Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemEvanescence coloca baixista no cargo de guitarrista e anuncia nova baixista

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemDave Mustaine, do Megadeth, inicia vida de youtuber e mostra o ônibus de turnê da banda

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"


Stamp

Bride: Uma ligação muito forte com o público brasileiro

Resenha - Bride (Via Funchal, São Paulo, 11/08/2005)

Por Carol Oliveira
Em 07/09/05

O Bride tem uma ligação muito forte com o público brasileiro, a banda se apresentou pela primeira vez no país em 1995, em um festival que lotou o estádio do Pacaembu. Depois disso os caras voltaram diversas vezes, sempre com casa lotada, enquanto seus álbuns vendiam horrores entre o público cristão. Infelizmente essa turnê de 2005 nada lembra os bons tempos da década de 90, Dale Thompson e Cia fizeram uma apresentação morna e com cara de ensaio pra um pequeno público no Via Funchal em São Paulo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A produção também deixou bastante a desejar, sem pano de palco nem grandes efeitos de iluminação, o único atrativo era mesmo o som. Ainda bem que nesse ponto a banda não decepciona.

O Set list foi mais uma prova de que o bom e velho Bride faz muito mais efeito, apenas os álbuns Kinetic Faith (1991), Snakes in the Playground (1992), Scarecrow Messiah (1994) e The Jesus Experience (1997) foram lembrados. Não tocaram nem uma única música do último álbum This is It (2003) e pra alegria do público, parece que a banda resolveu esquecer de uma vez por todas que andou flertando com o new metal em Fist Full of Bees (2001).

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Os músicos subiram ao palco com as cortinas abertas mesmo e o público todo podia ver enquanto cada um arrumava seu instrumento. Isso cortou um pouco aquele clima de expectativa e a apresentação só começou a ter cara de show quando Dale Thompson entrou, com chapéu de cowboy e sobretudo, mandando logo de cara dois grandes sucessos da melhor fase da banda: "Would you die for me" e "Picture Perfect".

O Bride conta agora com mais um membro da família Thompson em sua formação, Alex assumiu as baquetas ao lado de seu tio Troy e do pai Dale. E por falar em Dale, quase 20 anos se passaram desde o primeiro álbum e o frontman não é mais o mesmo, com uma performance bem mais tranqüila ele perdeu bastante daquela fúria e empolgação com que agitava no palco.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

E a voz? Bom, a voz continua potente e agressiva como antes, e isso foi mais do que provado em canções como "The Worm", "I love you" e principalmente na balada "I Miss the Rain", que emendou o refrão de "Knockin´ on Heaven´s Door".

Para o bis reservaram a explosiva "Psychedelic Super Jesus" e "I Live for You", mas se a idéia era mesmo relembrar os bons tempos da banda ficou faltando o grande hit "Heroes".

Set List:
Would you die for me
Picture Perfect
Hired Gun
Beast
The Worm
I Love You
Under the Influence
I Miss the Rain
Everybody Knows My Name
Psychedelic Super Jesus
I Live for you

Site oficial: www.bridepub.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Sobre Carol Oliveira

Seu primeiro contato com o metal foi em 1993, quando, na época com 13 anos de idade, driblou a censura do Parque Antártica para assistir a apresentação do Metallica. Desde então gasta horas do seu dia e boa parte do seu salário vasculhando o que há de melhor entre os vários estilos musicais. Curte dos clássicos setentistas, passando pelo hard rock "farofa", heavy metal e até mesmo indie e britpop. Formada em Radio e TV, já trabalhou em veículos como a Rádio Transamérica e o SBT, hoje é uma das sócias da MiG-18, a primeira agência de comunicação voltada pro mercado musical.

Mais matérias de Carol Oliveira.