Doro Pesch em SP: A ser enaltecido pelos fãs de Heavy Metal

Resenha - Doro Pesch (Carioca Club, São Paulo, 24/04/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Alexandre Cardoso
Enviar Correções  





















Aposto que você já deve ter lido em muitas resenhas do Whiplash que determinado show foi "imperdível", e deve ter pensado: "Porra, que exagero!" ou " Ah, isso é texto de fã". Mas um show como o que Doro Pesch apresentou no último domingo em São Paulo, merece todo tipo de enaltecimento de quem é fã de heavy metal.

Infelizmente, problemas com atrasos no vôo da banda causados pelo feriado de Páscoa provocaram o cancelamento da tarde de autógrafos que aconteceria horas antes do show no Carioca Club. Consequentemente, o horário de início da apresentação também sofreu um bom atraso de uma hora e meia.

Mas para aqueles que esperavam pela volta da chamada "Rainha do Heavy Metal", após quase cinco anos do seu surpreendente show no festival Live 'n' Louder de 2006, a demora não foi problema. Quando as luzes se apagaram, o público fez seu papel: gritou, urrou e ergueu com orgulho seus punhos. O gesto do dedo mínimo e do indicador, eternizado por Ronnie James Dio, foi muito bem aplicado durante toda a noite.

"Earthshaker Rock" abriu o show de forma empolgante, e logo pode-se notar que os músicos que acompanham Doro são tão apaixonados por heavy metal quanto ela. Luca Princiotta (guitarra), Bas Maas (guitarra),Nick Douglas (baixo) e Johnny Dee (bateria) tem grande presença de palco e uma tremenda energia, com destaque para o baixista Nick e o guitarrista Bas Maas, este conhecido do público brasileiro por ter feito parte do After Forever.

Doro Pesch não é apenas uma bela mulher, mas também uma grande frontwoman! Dona de uma voz rouca e potente, com inesgotável simpatia ela distribue sorrisos o tempo todo e tem o público nas mãos, conduzindo o show com uma regularidade que não acontece em tantos outros. Presentes foram jogados ao palco, e por duas vezes ela desceu e foi cantar junto à galera que estava na grade.

Para aqueles que presenciaram o show de 2006, fãs ou não, a impressão daquele dia foi das melhores. Dessa vez, foi uma apresentação completa, privilegiando as músicas do Warlock. Muitos foram os momentos de destaque do show: "Burning the Witches", "All We Are", "Hellbound", "Für Immer", além de "We are the Metalheads", composta para ser o hino do mais famoso festival de heavy metal do mundo, o Wacken Open Air, na sua vigésima edição, em 2009.

Doro não deixou de homenagear suas grandes influências, executando "Breaking the Law" do Judas Priest, e também uma grande versão para "Egypt (The Chains Are On)" da banda Dio. Ela fez um discurso emocionado, dizendo o quanto ficou feliz em fazer turnês ao seu lado e também que foi por causa dele que ela começou a cantar.

As falas de Doro entre as músicas soaram verdadeiras, pois era possível perceber que ela estava, sim, emocionada com toda a receptividade do público, que compareceu em bom número ao Carioca Club. É uma artista que sabe valorizar quem admira seu trabalho, tanto que após o show ela ficou nos camarins até uma e meia da manhã atendendo fãs, distribuindo autógrafos, tirando fotos e conversando.

Foram quase duas horas do que um verdadeiro show de heavy metal deve ter: ótimo set-list, músicos com uma performance intensa, numa perfeita sintonia com os fás e uma sensação de enquanto houver noites assim, o estilo jamais deixará de existir.

Set-list:

1 - Earthshaker Rock

2 - I Rule the Ruins

3 - East Meets West

4 - Hellbound

5 - The Night Of The Warlock

6 - Burning The Witches

7 - Running From The Devil

8 - Egypt (The Chains Are On) (cover do DIO)

9 - Für Immer

10 - We are the Metalheads

11 - True As Steel

12 - Metal Racer

13 - Haunted Heart

14 - You're My Family

15 - Breaking The Law (cover do JUDAS PRIEST)

16 - All We Are

Bis:

17 - Fight For Rock

18 - Love Me In Black

19 - Metal Tango

2º. Bis :
20 - Unholy Love


adWhipDin