Rhapsody: Pela primeira vez no Brasil apresentando "Dawn of Victory"

Resenha - Rhapsody (Via Funchal, São Paulo, 21/07/2001)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Guimarães de Carvalho
Enviar Correções  

Fotos por Anderson Guimarães e Ricardo Corsi


Pela primeira vez no Brasil, em uma turnê experimental de divulgação do álbum "Dawn of Victory", a banda Rhapsody fez uma única apresentação em São Paulo. Embora se tratando de um show envolto em polêmicas, com um alto preço cobrado (nem a alta do dólar explica um ingresso a R$70,00), com a curta duração anunciada e com a dúvida de como se sairia a banda sem uma orquestra para acompanhá-la, o saldo foi mais do que positivo.

publicidade

A entrevista coletiva estava marcada para às 19 horas. Compareceram Luca Turilli e Alex Staropoli. Fábio estava no hospital com um grave problema nas cordas vocais e Holzswarth e Lotta preferiram descansar. Muitos jornalistas do meio aguardavam a banda. Os dois mostraram-se bastantes solícitos com todos, dando autógrafos, posando para fotos, brincando e fazendo caretas (especialmente Luca, um dos músicos mais atenciosos com os fãs que já conheci).

publicidade


Durante a coletiva, a dupla falou sobre os shows com o Stratovarius, sobre a saga que é tema de seus álbuns, sobre planos para um disco ao vivo. Questionados sobre um possível álbum ao vivo, Alex prontificou-se a responder e disse que é um plano que têm, que pretendem fazê-lo um dia, mas que isso custa caro e querem fazer algo com qualidade, não com apenas quatro músicos, o que não atingiria a qualidade desejada. Mais uma demonstração de preocupação com os fãs.

Pouco depois das 21horas a banda Eterna iniciou seu set. Esta foi a primeira surpresa da noite, ao menos para os que não conheciam o quinteto. Durante 40 minutos a banda apresentou músicas de seu primeiro CD e algumas do próximo. No início o teclado estava alto demais, encobrindo a guitarra, mas na segunda música o problema acabou. O vocalista é muito bom e agitou facilmente a galera. Os demais músicos são muito talentosos, especialmente o baterista, que inflamava a galera com seu discurso saudando os presentes e o metal nacional. Uma ótima banda de abertura que merece uma conferida.

publicidade


Ao término do show da Eterna, viu-se uma tremenda correria no palco com os roadies a mil para retirar o equipamento da banda e colocar o do Rhapsody no lugar. Devo confessar que apesar da ótima impressão que o Rhapsody causou na coletiva, minha expectativa quanto ao show não era das melhores. Tendo em vista o grande número de orquestrações que a banda usa em seus álbuns imaginei que não conseguiriam reproduzir as mesmas de forma satisfatória ao vivo.

Eram 22:35 quando começou a rolar a intro "Lux Triumphans". O público foi à loucura! O primeiro a ser avistado foi o baterista alemão Alex Holzwarth que foi ovacionado pelo público. Tem início o tão aguardado show da banda que entra com "Dawn of Victory". O refrão desta música é inesquecível e todos cantaram junto. A performance do conjunto é muito boa pois todos tem uma presença de palco ótima. Apesar dos problemas enfrentados mais cedo, Fábio Lione pareceu estar em seus melhores dias. Sua voz é muito agradável e muito versátil, fato que ficou comprovado durante o show quando Fábio brincou com o público e cantou de forma grave lembrando um tenor.

publicidade


Luca Turilli não parou quieto um minuto sequer. Ao contrário do que se imaginava, a banda ao vivo foi muito bem, apesar de alguns samplers fizeram um dos shows mais Heavy Metal de 2000 (inclua aí Rock in Rio). O homem que supriu a falta de orquestra foi o tecladista Alex Staropoli, compositor da banda juntamente com Turilli, que parecia tão empolgado quanto o público.

O baixista Alessandro Lotta e o guitarrista convidado Dominique Leurquin não paravam de agitar a galera. O batera Alex fez um curto solo, onde pôde demonstrar sua técnica.

publicidade


Durante o set tocaram "Warriors of Ice", "Symphony of Enchanted Lands", "Triumph for My Magic Steel", "Dargor-Shadowlord of the BlackMountain", "Trolls in the Dark" e "The Last Winged Unicorn". A banda fez dois bis: no primeiro, "Emerald Sword" e em seguida "Holy Thunderforce", pedida pelo público e executada de forma impecável.

Um show inesquecível para os 4.500 presentes. Não percam a turnê que começa em Março de 2002 para promover o próximo álbum a ser lançado em Janeiro do ano que vem.

publicidade

Outras fotos

publicidade

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Rhapsody: o Angra reabriu as portas do metal, diz Luca TurilliRhapsody
O Angra reabriu as portas do metal, diz Luca Turilli

Fabio Lione: sua opinião sobre diversos vocalistas famososFabio Lione
Sua opinião sobre diversos vocalistas famosos


Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã

Iron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993Iron Maiden
Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993


Sobre Anderson Guimarães de Carvalho

Fotógrafo do site, também finaliza o bacharelado e licenciatura em História na PUC-Rio. É uma figura conhecida na cena carioca, mais odiado do que amado. Gosta de incomodar, assim como também gosta de HammerFall, Rammstein, Ivory Tower, Accept, Soilwork,Scorpions e Grave Digger.

Mais matérias de Anderson Guimarães de Carvalho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin