

Já que a noite era de duas bandas principais, ainda faltava a cereja do bolo para completar a festa. E as 21:15hrs ela veio: as cortinas se abriram e o EXCITER entrou no palco liderado pelo vocalista Kenny Winter tocou “Stand Up and Fight”, do clássico “Heavy Metal Maniac”, de 1983. A plateia já parecia bastante empolgada e nem um pouco cansada da longa espera pelo show.

Os saltos do palco, as acrobacias e o bate cabeça foi realmente sensacional, e prossegue assim pelas músicas subsequentes. Kenny Winter, bastante empolgado, parecia não ligar para uma casa um pouco vazia como estava o Hangar 110. Assim, disse que era com grande alegria que voltavam ao Brasil, elogiando a animação dos fãs e especialmente a comida – que talvez ajude a explicar seu tamanho.

Os destaques do meio do show foram as ótimas “Victims of Sacrifice” e “Heavy Metal Maniac”. Nesse momento, a casa virou um gigantesco mosh pit e tantas pessoas subiram e saltavam do palco que era difícil saber se havia gente para segurar elas quando saltavam. A segunda foi fechada com um perfeito solo de guitarra e ainda contou com um coro perfeito durante o refrão.

O show, porém, esteve longe de ser perfeito. Com problemas no som durante diversos momentos, em algumas músicas como “Slaughtered in Vain” era difícil ouvir o som: a guitarra extremamente baixa e um microfone que parecia não transmitir o som acabaram estragando a apresentação e deixando diversos fãs frustrados.

Se o show estava bom, a parte final dele mostrou que poderia ficar ainda melhor. A sequência de músicas de qualidade e dos grandes sucessos da década de 80 continuou com a extremamente pesada e emocionante “Pounding Metal”, uma das melhores músicas do show. O público até esqueceu por um momento o bate cabeça para se agarrar na frente do palco com Kenny Winter e cantar junto o refrão da música. A guitarra soou com perfeição e emocionou a todos no solo.

A noite não foi apenas de bons momentos, vale notar a confusão que foi iniciada no meio da música “Rain of Terror” quando os seguranças do Hangar 110 resolveram impedir os fãs de subirem no palco. Apesar da maioria dos fãs entender bem a proibição e o trabalho dos seguranças, um dos presentes resolveu arranjar confusão com a segurança e também com alguns dos fãs presentes.

A banda continuou tocando até terminar a música, e neste momento o vocalista Kenny Winter resolveu chamar a atenção do fã, que se recusava a retirar-se: “Não é porque eu estou irado que você tem que estragar o show”, gritou ele recebendo gritos e aplausos dos fãs presentes.

Prosseguindo o espetáculo, a banda finalizou o show com sem dúvidas as três melhores da noite: “Rising of the Dead”, “Long Live the Loud” e “Violence & Force”. Os gritos da plateia alcançaram o nível mais alto e todos puderam ouvir um dos sons mais rápidos de bateria quando Rick Charron detonou em “Rising of the Dead”. O som foi completado pelo refrão cantado em uníssono pela plateia em “Long Live the Loud”, que mais uma vez resolveu deixar o bate cabeça de lado para aproveitar o som.

Se as promessas eram de uma banda cheia de clássicos, o resultado alegrou sem dúvidas a todos os presentes. Com uma setlist formada quase em totalidade pelos discos da década de 80, o Exciter conseguiu trazer ao Brasil um gostinho daquela que foi a época mais bem sucedida de todos os tempos para o heavy metal. Esperamos que o Exciter volte mais vezes ao Brasil e traga toda esta animação, pois atualmente esta cada vez mais difícil ver um show tão completo e empolgado.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

EXCITER é:
John Ricci – Guitarra
Kenny “Metal Mouth” Winter – Vocal
Rob “Clammy” Cohen – Baixo
Rick Charron – Bateria

Setlist:
1. Stand Up and Fight
2. The Dark Command
3. Agressor
4. I am the Beast
5. Victims of Sacrifice
6. Heavy Metal Maniac
7. Evil Omen
8. Slaughtered in Vain
9. Violator
10. Pounding Metal
11. Death Revenge
12. Rain of Terror
13. Rising of the Dead
14. Long Live the Loud
15. Violence & Force

Fotos: Kennedy Silva. Veja uma galeria de imagens do show no link abaixo:
965 acessosExciter, Comando Nuclear, Nervosa: fotos da apresentação em SP

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

4822 acessosNervosa: anunciada nova baterista com vídeo749 acessosNervosa: Mostrando ao mundo a que veio788 acessosNervosa: Banda é confirmada no festival Abril Pro Rock 20170 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Nervosa"

GaleriaGaleria
Mais musas do rock/metal nacional

Metal NacionalMetal Nacional
Confira bandas que se destacaram em 2015

Metal SPMetal SP
Documentário sobre Heavy Metal em São Paulo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Exciter"0 acessosTodas as matérias sobre "Saturn"0 acessosTodas as matérias sobre "Nervosa"0 acessosTodas as matérias sobre "Comando Nuclear"

Jason NewstedJason Newsted
Revelando porque ele deixou o Metallica

Em 19/02/1980Em 19/02/1980
Bon Scott, vocalista do AC/DC, morre aos 33 anos de idade

Cannibal CorpseCannibal Corpse
O impressionante pescoço gigante de George Fisher

5000 acessosOzzy e Lemmy: mansão luxuosa, apartamento como caverna5000 acessosJames Hetfield: "fico deprimido quando não pego a guitarra"5000 acessosRush: Neil Peart leva vida complicada e sofre para tocar ao vivo5000 acessosThisBlogRules: site lista os dez maiores shows já realizados5000 acessosSérgio Moro: feliz por estar à frente de Bono, do U25000 acessosDave Grohl: ele estava chapadão e foi salvo por Taylor Swift

Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online