Eric Martin: shows diferentes em Santa Catarina

Resenha - Eric Martin (Pomerode e Florianópolis, 14 e 19/06/2008)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carolina Brand
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Não... não é do Rick Martin que estamos falando, definitivamente! Parece mentira, mas muitos não conhecem Eric Martin pelo nome. Eric quem? Eric Martin, ex-vocalista do Mr. Big, famosa banda de hard rock dos anos 90 que acabou em 2002.

Billy Sheehan: conheça os músicos que acompanharão o baixista em SP em outubroJourney: o famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"

Marcelo Raupp tem 25 anos e é professor de história. No caminho em direção a Pomerode para o primeiro show em Santa Catarina, Marcelo me mostrou o quanto conhece sobre o assunto. Sendo assim, eis a percepção dele sobre os shows: "Conheci o Mr. Big e Eric Martin entre 1992 e 1993, em meio a onda de bandas de hard rock oriundas dos Estados Unidos, lideradas pelos grupos Bon Jovi e Guns n' Roses. Como jovem apreciador do estilo, então com onze anos de idade, também aprendi a gostar das excelentes músicas do Mr. Big, já reconhecendo suas melodias e refrões absolutamente grudentos (entretanto, espetaculares!). Considero-me alguém interessado e familiarizado com os discos do grupo (sobretudo da formação original), mas não me vejo como um fã exagerado como passei a ser de Aerosmith e Van Halen (os 'veteranos') na mesma época."

Já que estávamos a caminho de mais dois capítulos dessa história (os shows de Pomerode em 14 e Florianópolis em 19 de junho) tivemos o privilégio de assistir atentamente a cada um deles. Eric apresentou-se ao lado dos músicos da "The Road Vultures" da Argentina. Especialmente criada para acompanhar Eric, a banda mostrou muita afinidade e ligação com o músico. Christian Vidal (guitarra), Charlie Giardina (baixo e backing vocal) e Pablo Garrocho (bateria) tiraram as músicas em apenas dois dias e foi o suficiente para ser a banda escolhida por Eric. Com ele já fizeram shows pelo Brasil, Argentina, Chile, Paraguai e Índia.

Assim como muitos do público, principalmente em Florianópolis, Marcelo era o mais "interessado". Com uma camiseta feita especialmente para a estrela da noite e um vinil antigo embaixo do braço, ele comenta: "Celebrei os anos que venho curtindo o estilo. Eric veio apresentar o seu trabalho como um todo, sendo sua passagem pelo Mr. Big um belo capítulo (mas como ele destaca, já encerrado). Seus shows deixaram alguns sucessos do grupo de lado, como a importante "Green-tinted sixties mind" do álbum "Lean into it" de 1991 (segundo do grupo e meu favorito), talvez por se tratar de uma composição assinada exclusivamente pelo guitarrista Paul Gilbert, que saiu do grupo de forma pouco amigável.

No show de Pomerode, por ser um show aberto para outros públicos, percebi uma falta de sintonia entre a platéia e a banda, mas para mim foi uma apresentação competente e intensa... A eletricidade foi fundamental. Em Floripa, o público foi especialmente conferir o espetáculo e a apresentação acústica foi bastante intimista. Para quem assistiu as duas, uma complementou bem a outra!".

Mas ninguém melhor para falar do assunto do que o próprio Eric Martin que, simpaticamente, recebeu a todos os fãs e entre autógrafos e flashes revelou: "Gostaria de ter feito mais shows no Brasil. O show que fiz em São Paulo foi o mais marcante, pois após cerca de 10 horas de viagem de Pomerode a São Paulo, achei que não teria forças pra subir no palco. Entretanto, ao fazê-lo, fui energizado pelo público."

Os shows de Florianópolis e Curitiba (20) foram adiados em uma semana devido a problemas burocráticos com o visto na passagem pelo Paraguai, antecedente ao Brasil. Sobre o incômodo desses cancelamentos Eric comenta: "De fato isso tem ocorrido com freqüência durante toda a turnê. Após ter tido o problema com o visto, só vim para o Brasil em consideração aos fãs mesmo. Mas valeu a pena. É até uma pergunta boba, está na minha cara, eu amei o show em Florianópolis."

Não é a toa que essa passagem por Santa Catarina deixou boas impressões ao público, como confirma Marcelo: "Minha impressão do Eric foi das melhores. Carismático nas apresentações, foi também atencioso com os fãs. Ele percebe claramente que aqui no Brasil valoriza-se muito o seu passado com sua antiga banda, mas sua carreira solo ainda é pouco conhecida. Pelos dois motivos, espero que ele possa voltar em breve... principalmente para Floripa que precisa de ícones para o fortalecimento da nossa cena."

Por Carolina Brand
Jornalista - SC 02162 JP




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Eric Martin"Todas as matérias sobre "Mr Big"


Billy Sheehan: conheça os músicos que acompanharão o baixista em SP em outubro

Paul Gilbert: tudo que aprendi a tocar é valioso e válidoPaul Gilbert
"tudo que aprendi a tocar é valioso e válido"

Paul Gilbert: meu impacto no mundo da guitarra é menor que penseiPaul Gilbert
Meu impacto no mundo da guitarra é menor que pensei

Mr. Big: Richie Kotzen comenta morte de Pat TorpeyMr. Big
Richie Kotzen comenta morte de Pat Torpey


Journey: o famoso erro geográfico em Don't Stop Believin'Journey
O famoso erro geográfico em "Don't Stop Believin'"

Rock: as dez lendas mais macabras do gêneroRock
As dez lendas mais macabras do gênero

Death Metal: menina de 6 anos detona no America's Got TalentDeath Metal
Menina de 6 anos detona no America's Got Talent

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1983Metallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For AllGuns N' Roses: Axl não quis frear reunião mesmo com pé quebrado, diz DuffOs diários secretos de Roger Waters

Sobre Carolina Brand

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.