Porão do Rock: Suicidal Tendencies encerra o primeiro dia do festival

Resenha - Porão do Rock (Estádio Mané Garrincha, Brasília, 01/08/2008)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maurício Gomes Angelo, Fonte: Porão do Rock
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

A 11º edição do Porão do Rock começou ontem com casa cheia até o fim e uma organização praticamente impecável. Shows no horário, tranqüilidade, estrutura exemplar e ótimas condições para todos os presentes neste que é um dos maiores festivais do país. O dia heavy do evento mesclou nomes do hardcore e do metal como MUKEKA DI RATO, ALMAH, BLACK DRAWING CHALKS, MACAKONGS 2099, MQN, DFC e MATANZA, numa apresentação eficaz o suficiente para ter o público na mão, cantando "clássicos" como "A Arte do Insulto", "Ressaca Sem Fim", "Ela Roubou Meu Caminhão", "Clube Dos Canalhas", "Eu Não Gosto de Ninguém" e "Bom É Quando Faz Mal". O melhor show nacional da noite naquela que provavelmente é uma das bandas brasileiras mais felizes em criar uma identidade conceitual aprovada e adorada pelos fãs. A exemplo, em escala mundial, dos headliners.

Rodz Online: 25 Anos de Philips Monsters of Rock 1994 (vídeo)Por pouco: 15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhor

Aliás, foi preciso esperar até as 02:20 h da manhã para ver Mike Muir (vocal), Mike Clark (guitarra), Dean Pleasants (guitarra), Steve Brunner (baixo) e Dave Hidalgo Jr. (bateria) entrarem no palco. Mas o hino "You Can't Bring Me Down" mandado logo de cara deu o tom da celebração coletiva que o show do SUICIDAL TENDENCIES se tornou.

Um dos poucos nomes que conseguiram alcançar o status de se tornarem não só um grupo, mas uma instituição - influenciando diretamente o comportamento, as idéias e o vestuário de seus fãs, além de fincarem os pés com o quase inquestionável título de melhor banda de crossover da história, o SxTx mostrou uma vitalidade impressionante para quem tem mais de 25 anos de carreira.

Se a idade pesa e a forma física já não é a de antes, Mike Muir não dá a mínima e continua com a presença monstruosa que o consagrou como um dos frontmans mais carismáticos (e respeitados) que se têm notícia. O duo de Clark e Pleasants nas guitarras entregou uma execução limpa e inspirada, com os solos certeiros e riffs explosivos que puxavam rodas insanas de pogo entre os 15 mil presentes. Steve Brunner já está adaptado e não compremete o difícil posto de baixista do Suicidal, tendo entrosamento satisfatório com o recém-integrado Dave Hidalgo Jr. na bateria.

Com toda a discografia bem representada no set-list, os clássicos dominaram. Apresentação old-school sem cheiro de naftalina: "Subliminal", "War Inside My Head" - inesquecível - e "I Hate You Better" confirmaram a ótima forma, sendo a mistura perfeita, e genuína, de metal, hardcore e funk.

Na última, "Pledge Your Allegiance", Muir começou a chamar alguns fãs para subir ao palco, o que acabou se transformando rapidamente numa invasão, surpreendentemente bem sucedida. A visão, no mínimo curiosa, é símbolo da "atitude" - palavra que no caso deles pode ser usada sem receio - que sempre os caracterizou, e continua presente.

Difícil imaginar um final mais apropriado para uma banda que consegue transformar um show em uma arena de grandes proporções numa celebração intimista entre amigos. Que venha o novo CD - o primeiro após 8 anos.

O Porão do Rock continua hoje com uma programação mais pop, culminando no aguardado encerramento dos britânicos do MUSE.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Suicidal Tendencies"


Rodz Online: 25 Anos de Philips Monsters of Rock 1994 (vídeo)

Suicidal Tendencies: Jeff Hanneman era grande fã, diz LombardoSuicidal Tendencies
"Jeff Hanneman era grande fã", diz Lombardo

Trujillo: quando ele brigou no palco durante o show do MetallicaTrujillo
Quando ele brigou no palco durante o show do Metallica

Riffs parecidos: ZZ Top, Motorhead, Slayer, Metallica, A7X e outrosRiffs parecidos
ZZ Top, Motorhead, Slayer, Metallica, A7X e outros


Por pouco: 15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhorPor pouco
15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhor

Batom, laquê...: Como formar uma banda de Hard Rock em 69 liçõesBatom, laquê...
Como formar uma banda de Hard Rock em 69 lições

Bon Jovi: Larissa Riquelme dançando com os seios de foraBon Jovi
Larissa Riquelme dançando com os seios de fora

Slipknot: 12 histórias que retratam o quão insana a banda éSlipknot
12 histórias que retratam o quão insana a banda é

Overkill: mandando recado ao Avenged SevenfoldOverkill
Mandando recado ao Avenged Sevenfold

James Hetfield: ele não concordava com a fase Load/ReloadJames Hetfield
Ele não concordava com a fase "Load/Reload"

The Old Four: Como estará o Big 4 em algumas décadas?The Old Four
Como estará o Big 4 em algumas décadas?


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

adClioIL