Megadeth: os vinte anos de Countdown To Extinction em SP

Resenha - Megadeth (Via Funchal, São Paulo, 05/09/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Ainda promovendo o mais recente álbum, "Thirteen", o MEGADETH passou novamente pelo Brasil, para uma apresentação única em São Paulo. Só que dessa vez o centro das atenções foi o clássico disco "Countdown to Extinction" (1992), já que a banda comemora o vigésimo aniversário de seu lançamento

Megadeth: David Ellefson sobe ao palco com Chris Poland e John Bush; vejaBlack Sabbath - Perguntas e Respostas

Fotos por Leandro Anheli

Certamente todos os presentes já sabiam que o álbum seria executado na íntegra e essa seria mesmo a "cereja do bolo", afinal muitos fãs, como é o meu caso, eram pré-adolescentes quando "Countdown to Extinction" foi lançado e teriam agora o prazer de ver todas as músicas do disco tocadas ao vivo, na mesma ordem do CD. Mas não foi logo de início que isso aconteceu, pois às 22:10h, quando o MEGADETH subiu ao palco, Mustaine e banda prepararam para o público uma introdução de peso, com "Trust" e "Hangar 18".

A pista estava lotada e não havia espaço para muitos movimentos. Era chegar, escolher um lugar para ficar e lá se estabelecer, pois não estava fácil se movimentar na casa. Em plena quarta-feira, o público compareceu em massa para ver essa noite especial de comemoração do MEGADETH.

Com "She-Wolf" e a bela "A Tout Le Monde", a banda deu seqüência ao show e nem preciso dizer que os fãs cantavam as letras com grande empolgação, permitindo a Mustaine alguns momentos de descanso de sua voz. Aqui vale o comentário de que em algumas músicas o microfone estava nitidamente mais baixo do que os outros instrumentos, o que fez com que o vocalista fizesse sinais para o pessoal da produção. Melhorou em alguns momentos, mas no geral o vocal ficou mais baixo mesmo.

Após mais duas canções, dessa vez do álbum "Thirteen", as luzes se acenderam às 22:40h, para Mustaine agradecer o público e anunciar que "Countdown to Extinction" seria então executado integralmente.

Com a capa do disco mostrada no telão, "Skin o' My Teeth" abriu os trabalhos e a Via Funchal veio abaixo. Em meio à lotação e o calor, o público respondia com muita energia e empolgação à sonoridade produzida por essa banda coesa e entrosada, liderada por um Mustaine que não cansou agradecer os fãs e interagir com a plateia.

No telão colocado no fundo do palco muitas imagens interessantes e trechos de clipes ajudaram a abrilhantar ainda mais o espetáculo e o show seguiu sem parada até a 6ª faixa do álbum, "This Was My Life". Uma rápida parada para Dave conversar com o público e a faixa título do álbum foi executada, seguindo-se até o término "Ashes in Your Mouth", que fecha o disco homenageado.

Ainda houve tempo para "Peace Sells", com a presença de Vic Rattlehead, mascote da banda, para então as luzes se apagarem, deixando apenas o telão com o escrito MEGADETH em vermelho.

Alguns minutos depois o vocalista e líder do grupo voltou, levantou uma bandeira que foi jogada no palco com a mensagem "O Brasil ama Mustaine" e deu início a "Holy Wars... The Punishment Due", fechando de vez a noite com o mesmo set list apresentado na Colômbia 3 dias antes.

Talvez se Mustaine tivesse continuado no METALLICA nunca teríamos a oportunidade de ver uma banda como o MEGADETH. Por isso, a sensação que fica é que o METALLICA fez um enorme favor à música quando expulsou Mustaine do grupo, pois o vocalista "juntou os cacos" e se fortaleceu para dar origem a mais um gigante do Thrash Metal: o MEGADETH. Melhor para nós, que temos duas grandes bandas do estilo para desfrutar.

Feliz aniversário de 20 anos ao álbum "Countdown to Extinction" e parabéns ao MEGADETH por mais essa noite incrível em São Paulo!

Agradecimentos a Miriam Martinez (Assessoria de Imprensa - Via Funchal), pela atenção e credenciamento.

Banda:
Dave Mustaine - vocal, guitarra
David Ellefson - baixo
Chris Broderick - guitarra
Shawn Drover - bateria

Set List:
01. Trust
02. Hangar 18
03. She-Wolf
04. A Tout Le Monde
05. Whose Life (Is It Anyways?)
06. Public Enemy No. 1
07. Skin o' My Teeth
08. Symphony of Destruction
09. Architecture of Aggression
10. Foreclosure of a Dream
11. Sweating Bullets
12. This Was My Life
13. Countdown to Extinction
14. High Speed Dirt
15. Psychotron
16. Captive Honour
17. Ashes in Your Mouth
18. Peace Sells

Bis
19. Holy Wars... The Punishment Due


Outras resenhas de Megadeth (Via Funchal, São Paulo, 05/09/2012)

Megadeth: mais uma resenha da apresentação em São PauloMegadeth: resenha do show em SP no Minuto HMMegadeth: resenha do Roque Reverso sobre show históricoMegadeth: Celebrando um álbum memorável em São Paulo




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Megadeth"


Megadeth: David Ellefson sobe ao palco com Chris Poland e John Bush; vejaMegadeth: "Dave Mustaine é valente", diz Kiko Loureiro sobre diagnóstico de câncerKiko em Kaza: Gastão Moreira bate um longo papo com Kiko Loureiro

Megadeth: David Ellefson revela como consegue seguir na banda até hojeMegadeth
David Ellefson revela como consegue seguir na banda até hoje

Megadeth: Sei onde é o meu lugar, diz David EllefsonMegadeth
"Sei onde é o meu lugar", diz David Ellefson

Em 31/08/1999: Megadeth lançava o polêmico Risk

Resenha - Memórias do Heavy Metal - Dave MustaineResenha - Memórias do Heavy Metal - Dave Mustaine
Resenha - Memórias do Heavy Metal - Dave Mustaine

Resenha - Rude Awakening - MegadethMegadeth
Um disco ao vivo de verdade, sem remendos

Ídolos imortais: Nick Menza, técnico e carismáticoÍdolos imortais
Nick Menza, técnico e carismático

Megadeth: banda volta aos palcos em 2020 com o Five Finger Death Punch - abrindo?Megadeth
Banda volta aos palcos em 2020 com o Five Finger Death Punch - abrindo?

Megadeth: mais uma cerveja com a marca da banda é lançada; Saison 13Megadeth: David Ellefson e Chuck Behler tocam juntos após 30 anos

Kiko Loureiro: trabalhando em novo disco soloKiko Loureiro
Trabalhando em novo disco solo

Drowned: versão de "Tornado of Souls", do MegadethMegadeth: Ellefson conta como a intro de "Peace Sells" foi escrita

Marty Friedman: opção para tocar rápido sem sweepMarty Friedman
Opção para tocar rápido sem sweep

Metallica: voltarão a fazer thrash clássico, diz vocal do ExodusMetallica
Voltarão a fazer thrash clássico, diz vocal do Exodus

Megadeth: era para deixar a barba crescer e mudar o logoMegadeth
Era para deixar a barba crescer e mudar o logo


Black Sabbath - Perguntas e RespostasBlack Sabbath - Perguntas e Respostas
Black Sabbath - Perguntas e Respostas

No alto do castelo há uma linda princesa...No alto do castelo há uma linda princesa...
No alto do castelo há uma linda princesa...

Guns N' Roses: melhores músicas segundo a Ultimate Classic RockGuns N' Roses
Melhores músicas segundo a Ultimate Classic Rock

MTV: experts indicam as maiores bandas de Heavy MetalFotos: confira 10 das mais curiosas no mundo do Rock - Parte 1Deep Purple: Conheça o sujeito que tocou um único acorde no novo álbumLemmy: seu patrimônio é muito menor do que se pensava

Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336