Norte Extremo Fest: como foi o evento em Macapá

Resenha - Norte Extremo Fest (Disco Gloss, Macapá, Amapá, 11/05/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Blackened
Enviar Correções  

Para alegria dos fãs de Metal em sua mais pura brutalidade, sujeira e ríspidez, um evento dedicado ao Metal Extremo foi realizado neste final de semana: o Norte Extremo Fest, em parceria com o Cerimonial Fest. A celebração ocorreu em um local incomum, mas já familiar para os metalheads: a boate Disco Gloss. Apesar de sediar festas Disco e de música eletrônica, o espaço para o público é amplo, climatizado e tem uma ótima estrutura de som. O ponto negativo fica por conta do palco, reduzido a um canto onde, espremidos, ficam os músicos, o que diminui a performance de qualquer grupo.

Legião Urbana: O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

Whiplash.Net: O site publica matérias pagas ou protege quem anuncia?

Enquanto o pessoal se "aquecia" com bebida e Metal em carros estacionados perto da boate ou numa praça perto dali chamada Largo dos Inocentes (mais conhecida como Formigueiro), os membros da MENTAL CAOS afinavam os instrumentos e passavam o som para abrirem os shows.

Depois dela, o Black Metal da banda BLACK AEON (projeto dos membros da OPUS PROFANUS) tomou conta do local e chamou a atenção do público para dentro da casa. Em seguida, tivemos a destruição Thrash Metal do grupo CARNNYVALE, que vem chamando atenção do underground por sua música rápida, agressiva e visceral. Um mar de moshes, stages dives e cabelos esvoaçantes em cada faixa executada. Além de detonarem com suas músicas autorais, o vocalista, nos intervalos, discursa sobre a importância da união na comunidade Heavy Metal e ainda houve os covers para Piranha (EXODUS) e Mad Butcher (DESTRUCTION). Destruidor!

A seguir, OBTHUS. Comandado pelo vocalista Diego e composto por alguns músicos já conhecidos na cena (como Andrey Góes e André Reis, ambos da HIDRAH), o grupo colocou a casa abaixo em um repertório composto por músicas autorais (Crucificados e Deixe Queimar, ótimas, por sinal) e covers de TORTURE SQUAD (Generation Dead), DEATH (The Philosopher e Bite the Pain), KREATOR (All of the Same Blood e Enemy of God) e SEPULTURA (Beneath the Remains e Troops of Doom).

O público pedia por um cover do SLAYER em homenagem a Jeff Hanneman (falecido no dia 2 deste mês), mas o tempo da banda havia esgotado. Assim como a CANNYVALE, a OBTHUS destruiu tudo a cada nota despejada, assim como fez os metalheads agitarem pra valer. Matador! Só faltam mesmo os discos de estréia de ambas as bandas.

Encerrando o Norte Extremo Fest, mais Black Metal soturno e viajante com a OPUS PROFANUS. Celebração arrasadora! Meus parabéns aos organizadores do evento e fico na torcida para que haja outras edições do Norte Extremo Fest. O Heavy Metal amapaense precisa de iniciativas como esta!




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Legião Urbana: O dia em que Renato calou a plateia do Programa LivreLegião Urbana
O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

Whiplash.Net: O site publica matérias pagas ou protege quem anuncia?Whiplash.Net
O site publica matérias pagas ou protege quem anuncia?


Sobre Bruno Blackened

Metalhead desde os 16, jornalista desde os 23. Grande incentivador da cena Metal amapaense através de resenhas, reportagens, fotos, artigos, entrevistas e assiduidade nos shows. Minhas vertentes favoritas são o Thrash, Death e Power Metal. \m/

Mais matérias de Bruno Blackened no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin