Resenha - Zak Stevens (Dhomba, Porto Alegre, 13/03/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Os fãs gaúchos do SAVATAGE provavelmente recordam com carinho o que aconteceu na noite do dia 14 de agosto de 2001. A banda norte-americana visitava pela primeira vez Porto Alegre para promover o aclamado "Poets and Madmen" (2001) e para apresentar o seu novo cantor Damond Jiniya. O espetáculo ganhou contornos ainda mais especiais quando - em 2002 - Jon Oliva & Cia. anunciaram o fim do grupo. Os anos se passaram e o espírito do SAVATAGE permanece ainda vivo. A prova foi o show solo que ZAK STEVENS realizou na cidade para relembrar os principais sucessos da sua ex-banda.

Esquisitices: algumas exigências bizarras para showsIron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhor

Fotos: Liny Rocks

O que impulsionou a mais recente turnê de ZAK STEVENS em nosso país pouco se relaciona com o trabalho do vocalista ao lado do CIRCLE II CIRCLE. O heavy metal tradicional da sua atual banda foi deixado de lado para que o cantor preparasse um repertório exclusivamente acústico com os maiores sucessos - e até mesmo algumas surpresas - de toda a sua carreira. Com apenas Mitch Stewart (violão e baixista do CIRCLE II CIRCLE) e Maurício del Bianco (piano e integrante do conjunto brasileiro SOULSPELL) em cena, o ex-frontman do SAVATAGE comprovou que ainda está em boa forma e emocionou o pequeno público que compareceu ao Dhomba para assistir o espetáculo de recorte intimista. A qualidade do repertório e a simpatia do trio proporcionaram uma noite única ao público gaúcho que ainda sonha com o retorno do SAVATAGE.

A pontualidade é outra virtude de ZAK STEVENS e às 22h o trio subiu ao pequeno palco da casa localizada no boêmio bairro da Cidade Baixa para iniciar o set-list acústico da noite. As faixas introdutórias "The Ocean" e "Welcome" - ambas retiradas do ótimo álbum "The Wake of Magellan" (1998) - serviram muitíssimo bem para conectar o público com repertório que iria abranger clássicos do SAVATAGE e músicas um pouco menos conhecidas do CIRCLE II CIRCLE. Na sequência, a plateia recebeu de forma calorosa a única faixa que pode ser apontada como nova: "Take Back Yesterday" - que foi retirada do recente disco do CIRCLE II CIRCLE intitulado "Consequence of Power" (2010). A sua versão acústica ficou até mais atrativa do que a original gravada com a guitarra de Andrew Lee e a bateria de John Osborn. Porém, nada se compara com o retorno obtido com os hits do SAVATAGE. A ótima resposta durante "Watching You Fall" foi apenas uma prévia do que ainda viria pela frente.

O bom humor do vocalista e do baixista do CIRCLE II CIRCLE foi essencial para que o público estivesse na mão de ZAK STEVENS durante todo o show. A piada com o nome da cerveja Devassa - traduzida por naughty girl pelo cantor - proporcionou muitos risos antes de um dos principais momentos da noite. A densa "Believe" - provavelmente a principal faixa do conceitual "Streets: A Rock Opera" (1991) - ficou extremamente bonita na sua versão acústica. O público cantou junto do início ao fim e ovacionou de maneira soberba o ex-SAVATAGE após a sua performance irreparável. Outros dois sucessos da banda norte-americana que escreveu o seu nome na história do heavy metal vieram na sequência para o delírio dos fãs: "Edge of Thorns" e "All That I Bleed". Os novos arranjos acústicos também deram uma interessante cara à clássica "Handful of Rain" que veio em seguida.

Não há dúvidas de que as músicas do SAVATAGE eram o principal atrativo da noite. O público sentiu isso de imediato e interagiu durante todos os clássicos da ex-banda de ZAK STEVENS de maneira única. O agradecimento e a formalidade de prometer um retorno a capital gaúcha pareceu - por conta de todo o envolvimento - realmente muito sincero. O espetáculo continuou com uma dobradinha do CIRCLE II CIRCLE: "Into the Wind" - que ficou um pouco estranha em sua versão acústica - e "Watching in Silence". A faixa que empresta o nome ao primeiro álbum da "nova" banda de ZAK STEVENS impressionou pela resposta que conquistou junto ao público. A plateia acompanhou com palmas e não mediu o fôlego na hora de cantar junto com o ex-SAVATAGE. Entretanto, o repertório montado para a capital gaúcha ainda guardava uma notória surpresa. Os fãs de carteirinha se surpreenderam ao ouvir os primeiros acordes da belíssima faixa-bônus de "The Wake of Magellan" (1998). A rara (definida assim por muitos) "Desiree" foi reconhecida por poucos e proporcionou mais um momento contemplativo ao espetáculo.

ZAK STEVENS reservou para a reta final do espetáculo apenas músicas clássicas da sua ex-banda. A bonita faixa "Alone You Breathe" causou arrepios ao ser dedicada aos guitarristas Criss Oliva (SAVATAGE) e Matt LaPorte (CIRCLE II CIRCLE e JON OLIVA'S PAIN) que faleceram em 1993 e em 2011. A performance arrebatadora do cantor ainda moldou com precisão cirúrgica o hit "Gutter Ballet" - que ficou simplesmente sensacional na sua versão acústica. Embora Mitch Stewart e Maurício del Bianco não precisassem provar mais nada em cima do palco, a dupla foi fundamental para que mais um hino do SAVATAGE emocionasse o público. O tecladista brasileiro chegou a assumir o microfone em pequenos trechos originalmente cantados por Jon Oliva sem fazer feio. O pique foi mantido com a romântica "Sleep" e com "This is the Time" antes de o espetáculo ser encerrado com outra faixa proveniente do álbum "Streets: A Rock Opera" (1991): "If I Go Away". Os aplausos foram sinceros e merecidos.

Com uma proposta que foge um pouco do senso comum criado em torno do universo metal, o ex-cantor do SAVATAGE impressionou com muito facilidade um pequeno público - porém fanático - que compareceu ao Dhomba. O show de cerca de 1h50 deixou algumas músicas famosas de lado que funcionariam perfeitamente na proposta desplugada da turnê - como "The Wake of Magellan" e "Morning Sun" - mas o resultado final pode ser considerado para além do satisfatório. ZAK STEVENS é um exímio frontman e mantém a sua voz impecável mesmo após vinte anos de carreira. Os que compareceram certamente não se arrependeram. Os que deixaram de ir perderam um dos shows mais incríveis de 2012 na capital gaúcha. A noite foi perfeita para relembrar (e se emocionar com) os anos dourados do SAVATAGE.

Set-list:
01. The Ocean/Welcome (Savatage)
02. Take Back Yesterday (Circle II Circle)
03. Watching You Fall (Savatage)
04. Believe (Savatage)
05. Edge of Thorns (Savatage)
06. All That I Bleed (Savatage)
07. Handful of Rain (Savatage)
08. Into the Wind (Circle II Circle)
09. Watching in Silence (Circle II Circle)
10. Desiree (Savatage)
11. Alone You Breathe (Savatage)
12. Gutter Ballet (Savatage)
13. Sleep (Savatage)
14. This is The Time (Savatage)
15. If I Go Away (Savatage)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Zak Stevens"Todas as matérias sobre "Savatage"Todas as matérias sobre "Circle II Circle"


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1983Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1983

Chris Caffery: guitarrista sofreu preconceito por ser cabeludoChris Caffery
Guitarrista sofreu preconceito por ser "cabeludo"

Guitarpedia: 5 guitarristas de rock que você precisa conhecerGuitarpedia
5 guitarristas de rock que você precisa conhecer


Esquisitices: algumas exigências bizarras para showsEsquisitices
Algumas exigências bizarras para shows

Iron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhorIron Maiden
Os álbuns da banda, do pior para o melhor

Fotos de Infância: Gene Simmons, do KissFotos de Infância
Gene Simmons, do Kiss

Bateristas: os dez músicos mais loucos de todos os temposDave Mustaine: 10 coisas que você não sabia sobre eleAccept: banda não precisa mais tocar "Balls To The Wall", diz Wolf HoffmannThe Beatles: uma foto rara de John Lennon cheirando coca

Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.