The Cult: show direto e que agradou em cheio aos presentes

Resenha - The Cult (HSBC Brasil, São Paulo, 14/05/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Alexandre Cardoso
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.









Longe dos palcos brasileiros há três anos, o The Cult retornou ao País para duas apresentações, nas cidades de Curitiba e São Paulo. Para uma banda que não lança um álbum de inéditas há quase quatro anos, a presença do público nessa nova apresentação em São Paulo foi uma grata surpresa. Muitos compareceram ao HSBC Brasil no último sábado, mostrando que o The Cult tem muito apelo junto aos roqueiros paulistas, e atrai gente de todo tipo: os adolescentes, muitos casais e também muitos pais que levam seus filhos em seu primeiro show de rock. O atraso de meia hora para o início do show não irritou o público, pois ele apenas aconteceu porque muitas pessoas deixaram para comprar o ingresso na hora.

O The Cult fez um show direto, sem frescuras e que agradou em cheio aos presentes. Claro que os momentos altos da apresentação foram os hits da banda, como "She Sells Sanctuary", "Rain", "Sweet Soul Sister" e "Love Removal Machine", mas o público participou ativamente durante toda a noite.

Ian Astbury (vocal) e Billy Duff (guitarra) são os únicos membros originais da banda, e continuam com o apoio de Chris Wyse (baixo), John Tempesta (bateria, ex-Testament) e Mike Dimkich (guitarra), repetindo a formação da banda que se apresentou por aqui em 2008. Com exceção de Astbury (que chamou a atenção por seu visual a la Jim Morrison no fim da carreira), os outros músicos tem uma presença de palco mais contida, mas nada que os torne antipáticos, pois em diversos momentos iam até a ponta do palco e agitavam o público.

O alto e bom som da casa garantiu um zumbido nos ouvidos dos fãs após uma hora e meia de puro rock'n'roll, numa noite que terminou em alto nível com um bela execução de "Break On Through (to the Other Side)", do The Doors.

Agradecimentos à assessoria de imprensa do HSBC Brasil e à produtora Top Link Music.

Set List:

1. Everyman and Woman Is A Star
2. Rain
3. Electric Ocean
4. Sweet Soul Sister
5. White
6. The Phoenix
7. Saints Are Down
8. Lil' Devil
9. Embers
10.Spiritwalker
11.Dirty Little Rockstar
12.Rise
13.Wild Flower
14.She Sells Sanctuary
15.Love Removal Machine

Bis:
16.Fire Woman
17.Break On Through (to the Other Side)



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Cult"


Matt Sorum: a entrevista mais reveladora de sua carreiraMatt Sorum
A entrevista mais reveladora de sua carreira

The Doors: banda esnobou Ian Astbury por 13 anosThe Doors
Banda esnobou Ian Astbury por 13 anos

Góticas: 10 grandes bandas do gênero na Inglaterra dos anos 80Góticas
10 grandes bandas do gênero na Inglaterra dos anos 80


Roadrunner: os melhores frontmen de todos os temposRoadrunner
Os melhores frontmen de todos os tempos

Heavy Metal: nove ótimas músicas suaves do gêneroHeavy Metal
Nove ótimas músicas suaves do gênero

Muito antes do Led Zeppelin: A origem da guitarra gêmeaMuito antes do Led Zeppelin
A origem da guitarra gêmea

Esquisitices: algumas exigências bizarras para showsIron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhorMetallica: Exemplo a ser seguidoSlipknot: Corey Taylor conta qual foi a máscara mais difícil de usar

Sobre Alexandre Cardoso

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Alexandre Cardoso no Whiplash.Net.