Iron Maiden em Curitiba: Grande show, com público pequeno

Resenha - Iron Maiden (Expotrade de Pinhais, Curitiba, 05/04/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Alexandre Buga
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Dia cinco de abril, praticamente dois anos depois de sua última e inesquecível apresentação na cidade, os monstros do heavy metal voltaram a Curitiba. Estamos falando do Iron Maiden, uma das mais cultuadas bandas já surgidas até hoje.

Iron Maiden: Nicko McBrain toca bateria em banda tributo em Nashville; assistaSom ruim, fezes e urina: Um brinde à farsa de Woodstock

Foto: Gustavo Garrett

Se da vez anterior o show foi na saudosa Pedreira Paulo Leminski, palco lendário da cidade, onde até mesmo o Beatle Paul McCartney já se apresentou, desta vez o local escolhido foi o Expotrade de Pinhais, onde no fim de 2010 rolou a desastrosa apresentação do Scorpions. Mas dessa vez tudo estava melhor organizado e funcionou perfeitamente.

O Motorocker matou a pau mais uma vez, deixando claro o tempo todo a felicidade de estar abrindo o show de um de seus maiores ídolos. E foi mais um para a coleção, afinal os caras já abriram para o Deep Purple, Scorpions, Nazareth, Motörhead... Foi legal ver milhares de pessoas cantando as letras da banda, de músicas que já se tornaram clássicos locais, como "Igreja Universal do Reino do Rock". Tocaram por cerca de 40 minutos, onde além da já citada música, figuraram algumas do novo disco, "Rock na Veia", como a faixa título e "Vamo, Vamo", mas o momento mais marcante foi com o hino "Salve a Malária", que fez a galera pirar. No fim do show mais uma vez o vocalista Marcelus agradeceu a oportunidade e convidou a todos para ver o show da lenda britânica que viria a seguir.

Pontualmente às 21hs tem início a o show, com imagens futurísticas mescladas a outras mais atuais, sob o som da introdução da música "Satellite 15... The Final Frontier". É uma intro bem longa, mas muito bem feita e que gera o suspense necessário para a aparição da banda. Uma grande música (em todos os sentidos) para começar.

O set no geral mesclou músicas do "Final Frontier" com alguns clássicos. Do disco em questão, além da faixa título, rolaram: "El Dorado", The Talisman", "Coming home" e "When the Wild Wind Blows". São boas músicas, com uma levada bem mais calma e cadenciada do que nos discos anteriores, muito mais progressivas do que o padrão "maideniano", porém todas muito boas. As introduções melódicas e trabalhadas estão em todas elas. Entre elas, as clássicas: "The Trooper" (o momento mais pauleira do show sem sombra de dúvida), "Iron Maiden", "The Evil That Men Do", uma das melhores de toda a carreira da banda (na minha humilde opiião) e "Two Minutes to Midnight", a primeira clássica da noite, tudo animalesco. Rolou também a excelente "The Wicker Man", a melhor do "Brave New World".

Durante a música "Blood Brothers" Bruce discursou sobre a grande irmandade que é formada pelos fãs da banda ao redor do mundo e também dos desastres no Japão, comentando inclusive que a banda escapou por pouco de um incidente grave, devido aos terremotos ocorridos dias atrás.

O bis contou com três clássicos indispensáveis: a primeira foi "The Number of The Beast", com sua intro retirada de uma passagem da bíblia e que muitos desinformados tiravam para satânica. Essa com certeza é a música mais porrada do Iron ao lado da grande "The Trooper". Na sequência "Hallowed Be Thy Name", que tem uma bela introdução e partes instrumentais emocionantes. Pra passar a régua geral, a terceira música do primeiro disco da banda, que foi imortalizada pelo hoje falido Paul Di'Anno: "Running Free", que levantou a galera com seu refrão grudento.

Foi um grande show, com público pequeno (cerca de 11.000 pessoas). Um detalhe que deixou o show de Curitiba mais fraco que o de São Paulo, por exemplo, foi a ausência do famoso Eddie de oito metros que apareceu por lá, parecido com o que apareceu na turnê passada, mas com o visual atual. São detalhes, mas fazem alguma diferença. Mas o show foi animal, é sempre bom ver o show de uma das bandas que deu algum sentido à vida de muitos bangers ao redor do mundo. Hail!!!

Set List Completo:

01. Satellite 15... The Final Frontier
02. Eldorado
03. 2 Minutes To Midnight
04. Coming Home
05. Dance Of Death
06. The Trooper
07. Blood Brothers
08. The Wickerman
09. When The Wild Wind Blows
10. The Talisman
11. The Evil That Men Do
12. Fear Of The Dark
13. Iron Maiden
14. The Number Of The Beast
15. Haloweed Be Thy Name
16. Running Free




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Iron Maiden"Todas as matérias sobre "Motorocker"


Iron Maiden: Nicko McBrain toca bateria em banda tributo em Nashville; assistaBruce Dickinson: review da autobiografia Pra Que Serve Esse Botão?Iron Maiden: o brilhante e conceitual Seventh Son of a Seventh Son (vídeo)Vlog Rock: A saga de Charlotte, a prostituta do Iron MaidenCollectors Room: a controversa volta às raízes do Iron Maiden (vídeo)Iron Maiden: local do show diz que fã agrediu segurança antes de ser espancado

Iron Maiden: Dickinson relata em show que seguranças agrediram fã na plateia; vídeoIron Maiden
Dickinson relata em show que seguranças agrediram fã na plateia; vídeo

Iron Maiden: banda fecha parceria com cervejaria curitibana BodebrownIron Maiden
Banda fecha parceria com cervejaria curitibana Bodebrown

Rock in Rio 2019: Iron Maiden prefere tocar mais cedo, diz guitarrista do ScorpionsRock in Rio 2019
Iron Maiden prefere tocar mais cedo, diz guitarrista do Scorpions

Rock in Rio: festival explica por que o Iron Maiden toca antes do ScorpionsRock in Rio
Festival explica por que o Iron Maiden toca antes do Scorpions

Rock in Rio 2019: Iron Maiden abrirá para o Scorpions; veja horários de todos os showsRock in Rio 2019
Iron Maiden abrirá para o Scorpions; veja horários de todos os shows

Em 03/09/1984: Iron Maiden lançava Powerslave, o seu maior clássicoEm 03/09/1984
Iron Maiden lançava Powerslave, o seu maior clássico

Collectors Room: o nascimento de um novo Iron Maiden em Brave New World (vídeo)

Iron Maiden: Blaze Bayley diz que sua fase foi o embrião da era progressiva na bandaIron Maiden
Blaze Bayley diz que sua fase foi o embrião da "era progressiva" na banda

Iron Maiden: em 1988, um ótimo disco para marcar o fim de uma era

Rock Clássico: as melhores segundo ouvintes de ManchesterRock Clássico
As melhores segundo ouvintes de Manchester

Iron Maiden: Adrian Smith critica bandas que usam bases pré-gravadasIron Maiden
Adrian Smith critica bandas que usam bases pré-gravadas

Dream Theater: a influência do Iron Maiden nos trabalhos conceituaisDream Theater
A influência do Iron Maiden nos trabalhos conceituais


Som ruim, fezes e urina: Um brinde à farsa de WoodstockSom ruim, fezes e urina
Um brinde à farsa de Woodstock

Kiss x Secos & Molhados: o fim da polêmicaKiss x Secos & Molhados
O fim da polêmica

Megadeth: a canção que Dave Mustaine menos gostaMegadeth
A canção que Dave Mustaine menos gosta

Heavy Metal: celebridades que curtem ou já curtiramAlguns dos maiores mitos do Rock n' RollKiss: "A indústria do disco está morta", diz GeneSeparados no nascimento: Joey de Maio e Morticia Addams

Sobre Alexandre Buga

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336