Juliana Rossi: Pocket Show no Metrô Paraíso de São Paulo

Resenha - Juliana Rossi (Metrô Paraíso, São Paulo, 03/08/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Pierre Cortes, Fonte: Hard And Heavy
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Há alguns meses atrás, JULIANA ROSSI, a vocalista do RAVENLAND, realizou um Pocket Show no Metrô Paraíso e cantou clássicos da Broadway. Desta vez o Pocket Show acontece com uma temática diferente. A homenagem vai para as grandes vocalistas de Rock da atualidade.

5000 acessosSteve Vai: O dia em que ele foi humilhado por Chimbinha5000 acessosChris Cornell: cantor usou aparelho de escalada para tirar a vida

Texto e Fotos - Pierre Cortes

O esquema foi o mesmo da vez passada: pequeno palco improvisado, ir e vir dos transeuntes do Metrô, ruídos de trem e autofalantes, praticamente apenas a luz local e sem a presença de instrumentos musicais. Tínhamos o mínimo, mas o que nos foi oferecido foi o máximo. Isso mesmo. Contando apenas com sua bela e potente voz, JULIANA ROSSI novamente fez uma ótima apresentação e reuniu um público grande ao seu redor. Muitos que por ali passavam paravam para assistir a apresentação e grande parte não era público específico do Metal, mas ainda assim era possível percebermos a satisfação por parte deles.

Pontualmente às 17h, a vocalista começa o espetáculo. Vestida de preto, usando algumas peças de metal e interagindo com os presentes, a primeira canção a ser executada foi a ótima “Bless the Child” do NIGHTWISH. Começo de show escolhido a dedo. Impecável. Para quem não sabe, JULIANA ROSSI iniciou sua carreira com uma banda que tocava clássicos do Hard Rock e, posteriormente, passou a tocar covers do NIGHTWISH.

Logo depois tivemos a potente “Forlorn Hope” da banda AFTER FOREVER. Pertencente ao álbum “Decipher”, essa canção tem agudos maravilhosos e o público teve a oportunidade de presenciar isso na voz de uma cantora brasileira. Além disso, contamos com uma participação especial: a vocalista FLÁVIA MORNIËTÁRI da banda de Heavy/Thrash Metal HELLARISE. Ela, aqui, fez o vocal gutural. Mandaram bem demais e aproximaram-se intensamente da versão original.

Dali em diante tivemos uma série de outras canções que passaram por nomes como WITHIN TEMPTATION, EVANESCENCE e WE ARE THE FALLEN, além dos outros acima citados. Bandas e músicas muito bem escolhidas, que certamente encantaram tanto o público do Metal como os que ali estavam e não entendiam tanto assim deste gênero.

É interessante observarmos que o espetáculo é garantido pela voz apenas. Como não temos músicos no palco, 100% da atenção é voltada para a vocalista. E ela consegue segurar o público e manter a voz afiadíssima do início ao fim, sem contar com a performance de palco. Cheia de carisma, JULIANA dialoga com o público no intervalo das canções. É uma espécie de ANNEKE VAN GIERSBERGEN, antiga vocalista do THE GATHERING, pois tem carisma, beleza e talento. Uma voz que é delicada e doce, mas potente e vigorosa.

“My Immortal”, do EVANESCENCE , foi um ponto alto da performance. Música densa e absolutamente melancólica. Outro grande destaque foi “Sleeping Sun”, excelente música do NIGHTWISH, que na voz dela ficou também muito boa e cheia de emoção. Em alguns momentos era até um pouco estranho para nós, públicos frequentes dos shows de Metal, notarmos a plateia sentada e toda concentrada no que viam. Extremamente concentrados. Lindo de ver.

Com uma hora de duração, o espetáculo realizado por JULIANA ROSSI foi bem executado, bonito e delicado nas escolhas do repertório. Ela não tem apena técnica vocal, mas também emoção ao cantar. E isso faz toda a diferença. Se o caro leitor quiser conferir o que estou afirmando, basta clicar no link abaixo e conferir “Sleeping Sun” e não deixar de conferir futuras apresentações.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Setlist

Bless the Child
Forlorn Hope
Stand My Ground
What You Want
Energize Me
Ever Dream
Nemo
My Immortal
Faster
Memories
Sleeping Sun
Lost in Paradise
Bring Me to Life
St. John
Bury Me Alive

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Ravenland"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Ravenland"

HumorHumor
O dia em que Steve Vai foi humilhado por Chimbinha

Chris CornellChris Cornell
Cantor usou aparelho de escalada para tirar a vida

Pattie BoydPattie Boyd
O infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton

5000 acessosPantera: o surreal e constrangedor funeral de Dimebag Darrell5000 acessosHeavy Metal: "cristãos podem aprender muito com o gênero"5000 acessosTop 5: Os roqueiros mais chatos da história5000 acessosMemes: versões para Slipknot, Linkin Park e SOAD5000 acessosGothic Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo5000 acessosSepultura e irmãos Cavalera: da vanguarda ao apequenamento

Sobre Pierre Cortes

Pierre Cortes, paulistano, bacharelado em Publicidade e em Cinema, amante da fotografia e escrita, apreciador do Heavy Metal e todas as suas subdivisões desde o início dos anos 80, colaborador do Whiplash.Net desde 2011, Twitter - @pierrecortes.

Mais matérias de Pierre Cortes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online