Resposta ao artigo "A Direita do Rock" da Veja

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bruno Aquino
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Venho expor o meu completo desapontamento com a matéria "A Direita do Rock", escrita pelo senhor Sérgio Martins e publicada na edição nº 2024, de 05 de setembro de 2007, da revista Veja. Ao tentar demonstrar as incoerências existentes entre os discursos de certos ídolos do Rock e suas atitudes, o artigo toma como exemplo principal o guitarrista Dave Mustaine, líder da banda norte-americana Megadeth. Mas, ao longo do texto, percebe-se o total desconhecimento do autor sobre o assunto abordado ao tentar interpretar letras de músicas da banda de forma equivocada, colocar declarações de Mustaine fora do seu contexto original e, como se isso já não bastasse, ainda impingir ao Megadeth a autoria de uma música que jamais fez parte de seu repertório, nem foi composta por qualquer de seus integrantes.

3336 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosAC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de Angus

Dave Mustaine sempre foi um músico politicamente engajado e usa sua música para divulgar suas opiniões. Ao contrário do que o Sr. Sérgio afirma, ele nunca foi nem é um conservador de direita. Em grande parte de sua obra, ele critica, de forma ácida até, as muitas ações belicosas e infundadas praticadas pelo governo de seu próprio país. Álbuns como "Rust In Peace", "The System Has Failed" e, mas recentemente, "United Abominations", transbordam mensagens que desnudam a total ingerência dos EUA - principalmente - e da ONU nas relações políticas internacionais e a incompetência de ambos em solucionar situações de conflito de forma civilizada.

De forma descontextualizada, foi citada uma frase de Mustaine para dar ao leitor dessa revista a impressão de que ele concorda com as ações do governo americano. Ao se defender de uma crítica feita por um jornalista sobre uma suposta confusão de nomes de grupos terroristas em uma de suas músicas, o guitarrista teria dito que o álbum poderia até conter informações erradas, mas refletia o que sentia como "um patriota que ama Deus, sua pátria e sua família". Ora, amar a Deus, sua pátria e sua família não significa necessariamente ser um Positivista Comteano. Justamente por amar a Deus, sua pátria e sua família é que ele se põe ferrenhamente contra tudo o que seu país representa no cenário político mundial. Um bom exemplo de como não ser um conservador.

Nessa mesma tentavitiva de mostrar um Dave Mustaine que não existe, o autor do artigo em questão deixa claro o seu desleixo, ao pesquisar o tema, citando, numa tradução sofrível, um trecho da música pró-América "Iraq And Roll", de Clint Black, dizendo, errôneamente, ser uma das canções integrantes do último trabalho do Megadeth. Um constrangedor equívoco, haja vista que estamos falando de algo que foi plublicado em um veículo de comunicação de abrangência nacional e que, portanto, pressupõe-se que seus colaboradores pelo menos confirmem a origem e/ou veracidade de seus argumentos antes de os colocarem ao alcance dos leitores.

Quanto à expressão "ralos dotes intelectuais" cunhado pelo Sr. Sérgio ao se referir às idéias políticas do guitarrista americano, devemos nos lembrar que Mustaine não é um sociólogo e nunca pretendeu escrever um tratado sobre a Nova Ordem Mundial. Ele é apenas um músico que tentar conscientizar seus fãs sobre um mundo que está perdendo sua humanidade e que os princípios fundamentais de liberdade, igualdade e fraternidade não são meramente palavras pintadas em uma bandeira revolucionária. Acho que os "ralos dotes intelectuais" podem ter sido um tiro pela culatra.

Entristece-me saber que uma revista do porte da Veja tem, em seu quadro de funcionários, pessoas que escrevem críticas sem conhecimento de causa, permeados por erros bisonhos, primários, e que esconde um ranço preconceituoso sobre o objeto discutido.

Tenho 31 anos, sou servidor público federal concursado, bacharel em Direito e tenho o Rock em todas as suas vertentes como o meu estilo preferido desde 9 e posso dizer, sem pestanejar, que o Rock sempre teve muito mais a dizer do que qualquer outro estilo musical e que, só a discografia do Megadeth põe qualquer esquerdista de carteirinha no chinelo.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3048 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa504 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3508 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

E Se...E Se...
Sua banda favorita mudasse de gênero musical?

ObamaObama
Astros do rock que não apoiam o presidente

Thrash MetalThrash Metal
A paranóia do holocausto nuclear

0 acessosTodas as matérias da seção Opiniões0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

ACDCACDC
A história do nome e a idéia do uniforme de Angus

MMAMMA
Os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

Blasfêmias?Blasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

5000 acessosFotos de Infância: Robert Plant, do Led Zeppelin5000 acessosBatismo: Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal5000 acessosGaleria - Tatuagens em homenagem ao Guns N' Roses4109 acessosSlayer: King compara contratação de Holt a Brian Johnson no AC/DC5000 acessosMulheres: as bandas mais famosas em suas versões femininas5000 acessosGuns N' Roses: Steven Adler não pode mais falar sobre reunião

Sobre Bruno Aquino

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online