Amapanime K.O. Revolution: vem ganhando destaque a cada dia

Resenha - Amapanime K.O. Revolution (Yázigi Internexus, Macapá, 16/12/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Blackened
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Dezembro chegou, e com ele não somente o Natal e o Ano Novo, mas também o Amapanime K.O. Revolution 2012. Realizado todos os anos no Yázigi Internexus, o evento contou com os típicos stands de mangás/animes, jogos, exibição de OVAs, Yaoi, danças, RPG, concurso de desenho, de cosplays e vem ganhando destaque na cena ao levar cosplayers para disputas nacionais.

Blender: as letras mais repulsivas do Heavy MetalPorta dos Fundos: Andreas Kisser e a cobrança dos metaleiros

O Heavy Metal também teve seu espaço no Amapanime. E muito bem representado pelas bandas METAL ALLIANCE e KEONA SPIRIT. A primeira (formada pro Josimar [vocal], Luiz Fernando e Vandir Neto [guitarras], Renan [bateria] e Kaled [baixo]) executou um set de covers Heavy/Thrash Metal composto por Creeping Death (METALLICA), For Whom the Bell Tolls (METALLICA), Wrathchild (IRON MAIDEN), Running Free (IRON MAIDEN), Electric Eye (JUDAS PRIEST), Refuse/Resist (SEPULTURA) e Iron Maiden (IRON MAIDEN). Apesar da pouca performance dos músicos e do público tímido (que só começou a agitar lá pelas últimas músicas), confirmou ter sido um dos melhores shows do Amapanime, pois compensou com um set list de clássicos do Metal e saiu sob aplausos e gritos dos presentes.

Depois do desfile e do concurso de cosplays, era hora da KEONA SPIRIT subir ao palco e encerrar o evento. Após aquecer a platéia com Angels Cry (ANGRA), um cover inédito: Living for the Night (VIPER), um hino do Metal nacional. Shadow Lord, música da banda, foi a próxima. Ela contém todos os elementos de uma tradicional música de Power/Melodic Metal: teclados bem arranjados, riffs pesados e marcantes, bateria rápida (completada com o baixo de Gabriel Wetch) e os vocais agudos, alternando com algo lírico lá pelo meio da música. Resumindo: uma ótima composição.

Completaram o set Wasted Years (IRON MAIDEN), I Want Out (HELLOWEEN) (dedicada aos cosplayers), The Number of the Beast (IRON MAIDEN), Time (ANGRA) (outro cover inédito) e Pegasus Fantasy (Cavaleiros do Zodíaco). Como sempre, show da KEONA SPIRIT é sinônimo de empolgação, completada pela interação bem vinda dos bangers que festejaram do início ao fim.

Parabéns à equipe organizadora do Amapanime e às bandas METAL ALLIANCE e KEONA SPIRIT. Todos cumpriram com louvor seu papel em realizar esse evento dedicado à cultura dos quadrinhos e animações japonesas. Que venha o Amapanime 2013!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Metal Alliance"Todas as matérias sobre "Keona Spirit"


Blender: as letras mais repulsivas do Heavy MetalBlender
As letras mais repulsivas do Heavy Metal

Porta dos Fundos: Andreas Kisser e a cobrança dos metaleirosPorta dos Fundos
Andreas Kisser e a cobrança dos metaleiros

As regras do New Metal/Nu-metalAs regras do New Metal/Nu-metal
As regras do New Metal/Nu-metal

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treinoGuitar World: os 100 piores solos de guitarra da históriaPink Floyd: Nick Mason compara saída de Waters à morte de StalinOriginalidade: 10 Bandas ou Projetos Inusitados

Sobre Bruno Blackened

Metalhead desde os 16, jornalista desde os 23. Grande incentivador da cena Metal amapaense através de resenhas, reportagens, fotos, artigos, entrevistas e assiduidade nos shows. Minhas vertentes favoritas são o Thrash, Death e Power Metal. \m/

Mais matérias de Bruno Blackened no Whiplash.Net.