Bride: Uma ligação muito forte com o público brasileiro

Resenha - Bride (Via Funchal, São Paulo, 11/08/2005)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Carol Oliveira
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O Bride tem uma ligação muito forte com o público brasileiro, a banda se apresentou pela primeira vez no país em 1995, em um festival que lotou o estádio do Pacaembu. Depois disso os caras voltaram diversas vezes, sempre com casa lotada, enquanto seus álbuns vendiam horrores entre o público cristão. Infelizmente essa turnê de 2005 nada lembra os bons tempos da década de 90, Dale Thompson e Cia fizeram uma apresentação morna e com cara de ensaio pra um pequeno público no Via Funchal em São Paulo.

The Voice: candidato faz power metal cantado em portuguêsGuitar World: os 100 piores solos de guitarra da história

A produção também deixou bastante a desejar, sem pano de palco nem grandes efeitos de iluminação, o único atrativo era mesmo o som. Ainda bem que nesse ponto a banda não decepciona.

O Set list foi mais uma prova de que o bom e velho Bride faz muito mais efeito, apenas os álbuns Kinetic Faith (1991), Snakes in the Playground (1992), Scarecrow Messiah (1994) e The Jesus Experience (1997) foram lembrados. Não tocaram nem uma única música do último álbum This is It (2003) e pra alegria do público, parece que a banda resolveu esquecer de uma vez por todas que andou flertando com o new metal em Fist Full of Bees (2001).

Os músicos subiram ao palco com as cortinas abertas mesmo e o público todo podia ver enquanto cada um arrumava seu instrumento. Isso cortou um pouco aquele clima de expectativa e a apresentação só começou a ter cara de show quando Dale Thompson entrou, com chapéu de cowboy e sobretudo, mandando logo de cara dois grandes sucessos da melhor fase da banda: "Would you die for me" e "Picture Perfect".

O Bride conta agora com mais um membro da família Thompson em sua formação, Alex assumiu as baquetas ao lado de seu tio Troy e do pai Dale. E por falar em Dale, quase 20 anos se passaram desde o primeiro álbum e o frontman não é mais o mesmo, com uma performance bem mais tranqüila ele perdeu bastante daquela fúria e empolgação com que agitava no palco.

E a voz? Bom, a voz continua potente e agressiva como antes, e isso foi mais do que provado em canções como "The Worm", "I love you" e principalmente na balada "I Miss the Rain", que emendou o refrão de "Knockin' on Heaven's Door".

Para o bis reservaram a explosiva "Psychedelic Super Jesus" e "I Live for You", mas se a idéia era mesmo relembrar os bons tempos da banda ficou faltando o grande hit "Heroes".

Set List:
Would you die for me
Picture Perfect
Hired Gun
Beast
The Worm
I Love You
Under the Influence
I Miss the Rain
Everybody Knows My Name
Psychedelic Super Jesus
I Live for you

Site oficial: www.bridepub.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Bride"


The Voice: candidato faz power metal cantado em portuguêsThe Voice
Candidato faz power metal cantado em português

Guitar World: os 100 piores solos de guitarra da históriaGuitar World
Os 100 piores solos de guitarra da história

Backmasking: Existem mensagens ao inverso em discos de rock?Backmasking
Existem mensagens ao inverso em discos de rock?

Os Headbangers não praticantesRaul Seixas: Por trás da letra de "Carimbador Maluco"Mosh Pits: você sabe como eles começaram?Flea: "Já pensei em deixar o RHCP um milhão de vezes"

Sobre Carol Oliveira

Seu primeiro contato com o metal foi em 1993, quando, na época com 13 anos de idade, driblou a censura do Parque Antártica para assistir a apresentação do Metallica. Desde então gasta horas do seu dia e boa parte do seu salário vasculhando o que há de melhor entre os vários estilos musicais. Curte dos clássicos setentistas, passando pelo hard rock "farofa", heavy metal e até mesmo indie e britpop. Formada em Radio e TV, já trabalhou em veículos como a Rádio Transamérica e o SBT, hoje é uma das sócias da MiG-18, a primeira agência de comunicação voltada pro mercado musical.

Mais matérias de Carol Oliveira no Whiplash.Net.