Avril Lavigne no RJ: Uma grande artista doce e talentosa

Resenha - Avril Lavigne (Citibank Hall, Rio de Janeiro, 31/07/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Gabriel von Borell
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Neste último domingo (31), ao se apresentar no Citibank Hall, no Rio de Janeiro, Avril Lavigne provou mais uma vez que é uma das maiores referências do estilo pop punk atualmente. Seis anos depois de seu último show na Cidade Maravilhosa, a cantora continua colecionando uma legião de fãs a cada novo trabalho lançado. Estavam presentes ao show jovens adultos que acompanham a moça desde o lançamento de seu primeiro álbum, “Let Go” (2002), assim como adolescentes entre 11 e 18 anos e até crianças com idade inferior a 10 anos, que provavelmente estão mais familiarizados com os discos mais recentes de Avril, como “The Best Damn Thing” (2007) e o novo “Goodbye Lullaby” (2011).

5000 acessosAvril Lavigne: ela morreu e foi substituída por uma sósia?5000 acessosGhost: a banda também tem um comportamento incomum nos bastidores

E não tenha dúvida de que a princesinha do pop punk, como costuma ser chamada, agradou a cada um destes fãs cariocas. Antes mesmo da apresentação dava para sentir que a noite seria importante. Durante todo o dia a fila para entrar no Citibank Hall tomava proporções cada vez maiores e o estacionamento do shopping Via Parque, na região da Barra da Tijuca, já estava praticamente todo tomado no início da noite. Dentro da casa de shows, que estava lotada na hora da apresentação, os fãs exibiam centenas de balões verdes e estrelas de diversas cores que brilhavam no escuro.

Por outro lado, e para a sorte do grande público, Avril também soube retribuir o carinho lhes proporcionando uma performance calorosa e generosa. Entre suas manifestações de atenção para com a plateia, a cantora deixou os fãs escolherem faixas do set list por duas vezes, fez diversas juras de amor ao país, e à cidade do Rio, além de descer do palco algumas vezes para cumprimentar os felizardos que conseguiram chegar à tão sonhada grade e assim puderam encostar em Avril.

O show, que estava previsto para começar às 20h, atrasou por cerca de uma hora sem um motivo aparente. Talvez pela enorme fila que ainda se concentrava do lado de fora do Citibank Hall mesmo já perto do horário marcado para o início da apresentação. Mas pouco antes de 21h os telões exibiram o vídeo de Avril fazendo cover de “Bad Reputation”, de Joan Jett, e aquele era o ponto de partida para o começo do espetáculo. Os fãs, conhecendo o roteiro da “The Black Star Tour”, foram ao delírio quando a música subiu.

Em seguida surgiu a banda da cantora, Steve Fekete (guitarra principal), Jim McGorman (guitarra), Stephen Anthony (teclado), Al Berry (baixo) e Rodney Howard (bateria), com a introdução de “Black Star”, primeira faixa do novo disco de Avril. E logo depois ela surgiu no palco causando uma histeria coletiva na plateia. Em seguida a cantora tirou o público do chão com “What the Hell”, “Sk8er Boy” e “He Wasn’t”. A faixa “I Always Get What I Want”, que foi trilha sonora do filme “O Diário da Princesa 2: O Casamento Real” (2004), deu sequência ao show. Avril continuou com suas participações em trilhas cinematográficas ao cantar “Alice”, composta para o último filme lançado por Tim Burton, “Alice no País das Maravilhas”.

Neste momento, a cantora começou a fugir do repertório da turnê e, para a surpresa dos fãs cariocas, fez cover da música do Coldplay “Fix You”, sentada em cima do piano, e emocionou o público. "Eu e minha banda queríamos cantar algo muito especial para vocês hoje. Esta é uma música muito legal chamada 'Fix You'", anunciou antes de cantar a música de Chris Martin. Extremamente simpática e dando total atenção aos fãs, Avril seguiu com sucessos como “When You’re Gone” e as novas “Stop Standing There” e “Wish You Were Here”. Foi quando a cantora avisou que a próxima canção executada seria escolhida pelo público e os fãs pediram “Everybody Hurts” em coro. O pedido, claro, foi atendido.

“Nobody’s Home”, na sequência, deixou o público enlouquecido e depois a cantora saiu do palco. Enquanto isso, a banda animava a plateia com o medley instrumental de “Unwanted/ Freak Out/ Losing Grip”. Na volta, Avril agitou os fãs novamente com “Girlfriend”. Depois veio o cover de “Airplanes”, do B.o.B, junto com “My Happy Ending”. Mais tarde, Avril cantou a bonita “I’m With You” antes de deixar o palco para o bis. No meio da faixa a cantora até substituiu o verso que dá nome à música para “I love you, Brazil”, provando o quanto o país é especial para ela. Quando retornou ao palco para a parte final de sua apresentação, Avril pediu mais uma vez para o público escolher a próxima faixa. E eles optaram por “I Love You”, do novo álbum. A canção acabou substituindo a programada “Keep Holding On”. Depois vieram “Hot” e “Push”, que mantiveram a plateia empolgada.

Para a tristeza dos fãs, então, era chegada a hora de tocar a última música do set list, “Complicated”, canção que tornou a canadense sucesso no mundo inteiro. E assim terminava o reencontro de Avril com o público carioca. Uma apresentação carregada de emoção e energia de uma estrela teen que vem amadurecendo. A “The Black Star Tour” marca os primeiros passos de uma cantora de 26 anos que aos poucos vem apagando a equivocada imagem de “garota rebelde”, que a mídia em geral tratou de vender, para mostrar quem ela realmente é: uma grande artista doce e talentosa. Não importa o que digam.

Set List:

1- “Bad Reputation” (Cover de Joan Jett)
2- “Black Star”
3- “What the Hell”
4- “Sk8er Boi”
5- “He Wasn’t”
6- “I Always Get What I Want”
7- “Alice (Extended Version)”
8- “Fix You” (Cover do Coldplay)
9- “When You’re Gone”
10- “Stop Standing There”
11- “Wish You Were Here”
12- “Everybody Hurts”
13- “Nobody’s Home”
14- Medley instrumental: “Unwanted”/ “Freak Out” / “Losing Grip”
15- “Girlfriend”
16- “Airplanes” (Cover do B.o.B.) + “My Happy Ending”
17- “Don’t Tell Me”
18- “Smile”
19- “I’m With You”

Bis:

20- “I Love You”
21- “Hot”
22- “Push”
23- “Complicated”

Fotos: Ana Beatriz Rapozo

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Avril LavigneAvril Lavigne
Ela morreu e foi substituída por uma sósia?

670 acessosBillboard: há rock na lista de 100 melhores refrães do século 210 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Avril Lavigne"

Avril LavigneAvril Lavigne
Defendendo o Nickelback de bullying do Mark Zuckerberg

Meet & GreetMeet & Greet
Como os roqueiros de verdade se comportam

Avril LavigneAvril Lavigne
Aprenda com Rihanna como fazer um meet & greet

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 03 de agosto de 2011

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Avril Lavigne"

GhostGhost
A banda também tem um comportamento incomum nos bastidores

Guns N RosesGuns N' Roses
A história das tours da banda, de 85 ao dias atuais

Narcisa TamborindeguyNarcisa Tamborindeguy
Ai, que badalo o show do Full Fighters!

5000 acessosGhost: a banda também tem um comportamento incomum nos bastidores5000 acessosGuns N' Roses: a história das tours, de 85 a 20075000 acessosNarcisa Tamborindeguy: Ai, que badalo o show do Full Fighters!5000 acessosLed Zeppelin: o cofre está fechado. Page acha que já acabou seu trabalho5000 acessosThe Voice Kids: até Brian May ficou impressionado com brasileiro5000 acessosMetallica: TMZ descobre o que Lars usava por baixo da calça

Sobre Gabriel von Borell

Gabriel von Borell, nascido em 30/03/85, jornalista. Não vive sem música e também não se apega a rótulos musicais. Acredita que todo preconceito é burro, inclusive o musical. Escuta de tudo um pouco, considerando que um jornalista deve estar aberto pra conhecer e comentar sobre qualquer músico ou banda. Pode ser encontrado no Twitter em @gabrielborell.

Mais matérias de Gabriel von Borell no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online